Eu sempre quis ser alguém na vida.

Acho que desde pequeno o que eu mais queria era isso.

Desde criança eu queria ser adulto. Não queria ser criança.

Quando era pequeno gostava de andar com os meus primos mais velhos. Eu queria crescer logo.

Queria ser alguém na vida.

Eu aprendi que se fosse alguém na vida, eu poderia ter todas as coisas do mundo e fazer tudo que quisesse.

Aí eu fui fazer as coisas que as pessoas devem fazer para ser alguém na vida.

Fui trabalhar. Comecei a trabalhar com 18 anos.

E eu gostava de trabalhar. E eu fui trabalhando cada vez mais.

Depois comecei a empreender. E aí eu trabalhava cada vez mais.

Alguns projetos meus deram errado. Outros deram certo. Mas ainda assim eu não era alguém na vida.

Eu ainda sentia esse vazio que me fazia querer conquistar as coisas. Me fazia trabalhar mais. Acordar mais cedo e trabalhar até não aguentar mais e ter que ir para casa dormir.

E aí eu comecei a entrar no esforço.

A última empresa que tinha começado não decolava. E eu precisava dela dando certo para ser alguém.

Precisava ganhar dinheiro e provar para o mundo que eu podia ser alguém.

Eu pensava que se eu fosse conseguisse provar meu sucesso no mundo material, se pudesse ser um cara de sucesso, com dinheiro e respeitado, aí sim eu seria alguém. Aí sim as pessoas me respeitariam e aí sim eu poderia fazer o que eu quisesse.

Eu queria escrever um livro, mas somente poderia fazer isso quando fosse alguém. Afinal de contas, sobre o que eu escreveria?

Eu queria ajudar as pessoas, mas somente poderia ajudar quando fosse alguém. Quem gostaria da ajuda de alguém que não conquistou nada?

Eu queria dar palestras, mas somente poderia falar quando fosse alguém. O que poderia compartilhar se não tivesse uma história incrível para contar?

Eu tentei com todas as minhas forças ser alguém.

E não deu certo.

Eu não saia do lugar.

Então decidi fazer uma coisa para mim mesmo.

Ia desistir de tentar ser alguém na vida.

Ia apenas fazer o meu dia de hoje ser bom.

Ia apenas fazer coisas que eu tinha vontade de fazer no dia de hoje.

Sem pensar se era o meu propósito, sem pensar se era a missão da minha vida, sem pensar se daria milhões, sem pensar se era escalável, sem pensar se impactaria milhões de pessoas.

E aí incrivelmente minha vida foi mudando.

De maneira que nem consigo descrever, minha vida foi ficando mais fácil. As coisas iam acontecendo, as pessoas iam aparecendo, as oportunidades me buscavam, e eu ia acreditando cada vez mais.

E sem menos perceber, vi que tinha acontecido algo.

Eu estava sendo eu mesmo. Eu estava vivendo a vida que vim para viver.

E aí eu entendi.

Eu já era alguém.

Eu não precisava tentar ser alguém na vida. Eu já era esse alguém. Eu só precisava me permitir ser.

Escrevo esse texto para você que está tentando ser alguém na vida.

Pare de tentar ser alguém. Você já é esse alguém.

Não espere resultados incríveis na sua vida aparecerem para você se manifestar como você é. Você já é.

Pegue o atalho da vida e comece a fazer hoje as coisas que você está deixando para fazer “depois que”.

Eu achava que precisava conquistar minha liberdade provando meu sucesso. Como se recebesse o aval da sociedade para poder fazer o que sempre quis fazer.

Então aqui vai minha dica.

Você já tem esse aval. Você já é alguém.

Então seja.

A vida tá rolando já. Já tá valendo.

(Autor: Gustavo Tanaka)

(Fonte: medium.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA