“Essa é uma história de um rapaz que conhece uma garota, não é uma história de amor”.

Esse é o aviso do narrador no início do filme. Agora pense aí, quantas vezes você gostou de alguém mais do que a pessoa gostou de ti?

É, acontece isso com todos e o que podemos fazer é aprender com todos esses relacionamentos que um dia terminaram.

Em (500) Dias Com Ela, Tom (Joseph Gordon-Levitt) e Summer (Zooey Deschanel) se conhecem na empresa em que trabalham e começam a se envolverem.

Ele, um rapaz que acredita no amor, mesmo quando ele nem existe, e ela, uma garota que não acredita na existência do amor. O que já podemos imaginar com essas duas características?!

Quem assistiu ao filme sabe exatamente a resposta para essa pergunta e quem não assistiu, já lhe deixo o aviso: você pode achar uns spoilers por aqui.

Leia mais: Você não escolhe o amor. O amor escolhe você

Mas voltando ao que podemos aprender com relacionamentos, listei alguns desses aprendizados que o filme deixa nas entrelinhas. Vamos a eles!

1 – Ter gostos em comum não é tudo

Sabe aquela pessoa que você se identifica muito e vocês têm vários gostos em comum, como bandas, gêneros de filme, comida e filosofias de vida, ela não é sua alma gêmea. Como diz Rachel Ransen, a irmã de Tom, “Só porque uma garota bonita gosta das mesmas porcarias bizarras que você, isso não a torna sua alma gêmea”. Ter gostos em comum significa que vocês podem ser grandes amigos, não necessariamente, namorados.

2- Perceba os sinais

As pessoas demonstram através de sinais o que querem numa relação, esteja atento. Summer foi até mais direta nesse item, ela falou a Tom que não queria nada sério. Mas mesmo assim ele resolveu seguir em frente, talvez por pensar que ela pudesse mudar de ideia ou talvez por estar cego de amor. Mas repito, aprenda a perceber os sinais. Dessa forma, você evitará várias decepções amorosas.

Leia mais: Não temos nada a ver, mas eu te amo

3 – Escute seus amigos, principalmente sua irmã mais nova

Pessoas de fora, às vezes, têm uma visão da situação melhor que a sua, confie nelas. Quando se está iniciando um relacionamento ficamos sujeitos às fantasias do amor, isso nos deixa cegos em relação ao que está acontecendo. Mas quem está de fora da situação e te conhece muito bem pode sim te dar uma luz do que está acontecendo de verdade. Não digo para que abandone o que pensa e escute apenas seus amigos, mas digo para que escute eles e reflita sobre as dicas que eles te deram.

4 -Expectativa versus realidade

Nunca, e eu digo nunca mesmo, crie expectativas. Cultive uma planta, cuide de uma vaca, limpe a casa, mas não crie expectativas. Elas vão te corroer por dentro e no final a realidade é bem distante daquele mundo de fantasias que você idealizou. Tom criou um relacionamento onde não existia, ele esperava certas atitudes de Summer e ela não as fez. Não criar expectativas é difícil, mas não impossível. Treine, pratique e quando você menos esperar elas não existirão, ou até estarão ali, mas você não ficará preso a elas.

Leia mais: Amor: Aprenda a não se decepcionar

5 – Curta o que faz

Essa não é de amor entre pessoas, mas amor pelo que se faz. Não desista dos seus sonhos, eles são possíveis. Não é porque não deu certo uma vez que você vai desistir de tentar. A melhor coisa do mundo é trabalhar com o que gosta! E se não está contente com o que está fazendo mude, troque de emprego. Faça como Tom, peça demissão e vá em busca do que te faz feliz.

6 – Deixe do tamanho que é

Não aumente um amor que era do tamanho de um copo para o tamanho do Sistema Solar. Não distorça o tamanho dos sentimentos, atitudes e emoções. Você corre um grande risco de se decepcionar e passar dias de pijama, sem querer sair do quarto e comendo feito uma louca. Não podemos medir o amor, apenas senti-lo e cada um sente de um “tamanho” diferente. Para Tom o amor por Summer era do tamanho do Universo, mas para Summer tinha o tamanho suficiente para ser apenas amiga de Tom. E ninguém tem culpa por amar menos ou amar mais.

Leia mais: O amor e suas complicações: uma análise do comportamento de amar

7 – Aprenda com os amores que não deram certo

Podemos aprender a qualquer hora, basta estarmos atentos. Um ótima forma de aprender sobre relacionamentos e pessoas é com os amores não correspondidos ou os que um dia acabaram. Você aprende a se gostar mais, a ter autoestima, a entender que outros amores virão, que você vai amar cada um de uma forma diferente, que os sinais são extremamente importantes para não se machucar, que expectativas devem ser abandonadas e, principalmente, que você é muito capaz de se reerguer de um amor que não deu certo e continuar vivendo. A crise do término vai existir, mas você percebe que ela passa, e que novos amores virão.

8 – O amor nos faz fazer coisas estranhas

Amar alguém nos deixa suscetíveis a cometer vários micos em público!! É como se a tecla do “foda-se” para o que a sociedade pensa sobre o que eu faço ligasse e você saísse por aí cometendo várias insanidades. Mas o que seria da vida sem essas insanidades?!!

(Autora: Charlene Peruchi)
(Fonte: eoh.com.br)
*Texto publicado com a autorização da administração do site

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA