A raiva, o cansaço e a frustração que vêm com problemas cotidianos podem exasperar-nos e nos fazer dizer coisas que realmente não sentimos. Estas são algumas das piores combinações de palavras que podemos dizer aos nossos filhos, independentemente da idade deles, mas especialmente às crianças pequenas. Os efeitos dessas palavras podem ir além do que você acredita e do que você ou seus filhos podem controlar.

Leia com atenção e pense muitas vezes antes de dizer frases como essas…

1. “Você nunca faz nada direito”

Ninguém gostaria de ouvir isso, menos ainda de um adulto. Imagina a sensação desagradável quando sua filha inocente ouve você dizer palavras como essas. Se sua filha cometeu um erro, quebrou algo, arruinou a mistura do bolo, respire fundo e pense no que é mais importante. A resposta sempre será a mesma: seus filhos são mais importantes do que qualquer outra coisa.

2. “Eu gostaria que você fosse mais parecido com seu irmão”

Nós não ganhamos nada comparando nossos filhos, mas podemos criar ressentimentos entre os membros da família. Certifique-se de que comparações não existam em sua casa. Somos todos diferentes e únicos, e somos todos especiais a nossa própria maneira.

3. “Você é gordo/feio/burro”

Nossos filhos acreditam em tudo o que falamos. Nós somos sua fonte mais confiável de informação e também a maior fonte de amor. Não prejudique a autoestima de seus filhos com adjetivos negativos. É melhor reconhecer seus pontos fortes ao invés de enfatizar o negativo.

4. “Eu tenho vergonha de você”

Se o seu filho tem a tendência de chamar atenção em público, como gritar, brincar, correr e cantar para todos ouvirem. Talvez só precise de mais atenção. Não diga coisas como essa na frente de seus amigos e nem em particular. Por que não planejar um espetáculo em casa onde ele seja a estrela principal? Talvez descubram seu lado artístico ao fazer isso e divirtam-se em família.

5. “Eu queria que você nunca tivesse nascido”

Eu não consigo pensar em algo pior que alguém poderia dizer a uma criança. Nunca, em nenhuma circunstância, diga isso a seus filhos, nem sequer de brincadeira. Todos precisamos saber que somos desejados e queridos, independentemente dos erros que cometemos.

6. “Eu cansei, não te amo mais”

Às vezes, sem perceber, caímos nos jogos de palavras de nossos filhos. Sua filha de três anos está frustrada porque não pode comer outro potinho de sorvete no jantar. Depois de explicar a ela várias vezes porque ela não deve fazer isso, ela fica brava, chora e diz que não te ama. A resposta mais fácil seria pagar na mesma moeda, mas isso só prejudica sua filha. A reação correta seria explicar novamente porque ela não pode comer mais sorvete e lembrá-la de que você sempre irá amá-la, mesmo que ela esteja muito brava com você. Ela aprenderá muito mais do que você imagina com esta lição.

7. “Não chore, não é nada sério”

“Quão grandes podem ser os problemas das crianças? Elas são apenas crianças, elas não têm preocupações, tristezas, decepções e medos.” Este é um erro que como adultos cometemos com muita frequência. As crianças têm tanta ou maior capacidade emocional quanto um adulto. A diferença é que elas não podem expressar-se e acalmar a si mesmas como nós. Então, de alguma forma, seus problemas não seriam ainda maiores? Nunca menospreze um medo, um arranhão, uma dúvida, um conflito pelo qual seu pequeno está passando. Ajude-o a superar o problema e a reagir de forma saudável.

Com pequenos ajustes e sempre considerando os sentimentos e bem-estar de nossos filhos, podemos evitar estas frases tão prejudiciais e ter uma relação de amor, proteção e bem-estar no lar.

Traduzido e adaptado por Sarah Pierina do original Frases que destruirán a tus hijos.

Publicado originalmente no Brasil em Família.com.br (Site altamente recomendável)

________________________________

Precisa de ajuda? Leia essa informação importante

Vocês sabiam que serviços psicológicos podem ser realizados através da internet desde que atendam ao Código de Ética Profissional do psicólogo e à Resolução do CFP n.º 11/2012?

Abaixo compartilho um site confiável sobre o assunto para quem quiser conhecer e obter mais informações sobre os serviços. Compartilhem também, pois vocês podem ajudar alguém que não tem condições de se locomover com facilidade, esteja em locais distantes ou mesmo queira otimizar seu tempo através do uso da internet.

(Esse é um conteúdo de nossa página parceira: www.contioutra.com, através da página familia.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



27 COMENTÁRIOS

  1. Cara,é tudo o que ouvi em toda minha infância,essa é resposta por que sou uma pessoa amargurada,chata,agressiva,má e que só vive de ódio hoje em dia

    • Jason
      Eu sou psicanalista e uma frase que me ajudou a melhorar tudo na minha vida foi dita no primeiro ano da faculdade por um professor
      Você precisa matar seus pais para começar a viver
      Faça isso no seu interior
      Matando as pessoas que te falavam essas coisas e olhando para seus pais de outra forma
      Afinal eles fizeram o que sabiam
      Fizeram o melhor que podiam
      Não conhecemos o contexto em que eles foram criados e eles não tinham todas as ferramentas que temos hoje que nos ajudam a entender as coisas
      Fique na paz
      Lígia Daniel

      • Também comecei a ver as coisas com esse olhar. Um olhar de misericórdia. Meus pais me deram, infelizmente, aquilo que receberam. Mudei a minha história… fiz diferente com meus filhos. Eles são bem resolvidos e sentem-se amados. Usei o meu sofrimento para crescer e fazer deles pessoas melhores que eu e felizes.

    • Meus pais nunca acharam que estudar fosse importante… bastava fazer o fundamental e médio que pronto… pra que faculdade? Vivi com minha mãe dizendo pra que isso? Pra que aquilo? Isso não é trabalho pra mulher… tinha que trabalhar, pra que estudo? Se fosse qq trabalho tava bom desde que me pagasse em dia… sempre foi assim… aos 36 anos estou terminando minha única faculdade… queria tanto ser médica… nuncabpude estudar, tive que trabalhar muito cedo… paguei muitos cursinhos com meu dinheiro… vivo fazendo concurso… me acho uma pessoa inteligente, tenho conhecimento mas nunca consigo passar em nada… me sinto péssima pq conheço pessoas que não tem muito conhecimento que consegue passar e eu não… parece que tenho um bloqueio… sou insegura… depressiva, mau humorada e desmotivada…

      • Libere perdão para a sua mãe, anule as palavras negativas que ela liberou sobre sua vida, e recrie em sua mente as situações que te frustaram e mude o final, quando lembrar de sua mãe com essas perguntas a responda com o que você acredita.
        E tbm já ao médico e busque saber o “nível” da sua dopamina.

        Alguma dessas coisas vão funcionar…

    • Jason,
      Sou mto parecida com vc, não culpe seus pais…Os meus não disseram nada disso e mesmo assim sou igual a vc. Vivo na terapia.
      Eu tinha um sonho de passar na UFMG e eles diziam que eu queria viver uma vida de rica… estudar era pra rico.Sabemos que não!! Era pra quem gostava e aproveitava as oportunidades ne mesmo.

  2. Muito do que somos hoje vem da maneira que fomos criados, de fato ser criado em um ambiente pesado nos torna pessoas mais amarguradas, fui criada longe dos meus pais e até hoje carrego comigo essa magoa, não entendo até hoje o por que deles não terem me dado atenção quando criança, hoje me considero uma pessoa um pouco amarga quase que sempre, mais aos poucos estou aprendendo me controla, não deixar problemas do passado influenciar no meu presente e futuro, mas tenho como lição não passar isso para meus futuros filho pois não desejo para nenhuma criança uma infância sem o amor de pai e mãe.

  3. Já pensei muito (e com raiva) na “culpa” que meus pais tiveram nos meus erros, na maneira errada de agir comigo em diversas situações enquanto criança e adolescente. Até que meu marido abriu meus olhos: nossos pais são reflexo do que os pais deles foram com eles. Então, tem muita coisa na educação de nossos pais, que eles foram educados assim, e passaram automaticamente pra nós. Particularmente, no meu caso, foi assim. Por isso, hoje, relevo muita coisa que ouço da minha mãe, e fiz isso, “matei” eles dentro de mim pra começar uma educação do zero, principalmente agora que tenho filha. Foi um alívio. Só não consegui ainda me livrar dos arrependimentos…..

  4. O que se pode dizer minha mãe nunca foi carinhosa comigo e que eu fui a desgraça na vida dela tenho 37 anos e até hoje ela é assim comigo a ultima agora foi dizer que só tem dois filhos já nem ligo mais apenas me afastei dela vivo a minha vida

  5. Eu ouvi tudo isso da minha mãe até o fim da adolescência. Eu era uma criança gorda, retraída e tímida. E era doce, delicada e estudiosa. Ouvia sempre o quanto eu era lerda, gorda, desengonçada, e muitos outros apelidos desagradáveis. Desenvolvi anorexia, vivia deprimida. Quando meu primeiro amor partiu meu coração, meu amor adolescente, minha mãe me disse que pra viver uma vida como a minha era preferível morrer. Ter o coração partido aos 15 anos dói, mas dói bem mais quando quem deveria te dar colo nesse momento te joga um balde de água fria.
    Minha mãe não queria que eu estudasse, mas apesar de ser muito obediente eu insisti nos estudos, estudar era a minha fuga. Comecei a trabalhar com 8 anos de idade, éramos muito pobres, eu não tive direito a uma infância e adolescência. Trabalhar e estudar era pesado.
    Quando estava com 19 anos minha mãe resolveu mudar de estado. Eu decidi continuar onde estava e seguir meu caminho sozinha, eu era bem nova, assustada e insegura, mas a dor de me sentir um peso na vida da minha mãe era maior. Acho que como uma lagarta cria um casulo, eu me tranquei no meu mundo, achei que era o meu fim … Foi a partir daí que minha vida começou a florescer. Tive que sozinha, montar uma casa sozinha. Trabalhar de costureira pra conseguir comprar fogão, mesa e todas essas coisinhas de casa. Levei anos pra me levantar, pra me estruturar. Consegui fazer uma faculdade. Hoje sou jornalista, trabalho com pessoas que sinto orgulho de estar perto, pessoas que tenho grande admiração. Os tombos na vida foram muitos, minha história foi imensamente mais difícil do que dá pra relatar aqui, mas quando olho pra traz eu penso: garotinha, muito orgulho de você! Você conseguiu transmutar a dor!
    Superar não é fácil, mas é possível. Claro que em muitos aspectos ainda deparo com dificuldades, ainda falta muito a superar. Mas venci muitas das batalhas, venci a anorexia, venci a depressão, venci a timidez extrema. ….. Mas acho que o recado que posso deixar aos pais é que o laço de amor que uma criança sente pelos pais pode ser quebrado e não ser reparado nunca mais. Hoje eu não sinto magoa, não sinto raiva, nem afeto ou saudade, não sinto nada por meus país. Na verdade a presença da minha mãe me causa desconforto. Em algum momento algo que existia em mim morreu em relação a eles. Enfim, não sei se isso é bom ou ruim, mas minha alma não quer a minha mãe por perto …

  6. Sou mãe e por tantas vezes disse coisas q nunca senti ao meu filho.
    Sou um ser humano limitado e me perdoou por errar .
    Sou filha e fui agredida verbalmente por meus Pais inúmeras vezes.
    Eu os perdoei pq também são humanos e tudo o q fizeram foi p o meu crescimento moral e espiritual.
    Eu não perdoou os fracos que impõe sobre seus pais suas limitações .
    Eu tenho asco de pessoas que culpam os pais.
    Sejam superiores em espírito e perdão .
    Chega de culpas…absurdo o “matar os pais”
    …matem a pequenez de suas mentes.
    Pratiquem o perdão consigo e com todos.
    E vá ao encontro da natureza…observe a qdo em suas tempestades.
    Seria Deus um Pai a ser morto pq o seu telhado é de vidro?
    E o s raios q ilumina os céus e atingem árvore é culpado?
    Ascedam e ascedam a luz maior que habita vossas almas.
    Tudo o mais será extinto…por serem apenas sombras.
    Paz e luz!

    • Irá de Guadalupe, me perdoe, mas acho que você não entendeu o texto.Você perdoou seus pais e vive bem ótimo, mas e esse ódio que sinto ser destilado aos outros que se sentem atingidos, que sofrem, choram e lutam até hoje para se libertarem das garras da opressão e pessimismo? Todos precisam de “AMOR” compreensão, carinho e atitude, para mudar e progredir, e não repetir os mesmos erros com os próprios filhos. A propósito, minha infância e adolescência foi super normal, bronca na hora certa, mas sem agressão.

    • Equilíbrio. Essa é a questão. a vida é dura para todos e ninguém é perfeito. “Matar”na linguagem psicanalista talvez seja um sinônimo para perdoar, já que perdão é encarado como algo espiritual. O fato é que o ser humano é o único bicho dependente eternamente da aprovação dos pais… os outros seres se libertam rapidamente e se tornam independentes. Visto assim, talvez tenha algo mais o qual o ser humano precisa aprender e vivenciar nessa vida que os outros viventes do planeta terra. O ser humano analisado apenas pelo ser humano nunca vai se perceber por inteiro, posto que um objeto analisado dentro de si mesmo, não tem a isenção apropriadamente necessária do distanciamento. Pensem nisso e fiquem em paz.

  7. Acho que sofro com algumas partes disso, ouvi minha mae dizer várias vezes que queria me aborta e a familia que não deixou, nunca senti se quer o carinho dela.
    Sempre, eu era a menina rebelde mal criada, se tivesse a cabeça que tenho hoje nunca teria tido você. Isso foi na minha adolescência, ela me deixou com minha bisavó, pra morar com outra pessoa, nunca me deixou conhecer meu pai, guarda informações sobre ele, nunca diz a verdadeira historia. Sempre achando que me compraria com presentes, pra ir numa reunião de escola era pra ela como um estorvo, nunca me levou ao medico, nem minha primeira vez no hebiatra ou ginecologista, me incentivava a estudar pra ela não ter que passar vergonha, e dizer aos outros que a filha dela era isso e aquilo de bom, mas ela mesmo nunca foi presente. Nunca pude contar segredo e acreditar que ela fosse guarda só pra ela. Precisei de colo quando tive um aborto aos 18 anos e nem se quer ate hoje ela sabe disse, pq tive medo da reação e do julgamentos dela e de alguns familiares, tive que trabalhar cedo, pra parar de depender dela. Tentava morar com ela , mas sempre voltava pra minha bisa que sempre demostrou amor de verdade e afeto com todo carinho dela.
    Hoje em dia tenho uma magoa que não sai, sempre vejo as diferenças entre eu e meu irmão para ela, hoje ela sabe disso do rancor que tenho dela . chega ate reclamar que sou uma filha seca, que não tenho coração e nem sentimentos, mas só eu sei quanto sofro com a certa ” rejeição” como se eu fosse culpada dela ter engravidado cedo ou das coisas que deram errado na vida dela. Tentei matar essa magoa, mais parece inútil isso. Mesmo tudo que já ouvi dela, nunca deixei ela na mao em situação alguma, mais hoje acho que me tornei uma pessoa ” Solitária” insegura, não gosto de lugares cheios, fico sempre repreensiva, não sei hoje em dia ficar no meio de muitas pessoas e sempre me Afasto das pessoas que me querem por perto. Sei ouvi a todos mais não sei me abrir ou melhor não sei mais explicar todo esse turbilhão de sentimentos meus, tento mais parece que o medo e maior vivo na defensiva. Talvez eu esteja dizendo algumas partes de tudo isso , pq li a maioria das historia. E me mantem um nó imenso na garganta.

  8. Vi comentários de pessoas dizendo que passaram por tudo isso na infância pois bem, também passei mas é algo estranho, algo se quebrou dentro de me quando minha mãe falou que preferiria que eu estivesse morto. Hoje realmente me sinto como um morto sem sentimentos, sem lágrimas como um vazio.
    Mas na verdade me sinto livre! Sem que ninguém me prenda em lugar algum, acho que essa foi a única coisa boa de tudo no fim.

  9. Me identifiquei muito c o texto. Minha mãe falou várias coisas q me feriram imensamente, eme tornei desde cedo uma criança restraida e triste….isso piorava tudo pois qdo os parentes comentavam em como meu irmão era uma criança alegre e eu sempre quieta ela falava na minha frente q eu não fui uma criança desejada, já meu irmão havia sido planejado, q isso afetava minha personalidade. Foi uma infância e adolescência péssimas, saí de casa aos 17 e dei rumo na vida bem longe dela, mas infelizmente carrego as críticas destrutivas dela em meu subconsciente…. Hj faço terapia e tento lidar c os sentimentos de rejeição q carrego…tentando sempre ser feliz.

  10. É complicado. Eu sofro até hoje com isso… meu pai sempre me chamando de idiota, burra… escolhendo minha carreira (eu pago, tu faz o que eu quero). Minha mãe diz até hoje que se arrepende de ter tido eu e meu irmão, pois somos dois estorvos. Eu virei uma pessoa extremamente negativa, sempre irei pensar tudo o que pode dar de errado primeiro pra depois pensar que talvez possa dar certo (mas claro, 1 segundo depois eu penso que vai dar errado, porque a vida é assim). Já tentei me matar algumas vezes… fiz terapia durante algum tempo mas não deu certo, porque “depressão é coisa de quem não tem o que fazer, não vou gastar dinheiro com trambiqueiro, vai trabalhar vagabunda”. Meu namorido tenta me fazer feliz, ele consegue às vezes, mas sempre vou ter esse vazio no peito por me sentir uma fracassada.

  11. Sempre os pais! Eles incompetentemente trazem os filhos ao mundo para não os amar! Dai toda sorte de iniquidade. A meu ver não existe mal no mundo que não tenha por trás os pais educando errado. São eles quem preparam, cuidadosamente, a pessoa que será bandida, assassina, doente mental (exceto as geneticamente doente).

    Conheço estelionatários cujos pais fazem de tudo para que o filho cometa o fato típico e depois choram fingidamente. Os pais, para mim, como eu disse, são a causa de todo mal mundano.

  12. A culpa é deles, mas a responsabilidade é nossa de fazer direito a nossa história, afinal não são eles que caminham com as nossas pernas. Nós escolhemos o nosso futuro, e podemos fazer bem diferente.

  13. De certa forma a dor ameniza um pouco quando leio tantas histórias tristes como a minha. Fui criada pela minha madrinha pq meu pai abandonou minha mãe com 3 filhos e grávida quando eu tinha 4 anos. A minha madrinha era solteirona e beata. A criatura era o demônio, sofri todo tipo de humilhações e maus-tratos físicos e psicológicos, que me deixaram com sequelas no corpo e na alma. Hoje aos 50 anos ainda choro sozinha quando vou dormir. Já fiz tratamento com psicólogo, psiquiatra e espirituais, mas o ódio que sinto por ela ainda não cedeu, mesmo depois de tantos anos que já se foi desse mundo. Aos 16 anos fugi da casa dela (era assim que ela sempre falava “você não tem nada aqui”) com um homem de 40, que era viúvo. Fugi achando que seria a oportunidade para me libertar. No entanto, apenas troquei de cativeiro pq ele era um psicopata ciumento, que tentou me matar várias vezes. Felizmente conheci pessoas de bem que me ajudaram a conseguir um emprego. Foi quando fugi de casa com meu filho, que na época tinha 2 anos. Fiz o possível pra dar a ele um amor que nunca conheci e principalmente não repetir os erros da minha madrinha. Meu filho foi a única coisa boa que resultou do relacionamento. Hoje está formado e fazendo mestrado. É uma pessoa maravilhosa de ótimo caráter e bom coração, que todo mundo elogia.
    Por muito tempo me achei burra, fracassada e sem ser digna de ser amada. Porém, quando olho pra trás e vejo tudo que tive que superar, me sinto vitoriosa e aos poucos a auto estima está melhorando. Só sinto falta de um companheiro/parceiro, amor verdadeiro. Esse ainda não conheci.

DEIXE UMA RESPOSTA