Cerca de 150 anos atrás, Gregor Mendel usou ervilhas para estabelecer algumas regras de herança, e há cerca de 50 anos, Watson e Crick descreveram a dupla hélice do DNA. Em 2003, a totalidade do genoma humano foi sequenciada.

Mas ao contar o número de genes nas células humanas e comparar com outros organismos, o nosso genoma foi considerado consideravelmente menor que o de outros organismos.

Por exemplo, os seres humanos têm cerca de 25.000 genes em cada célula, enquanto que a minúscula pulga d’água tem mais de 30.000!

Os cientistas haviam assumido que devido às nossas habilidades avançadas e estrutura do órgão, deveríamos ter mais de 100.000 genes.

Até porque não temos tantos genes, os cientistas têm recentemente descoberto maneiras de controlá-los, em um novo e emocionante campo chamado epigenética e que explica como as mudanças na atividade dos genes podem ocorrer sem alterar o nosso DNA.

Uma maneira que podemos influenciar os genes sem alterar sua estrutura básica é através dos alimentos que comemos. Pode ser que os nossos genes carregam a arma, mas o nosso estilo de vida é que puxa o gatilho. O impacto da nutrição sobre os nossos genes é frequentemente chamado de nutrigenômica.

Colocando de outra maneira: o garfo é tão poderoso que pode não só transportar os alimentos para a nossa boca, como pode ser usado como um interruptor genético para alterar o nosso peso, pressão arterial, colesterol no sangue, crescimento do câncer, e até mesmo as nossas chances de envelhecimento saudável.

Até agora, a maioria dos estudos bem elaborados em nutrigenômicos foi realizada com um cardápio de baixo teor de gordura à base de plantas, a chamada dieta Ornish. Vejamos algumas dessas experiências:

1. Uma dieta à base de vegetais pode desativar genes do câncer de próstata.

O cardiologista Dr. Ornish alimentou 31 homens com câncer de próstata de baixo grau, com uma dieta baseada em plantas contendo menos de 10% de calorias provenientes de gordura. Os homens foram incentivados a caminhar, meditar e reunir-se em sessões de grupo. No final de apenas três meses, 48 genes essenciais para o crescimento do câncer estavam mais ativos, mas 453 genes (os que controlam o crescimento do tumor e a produção de proteína) estavam menos ativos na produção de proteínas. No geral, os exames de sangue para a atividade de câncer de próstata melhorou e tumores encolheram. Estas alterações epigenéticas causadas pela mudança do estilo de vida estavam beneficiando estes homens.

2. Uma dieta à base de vegetais retarda o envelhecimento.

A partir do mesmo grupo de estudo acima, o Dr. Ornish mediu a atividade de uma enzima produzida pelos genes, a telomerase, que se acredita estar envolvida na desaceleração do processo de envelhecimento. Em cinco anos, a diminuição na atividade relativa ao envelhecimento da telomerase foi muito menor no grupo de baixo teor de gordura à base de plantas do que no grupo de controle, e seus telômeros eram mais longos, o que sugere ser positivo para a longevidade.

3. Uma dieta à base de vegetais melhora a inflamação, o peso e a saúde vascular.

Recentemente, na Pensilvânia, um grupo de pesquisa estudou 63 indivíduos com doença cardíaca que seguiram o programa de Ornish e compararam com um grupo de 63 pessoas que não seguiu qualquer programa em particular. Enquanto o grupo controle não experimentou nenhuma melhoria na saúde, o grupo Ornish perdeu peso e a pressão arterial caiu cerca de 10%.

Em 12 semanas, os pesquisadores descobriram que 26 genes exibiam atividade diferente no grupo Ornish. Depois de um ano, 143 genes estavam fazendo o mesmo. Os genes que promovem a inflamação e lesão dos vasos sanguíneos foram significativamente reduzidos em atividade. O grupo controle não apresentou melhorias desde que eles mantiveram sua dieta padrão.

Leia mais: Inclua no cardápio 10 alimentos que te deixam mais feliz

Quando Hipócrates escreveu há 2.400 anos “Deixe o alimento ser sua medicina”, ele não tinha idéia de que experiências científicas um dia provariam que ele era um visionário. A comida não é mais apenas uma fonte de calorias que contêm proteínas, carboidratos e gorduras. Comida é informação e pode ser vista como um controle remoto para nossos genes, transformando-os dentro e fora através de uma variedade de modificações.

O garfo é o mais poderoso instrumento cirúrgico que existe. Carregue-o com uma dieta colorida, orgânica e baseada em vegetais, e desfrute de mais tempo para suas paixões e sonhos, livre de doenças e medicamentos. Bom apetite! E longa e saudável vida!

Fonte: Publicado originalmente por Essential Nutrition.

Compartilhar
Genaldo Vargas
Psicanalista, Palestrante, Professor Universitário, Viajante do mundo, curioso e eterno aprendiz..... É colunista do site Fãs da Psicanálise.


SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA