No senso comum, consideramos sorte como um acaso, algo que não temos controle, simplesmente coisas boas acontecem em nossas vidas sem que tenhamos a menor interferência sobre isso, como algo mágico ou aleatório. Será?

Algumas pessoas mais pragmáticas entendem a sorte como o encontro da preparação e da oportunidade, outras mais espiritualizadas, consideram sorte como a resposta de Deus às nossas orações, ou ainda existem aquelas que praticam a lei da atração.

Eu sempre precisei imprimir um certo esforço para alcançar os meus objetivos … mas sempre fui bem sucedida em minhas empreitadas, algumas mais fáceis, outras com maior dedicação e tempo. Acredito que seja assim para todos, ou seja, cada um com os seus desafios de vida que, olhando de longe, não podemos sequer imaginar. Porém, alguns alcançam o sucesso, outros não. Será sorte?

Algumas decisões de vida tornam as coisas mais difíceis, os processos mais lentos … como as mudanças, os recomeços. Ainda há aquelas situações em que a vida decide por nós … levamos uma rasteira, caímos e precisamos nos reerguer. As reviravoltas da vida exigem maior esforço para que novas realizações aconteçam. Neste contexto, talvez sorte seja melhor traduzida em persistência …

Há também a famosa lei da atração … pensamentos positivos, alegria, boas emoções e vibrações realizam grandes “milagres”. Talvez sorte se traduza em uma postura otimista em relação aos acontecimentos da vida …

Mas e aquelas pessoas que ganham um mega prêmio e enriquece do dia para a noite? Vai dizer que isso não é sorte? Talvez … mas talvez esses acontecimentos sejam carregados de um poderoso sentimento chamado fé …

Diante de todas essas possibilidades e milhares de outras não listadas aqui, eu prefiro acreditar que nós é que construímos a nossa própria sorte. Para mim, sorte é um mix de tudo isso, menos o aleatório.

Então, eu escolho estar sempre preparada para quando, “por sorte”, as oportunidades baterem à minha porta, eu poder agarrá-las com todas as minhas forças.

Decido viver positivamente para que não me atole em meus problemas a ponto de não ser capaz de reconhecer o quão “sortuda” sou na vida e deixar de sentir gratidão a cada minuto.

Na dúvida, prefiro desenvolver minha espiritualidade, fazer crescer a minha fé e andar no caminho do bem … vai que um “mega prêmio” me encontra no meio deste caminho!

Então, concluo que talvez sorte seja também uma questão de escolha, atitude e decisão…

Compartilhar
Gisele Mendonça
Psicóloga e coach para mulheres. Aprendiz e multiplicadora da lei da atração, fundadora da Brilho da Vida Coaching, atende como coach de realização pessoal e profissional em BH e via skype para todo o Brasil. Adora sonhar, mais ainda realizar ... e auxiliar na realização dos sonhos alheios! É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA