Nessas minhas garimpagens pela Internet procurando um texto bacana para colocar na Fãs da Psicanálise, deparei com esse texto muito divertido do Emílio Pacheco que compartilho com vocês:

Existe um aspecto do universo dos super-heróis que ninguém comenta, mas em algum instante todo o fã de quadrinhos com certeza imagina: a vida sexual. É um assunto muito rico para piadas, como aquela da Mulher Maravilha, do Super-Homem e do Homem Invisível. Mas a imaginação pode ir mais longe.

Ter superpoderes nem sempre é uma vantagem. A pobre Supermoça, por exemplo, por sua invulnerabilidade, só pode namorar kryptonianos. Eles são os únicos que podem tirar-lhe a virgindade e não serem esmagados por seu, digamos, superpompoarismo. Já a Mulher Invisível não tem nenhum atrativo a mais a oferecer a seu marido, o Senhor Fantástico. Que graça tem ir para a cama com uma mulher que desaparece? No máximo, facilitar uma fantasia, se ela topar colocar uma Playboy por trás da cabeça. Em troca, o Senhor Fantástico usará seu poder de esticar-se para envolvê-la por inteiro e depois fará misérias com a língua.

O Flash é outro que deve levar às mulheres à loucura com seu poder de vibração a supervelocidade. Mas sua esposa Iris Allen deve reclamar de vez em quando: “você é muito rápido…” Elektron, que pode diminuir de tamanho à vontade, deve brincar percorrendo o corpo de sua companheira como se fosse uma cordilheira. Infelizmente ele não pode ficar maior, apenas menor. Essa vantagem quem tem é Gigante, marido de Wilma Vespa. Ele aumenta e ela diminui. É até um desperdício que os dois estejam juntos, pois o poder de cada um poderia ser aproveitado com um parceiro comum. Já pensaram que beleza poder variar de tamanho a cada vez? É o sonho erótico de qualquer mortal. Mas, no ardor do clímax, é preciso muito controle para evitar acidentes. Esses mesmos poderes citados também se encontram respectivamente em Rapaz Colossal e Violeta Encolhedora, da Legião dos Super-Heróis do Século XXX. Mas a legionária mais cobiçada deve ser Dama Dupla, que um dia já foi Moça Tríplice. Sim, ela pode virar duas.

O Homem-Aranha consegue prender mãos e pés na parede ou no teto, além de poder usar sua teia para criar ninhos de amor bem originais. Se sua esposa for sadomasoquista, pode querer ficar presa na teia, também. O Super-Homem, ao contrário de sua prima Supermoça, não precisa namorar somente kryptonianas, mas precisa ter cuidado para não ferir as mulheres com sua superforça. Imagina-se que tenha superpotência sexual, o que faz dele um incansável amante. Mas bom mesmo deve ser praticar supervoyeurismo com a superaudição e a visão de raio X.

Mandrake é apenas um ilusionista, mas leva Narda ao delírio com as fantasias que inventa. “Hoje você se superou, querido!” “Não foi nada, eu só fiz você imaginar enquanto descansava.” Já o Fantasma, o Batman e Arqueiro Verde, esses são humanos comuns como nós. Talvez o Arqueiro Verde tenha um conjunto de flechas eróticas para apimentar seus encontros. Também é possível que Batman traga alguns acessórios bem sugestivos em seu cinto de utilidades (“vou lhe mostrar o bat-massageador”). Mas o grande segredo é o do Fantasma. Todos sabem que ele tem dois anéis: a marca da caveira, que ele usa para golpear os bandidos e a marca não sai nunca, e a marca do bem. Mas ele tem uma terceira marca que nem sua esposa Diana conhece: a do “já comi”.

Compartilhar
Natthalia Paccola
Psicanalista, Jornalista, bacharel em Direito e mestre em Geociências. Há anos desenvolve um trabalho intenso na Psicoterapia Online através de Skype e Facetime. É responsável por várias mídias sociais que levam o nome do site que idealizou e dirige, o Fãs da Psicanálise.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA