No Brasil, as pesquisas mostram que os homens traem mais do que as mulheres, apesar de a infidelidade feminina ter aumentado nos últimos anos.

Historicamente, eles aprenderam a separar sexo de amor. Por outro lado, elas foram educadas para fazer sexo com amor, por isso não entendem quando um homem diz que ama a sua mulher, apesar de tê-la traído.

Alguns homens justificam suas escapadas como uma consequência de crises pessoais, de relacionamento ou como uma forma de quebrar a monotonia criada pela rotina.

Embora as mulheres também traiam por aventura ou atração física, a maioria alega que trai por carência afetiva, por estar se sentindo desprezada pelo parceiro.

O fato é que desejo sexual não tem a ver com compromisso, mas com a nossa autonomia e fantasias e ambos os sexos podem trair pelos mais diversos motivos.

A infidelidade é um assunto carregado de dor e significado e costuma afetar, profundamente, a autoestima daquele que se sente traído, causando a erosão do relacionamento. O acordo foi rompido e a confiança quebrada. Como resgatá-la?

Todo relacionamento de longo prazo têm seus momentos críticos, isso é normal. Mas, as pessoas têm muita dificuldade para conversar e tentar solucionar, em conjunto, os problemas que surgem na relação, o que acaba levando ao afastamento emocional e, em alguns casos, à infidelidade.

Embora a infidelidade esteja, muitas vezes, relacionada à dinâmica do casal, aquele que foi infiel tem grande responsabilidade pelo seu ato. E, se ele foi descoberto e quer reconquistar a confiança do outro, vai precisar ter um posicionamento muito claro, no novo acordo que for estabelecer com seu par amoroso. Além de comprometimento e paciência para esperar que o outro recupere a autoestima e a confiança perdida.

A intervenção terapêutica não é garantia de salvação de relacionamentos, mas pode ajudar o casal a reestruturar a relação e os sentimentos.

Por outro lado, se aquele que foi traído quiser resgatar a relação,  vai ter de se esforçar para superar a situação e uma hora, encerrar esse episódio. Se não é possível esquecer o que aconteceu, tirar o aprendizado da experiência pode ajudar a fortalecer a relação.

Ou seja, ambos devem assumir a sua parte do que foi vivido, conjuntamente, de bom e de ruim, sem a ilusão de que a relação vai recomeçar do zero. Afinal, o casal já tem uma história de vida e, provavelmente, a fase da paixão já passou.

Aprender a ter consciência de que as expectativas das pessoas mudam com o tempo, vai ajudá-los a ter uma visão mais realista sobre os relacionamentos afetivo-sexuais e, contribuir para que ambos sejam mais atentos às necessidades amorosas do outro.

Esse pode ser o caminho para o casal, na tentativa de reconstruir o vínculo. Caso contrário, é melhor partir para outra.

(Carmen Janssen, psicanalista, sexóloga e palestrante internacional)

Compartilhar
Carmen Janssen
Psicanalista, Especialista em Sexualidade Humana. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA