De acordo com o especialista Anthony de Mello, a maturidade emocional é nada mais do que a perceção de que não temos necessidade de culpar ou julgar ninguém pelo que nos acontece. Sendo assim, a idade pouco pode ter a ver com isso, ao contrário da maturidade (convencional), normalmente associada à idade e aos anos de experiência de vida cronológica.

À semelhança de qualquer outra caraterística intrínseca, a maturidade emocional não surge do nada; exige trabalho, esforço, boa vontade e o desejo de olhar para dentro e conhecer-se melhor, com a razão e a emoção em perfeita sintonia. Amadurecer significa encarar a realidade tal como ela é, muitas vezes bem mais dolorosa do que o desejado. Significa ainda entender que não existe amor maior do que o amor próprio, aprender e aceitar o que a vida nos apresenta e seguir adiante.

Sete caraterísticas das pessoas emocionalmente maduras:

1- Sabem dizer adeus – pessoas assim sabem que a vida fica muito melhor quando é vivida sem amarras, porque entendem que ficar preso ao passado impede-nos de fechar ciclos, curar feridas emocionais e seguir em frente.

2 – Conseguem encarar o seu passado emocional sem dor – reconhecem a importância de viver o já, aqui e agora, superando e aceitando o que passou. O que aconteceu, já lá vai, não pode ser mudado, por isso mais vale aprender com os erros e avançar.

3 – Têm consciência do que pensam e sabem – a clareza mental das pessoas maduras contrasta com a preguiça e o caos mental daqueles que não o são. Nesta ótica, a maturidade emocional ajuda a resolver problemas de forma eficaz.

4 – Quase não reclamam –  já aprenderam que somos o que pensamos, por isso parar de reclamar é a melhor maneira de promover mudanças, dado que as queixas podem aprisionar-nos em labirintos sem saída.

5 – Conseguem ser empáticas sem permitirem que as emoções alheias os influenciem – têm respeito por si mesmas e pelos outros; têm habilidade para se relacionar da melhor forma possível com os demais e sabem ouvir, falar e trocar informações.

6 – Não se castigam pelos seus erros – não se punem por possuírem limitações, simplesmente as aceitam e tentam melhorar. Sabem que nem sempre tudo acontece como queremos, mas cada erro é uma lição de vida e uma boa oportunidade para o crescimento pessoal.

7 – Aprenderam a abrir-se emocionalmente – maturidade emocional implica assumir o controle da própria vida, ter a própria visão de mundo e ambição para o sucesso. Neste contexto, é muito importante assumir compromissos, amor, autoconfiança e acreditar nas pessoas. Convém não ser perfeccionista, não esperar a perfeição dos outros, esquecer as desavenças e perdoar, inclusive a nós mesmos.

Para os que se identificam com estes traços de personalidade um bem haja da minha parte. Acreditem que fazem toda a diferença, pois o mundo precisa de mais indivíduos como vocês. Para os demais, é hora de arregaçar as mangas e trabalhar a maturidade emocional, afinal vale sempre a pena tornarmo-nos seres humanos melhores.

(Fonte: aindasolteira.blogs.sapo.pt)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA