A Britânica Amber Smith, 22, tem depressão e crise de ansiedade. Cansada do julgamento das pessoas, ela recorreu às redes sociais para colocar luz nas questões relacionadas à saúde mental. Para isso decidiu postar no Facebook uma foto sua após um ataque de pânico.

A montagem, com uma imagem dela arrumada e outra pós crise, já foi compartilhado mais de 7 mil vezes no Facebook. “Foto de cima: o que eu mostro para o mundo via redes sociais. Bem vestida, maquiada, com filtro. O meu ‘lado normal'”, diz. Em seguida, ela explica a foto inferior, um registro de sua crise. “Foto de baixo: tirada hoje logo depois de um ataque de pânico por causa da minha ansiedade. Também o meu ‘lado normal’, que muitas pessoas não vêem.”

Em seguida, ela reforça o seu descontentamento em relação ao preconceito das pessoas em torno do assunto. “Eu estou cansada de ver que estamos em 2016 e ainda existe tanto estigma em torno da saúde mental. Me dá nojo pensar que muitas pessoas são tão desinformadas e preconceituosas”, afirma no post. Ela ainda enfatiza o quão importante é contar com a ajuda dos outros. “Para qualquer um que esteja passando pela mesma situação, por favor, não sofra em silêncio. Existe muito apoio a sua volta. Não tenha medo de pedir ajuda”, diz.

Amber sofre com depressão e ansiedade desde os 16 anos, mas foi diagnosticada oficialmente apenas três anos atrás. Ela contou ao ABC News que postou a mensagem porque alguns amigos não compreendiam que ela sofria silenciosamente, outros não acreditavam que era um problema real. Assim, decidiu compartilhar seus sentimentos para as pessoas saberem que ansiedade e depressão afetam cada um de uma maneira diferente.

Ela afirma que ficou surpresa com o retorno que recebeu nas redes sociais. “As mensagens que estão me mandando são lindas e amorosas – mas esta não foi a razão que me levou a fazer o post”, explica ao ABC News. Amber reforça que quis destacar o olhar das pessoas em relação a quem passa pela mesma situação. “As pessoas são tão rápidas na hora de julgar. Sempre percebo isso quando dizem: ‘Qual problema você tem para ficar deprimida? Você tem um bom trabalho, uma vida boa, uma família boa’. As pessoas não percebem que mesmo todo mundo enfrentando problemas o tempo todo, alguns [como quem sofre de depressão] pensam diferente e são afetados de uma maneira diferente.” Sua intenção foi ajudar quem passa pela mesma situação: “Eu estava cansada de ver as pessoas sofrerem em silêncio. Para mim, A parte mais importante desta história foi usar a minha voz para que as pessoas sintam que não estão sozinhas.”

(Imagem: Reprodução/ Facebook)
(Fonte: revistamarieclaire.globo.com )

Compartilhar
Claudia Pinheiro
Psicóloga há 25 anos, especialista em Psicologia Hospitalar com aperfeiçoamento em Transtornos Alimentares e Obesidade, e pós graduada em Cuidados Paliativos. É colaboradora exclusiva do site Fãs da Psicanálise.



2 COMENTÁRIOS

  1. olha eu tive síndrome do pânico as 21 anos , depois de passR por varias momentos difíceis emocionais em minha família, e ainda estava começando a aflorar minha mediunidade.
    passei anos difíceis até começar a trabalhar minha mediunidade e aos poucos fui ficando melhor, ja nao sentia mais necessidade de tomar o remédio indicado pelo neurologista.
    e hoje na pratica da mediunidade fui curada e sinto às vezes os reflexos que está síndrome deixou em mim, é um caminho longo e difícil.
    Pois aos poucos fui saindo de casa, comecei a participar de várias atividades do grupo que frequento e luto todos os dias por minha liberdade de ir e vir, que o pânico nos rouba dia a dia.
    você passa mal em algum lugar e fica insegura e não volta nunca mais naquele lugar e assim. vai se fechando que nem ostra.
    as pessoas não entendem o que você sente e então fica difícil é uma luta sozinha, ainda bem que tinha minha mãe e meus irmãos que entendiam e me ajudavam no que podiam.
    hoje com 50 anos não sou mais a mesma, graças a Deus, mas foram anos difíceis e a ajuda espiritual me tirou deste inferno.
    Espero que ela encontre alguem que possa ajuda la , pois não devemos contar somente com a terapia, é um conjunto de remédio , força de vontade e a espiritualidade, .
    hoje posso dizer que Deus e os espíritos de luz me curaram, pois sem eles eu não estaria aqui hoje pra dizer tudo, pois os ataques eram constantes e quando tive , ninguém sabia do que se tratava, os médicos estavam caminhando ainda nos passos do stress pôs traumático e síndrome do pânico ninguém falava sobre isso.
    foram caminhos tortuosos mas venci e sei que você também vai conseguir.
    procure ajuda espiritual , médica e terapêutica com um psicólogo ou psiquiatra. pois hoje eles são capacitados para ajudar graças a Deusd e a Jesus.
    Boa sorte e conte comigo sempre que precisar ……..
    cassia

  2. Também já tive crises de ansiedade e o tratamento espiritual me ajuda muito, me da mais força e coragem para enfrentar o problema. Minha mediunidade também anda bem aflorada e eu preciso cuidar dela para não cair na obsessão espiritual, já passei por isso e é horrível. Graças ao meu bom Deus eu estou conseguindo controlar melhor minha sensibilidade mediúnica e me sentir bem, saio de casa numa boa.

DEIXE UMA RESPOSTA