Nós mesmos somos nossos piores inimigos quando resolvemos empurrar com a barriga tarefas, decisões, mudanças… Na maioria das vezes temos consciência do que deveríamos estar fazendo, porém, não fazemos.

Qual a razão de isso acontecer?

Adiamos quase sempre, o que não nos é agradável e, como desculpa, participamos de jogos em que acabamos nos enganando. Você já deve ter percebido o jogo do “quando”. “Farei isto quando não estiver tão ocupado… quando os filhos crescerem… quando estiver preparado… quando as coisas estiverem mais calmas…”. Para combater a tendência à procrastinação ou protelação, é necessário entender suas causas.

Uma das principais causas da procrastinação é a falta de vontade de fazer determinada coisa, as vezes porque a tarefa a ser realizada é muito difícil, complexa, longa, ou desagradável. Em relação a esse tipo de tarefa, todos nós temos uma inclinação natural a seguir o conselho de Mark Twain: “Nunca deixe para amanhã o que você pode deixar para depois de amanhã”.

Outra causa da procrastinação é o perfeccionismo. Os perfeccionistas, frequentemente têm dificuldade para começar tarefas que não dominam bem, mas precisam aprender a conviver com o fato de que, frequentemente, é preciso fazer o que tem de ser feito, mesmo que o nível de qualidade seja aquém do desejado por ele.

Leia Mais: Sim, eu posso mudar de ideia!

Uma terceira causa da procrastinação é a ilusão de que não fazemos a tarefa que estamos procrastinando por falta de tempo. Para manter a ilusão, procuramos manter-nos ocupados – mas geralmente com trivialidades ou com coisas que não têm muita urgência.

Resolvemos, por exemplo, limpar nossa mesa, arrumar nosso arquivo ou armário, colocar em dia nossa contabilidade pessoal, ou qualquer outra coisa que, no momento não é prioridade, mas que fazemos com que seja.

Mas como acabar com a procrastinação?

– Avalie o que costuma procrastinar, liste e trace um plano de ação. Assuma que você procrastina, não se engane!
– Faça primeiro tudo aquilo que é importante, porém que lhe é menos prazeroso, pois quando a gente se “livra” primeiro do que não gosta, é muito mais produtivo.
– Já mude o hábito da procrastinação quando levanta. Se você é daqueles que “fica mais um pouquinho”, “só mais 15 minutinhos”, acabe com isso. Levante direto e mande o comando para seu cérebro que quer deixar de procrastinar.
– Avalie tudo o que rouba sua atenção e procure minimizar no ambiente esses fatores. Tudo o que der!
– Diminua a exigência consigo, procure fazer o que dá, da melhor forma.

– Utilize um Pomodoro Timer ou outro alarme e programe intervalos para espairecer. Comece com 30 minutos de trabalho e cinco de descanso e depois aumente gradativamente, se necessário.
– Use aplicativos que auxiliam com a programação, agendas que facilitem a organização. De preferência organize a semana toda.
– Adicione recompensas para ter motivação para as tarefas mais complicadas para você.

E agora? Que tal começar?

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Isabel Rios Piñeiro
Apaixonada por ajudar cada pessoa na sua metamorfose em um ser mais saudável, próspero e feliz! É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here