De quem somos realmente? Por acaso temos que pertencer a alguém? Não, estamos neste mundo para “sermos de nós mesmos”: as únicas expectativas que temos que cumprir são as que definimos para nós, e não as que os outros nos impõem.

É muito bonito pensar que é tanta a proximidade que nos une a alguém que podemos exclamar que algo de nós pertence a outra pessoa, mas nada está mais longe da realidade.

Às vezes temos que ser um pouco egoístas e lembrar que as ambições e as metas que colocamos para nós partem da essência interior. Por isso temos que cuidar da nossa autoestima para criar as expectativas e fortalecer a esperança de cumpri-las.

Primeiro precisamos de expectativas próprias

A maior parte das pessoas trabalha para cumprir objetivos impostos pelos outros, dedica parte do seu tempo a atividades que não quer realizar ou se vê obrigada a levar um determinado estilo de vida para poder seguir em frente.

Leia mais: Uma verdade desafiadora: os outros são livres

Tendo em conta que há circunstâncias que não podem ser evitadas, precisamos de expectativas próprias que nos façam ter a certeza de que podemos ser felizes com o que temos. No final das contas, se retrocedermos com a ajuda da memória aos primeiros anos da nossa idade adulta, todos encontraremos diferentes focos que gostaríamos de um dia alcançar e outros que já alcançamos.

“As metas na vida são os faróis que nos iluminam durante a noite enquanto navegamos por esse mar (mundo) obscuro e instável” -Anônimo-

As pessoas mais próximas poderão nos dar uma opinião, nos apoiar e, é claro, nos aconselhar se lhes dermos esse direito. No entanto, a última palavra só pode ser a nossa: nós decidimos o que queremos fazer com o tempo que temos em mãos e percorremos o caminho que consideramos oportuno. Algo que ninguém pode fazer por nós!

Depois, devemos defender essas expectativas

Depois de criar determinadas expectativas, é necessário que lhes demos forma e lutemos para defendê-las: aprender a definir corretamente o que queremos irá nos ajudar a orientar bem as nossas ações em direção a isso. Desta forma, é bom entender que, como as ilusões e os sonhos, as metas a que nos propomos são parte da gasolina que nos impulsiona para o rumo certo.

Leia mais: Somos o que queremos ser, mas também somos as nossas próprias limitações

“Alcançamos o êxito convertendo cada passo em uma meta, e cada meta em um passo”. -Brian Tracy-

Defender as expectativas que nos propusemos nos faz estar mais próximos dos possíveis do que dos impossíveis, pois nos estimula a crescer à medida que nos superamos repetidamente. Temos que partir do princípio de que cada um de nós é capaz de conseguir aquilo a que nos propomos, sem nos deixarmos vencer por quem pensa que não somos capazes.

A palavra dos outros também pode nos dar luz

Os conselhos das outras pessoas podem sempre ser úteis e, em muitas situações, representam a luz de que precisamos, pois a cegueira por vezes apodera-se dos passos que queremos dar.

Leia mais: Certas palavras machucam mais do que um tapa na cara

Por isso é sempre bom escutar, ter em conta a palavra de alguém que nos quer bem e ver se se encaixa no pensamento que temos em relação aos acontecimentos. Pode ser que a pessoa nos dê a resposta, ou então que nos conceda o impulso que faltava para a encontrarmos.

Não é ruim que os outros conheçam as expectativas que definimos para nós, como também não faz mal nenhum compartilhá-las com eles. No entanto, o sensato é não deixar de assumir que cada um tem as suas expectativas: ninguém veio ao mundo para cumprir as suas, e você não nasceu para realizar as dos outros.

(Autora: Cristina Trilce)
(Fonte: amenteemaravilhosa.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA