Olá, como vai seu relacionamento amoroso? Casamento, namoro, “ficante”, caso, etc… Espero que esteja muito bom!

Lendo uma notícia com o seguinte título “Um quinto dos casais se sente preso ao casamento”, me fez pensar quais seriam os “elos” que prendem essas pessoas ao relacionamento que vivem, e possivelmente você já tem uma idéia de quais são.

Quais os ganhos que um casamento traz à uma pessoa? Amor, sexo, companheirismo, segurança, reconhecimento, dinheiro… É, grande parte das pessoas se diz presa ao casamento pelo fato de não estar disposta a passar por dificuldades financeiras no caso de uma separação.

Então essas pessoas estão em um relacionamento somente pelo dinheiro? O amor e companheirismo são certamente pequenos detalhes no relacionamento e quando questionadas em relação à vida amorosa, a resposta geralmente é “ruim”, “vai indo”. Será que essas pessoas não conseguem enxergar que elas fazem parte desse relacionamento “ruim” que responderam? Que se iludem diariamente para continuar tendo a falsa segurança que o casamento proporciona? Muitos se enganam com o reconhecimento que o casamento dá, mas aos poucos percebem que um casamento não é um contrato de compra e venda da felicidade, é muito mais que isso.

Muitas pessoas julgam as prostitutas (e prostitutos também) pelo seu trabalho, pela “vida fácil” que levam, afinal conseguem se sustentar dando prazer para aquelas pessoas que as procuram. Você as julga também? E o que podemos falar então, sobre esposas e maridos, que diariamente mantém relações sexuais com seus (suas) companheiros(as), para em troca continuarem usufruindo de uma vida boa? O que há de diferente entre os “profissionais do sexo” (ouvi isso em um vídeo, uma vez) e essas esposas/maridos?

Antes de reclamarmos dos nossos relacionamentos, devemos parar e pensar o quanto estamos nos doando com amor nos nossos relacionamentos. Seria interessante que as pessoas fossem menos hipócritas, que enfrentassem os seus medos e inseguranças, que parassem de buscar a sua felicidade nas pessoas esperando obter altos ganhos de segurança e reconhecimento e continuarem acreditando que isso é que as farão felizes.

E o sexo? O sexo nisso tudo é uma consequência, ele será ótimo se o casal for verdadeiro um com o outro, e ruim, ilusório, se ambos se tratarem como sócios de uma relação. Por isso, diariamente as pessoas saem frustradas dos relacionamentos, pois idealizaram e esperaram ter algo que elas mesmas não conseguiriam proporcionar, ou seja, querem receber amor, mas sem antes agir com amorosidade com seu companheiro e assim por diante. Devemos proporcionar, antes de esperar, agir com empatia, visando a felicidade do outro como parte da minha felicidade.

Compartilhar
Paulo Jacob
Psicoterapeuta com Formação em Psicanálise Clínica, Especialização em Técnicas de Acesso Direto ao Inconsciente, Capacitação em Hipnose e Hipnoterapia Comportamental. Professor de Psicanálise e Analista Didata no Centro de Estudos em Psicanálise Clinica - WCCA Psicanálise. Atuando na Nossa Clínica Psicanálise situado em Campinas/SP. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA