“Ninguém vai te amar até você aprender a amar a si mesmo” é uma frase bastante fácil para se acreditar que é verdade.

Mas é terrível, especialmente quando você tem depressão. E se você nunca aprender? Como uma adolescente, isso me deixava muito preocupada em como seria minha vida como uma adulta. Eu tinha certeza que nunca seria capaz de ter um relacionamento, mas eu estava errada. Honestamente, eu não gosto muito de mim, e para minha surpresa, em agosto de 2013, um garoto ficou perdidamente apaixonado por mim.

Eu tenho lidado com a depressão desde quando me lembro. Já tomei e parei com diversos medicamentos,  fiz terapia   mas ela está viva e bem, confortável em sua casa, dentro dos meus ossos  Eu posso sentir isso todos os dias, pode começar com um pequeno indício que causa dor emocional insuportável nos momentos mais inconvenientes  . Minha depressão não se importa se eu estou em um relacionamento com um rapaz que me faz rir , me diz que eu sou bonita 20 vezes por dia, e se preocupa mais comigo do que qualquer outro garoto já se preocupou. Eu sou grata pelas noites em que ele me conforta enquanto eu choro por horas seguidas sem motivo.Eu sou grata porque ele tolera os meus períodos de irritabilidade sem hora para acontecer.

Ele rapidamente tenta me consolar, se eu de repente me sinto desconfortável quando estamos em público. Ele me enche de esperança para o futuro, quando eu me afundo no mais escuro dos caminhos, brinca com o meu cabelo quando eu não consigo dormir, e me incentiva a comer quando não tenho apetite. Ele cuida de mim e eu nem sequer tive que me explicar ou pedir desculpas. Eu ainda consigo pensar comigo mesmo, nove meses depois de iniciada essa relação : “Uau, alguém está apaixonado por mim.

“Muitas vezes penso sobre como tenho sorte de ser amada , independentemente das minhas falhas químicas. Este amor intenso é assustador, porque dia após dia, eu fico esperando que uma hora, uma dessas coisas vai empurrá-lo sobre a borda do limite da tolerância. Que na próxima vez  que estiver me revirando na cama, com os olhos marejados, por nenhuma razão, vou acabar por afastá-lo. Eu sei que isso o perturba, e eu tento tranquilizá-lo dizendo através da minha  visão turva e salgada que não é culpa dele. Muitas vezes me sobrecarrego com culpa e odeio que meus sentimentos sobre mim mesmo possam causar alguma dor a ele. Às vezes, ele não se convence facilmente, mas eu tento tão duramente quanto eu posso com a pouca energia que me resta. Algumas de nossas noites terminam em um abraço apertado e um murmurado “me desculpe” saindo dos meus lábios, mas eu sou muito grata que ele ainda tem o prazer de acordar comigo todas as manhãs. Cada dia é uma luta.

Estou constantemente no limite, indo e voltando entre cuidar muito e não se importar com nada, me perguntando quando ele vai se encher disso tudo . Ele é rápido para me lembrar o quanto ele me ama , mas eu sou mais rápida para superar essa confissão com uma dúvida paralisante. Nós dois sabemos que será assim para sempre, e se ele não desistiu ainda, é porque ele está 100% comigo.Nunca deixe ninguém lhe dizer que você não é digno de ser amado, se você não amar a si mesmo.

Nunca deixe ninguém lhe dizer que sua doença mental é a razão pela qual você não está em um relacionamento. Nunca deixe ninguém lhe dizer que você deve sorrir mais , mudar o seu penteado, ou usar roupas mais coloridas. Nunca deixe ninguém fazer você se sentir mal sobre o que você não tem total controle. Alguém vai estar apaixonado por você, independentemente de seu melhor estado de saúde, e se isso acontecer enrolados no chão de seu quarto, chorando enquanto ouve as suas músicas tristes favoritas, então tenha certeza de ter encontrado o amor verdadeiro.

(Autora: Holly Everett)

A tradução, revisão e adaptação foram feitas exclusivamente para o Fãs da Psicanálise pelo nosso colaborador Genaldo Vargas.

Compartilhar
Genaldo Vargas
Psicanalista, Palestrante, Professor Universitário, Viajante do mundo, curioso e eterno aprendiz..... É colunista do site Fãs da Psicanálise.



26 COMENTÁRIOS

  1. Pensei a mesma coisa do outro comentário, na verdade era isso que eu esperava ler, “como é uma pessoa com depressão amar algurm” ao invés de ser amado, todos podemos encontrar alguém que nos ame, mas como fazemos pra retribuir e manter esse amor quando temos depressão, digo por experiência própria de que não sei como fazer isso, seria muito muito interessante um texto assim. Obrigada!

  2. O texto foi muito bom, porém não era o que eu esperava ler, acreditei que fosse um texto sobre como alguém com depressão pode amar outra pessoa, ser amado todos podem ser, mas como alguém com depressão pode amar e conseguir manter o amor por outra pessoa, pq por experiência própria eu posso dizer que não tenho idéia de como fazer isso. Obrigada!

  3. O texto perdeu o encanto quando mudou da linguagem intimista para a generalista da auto – ajuda, oferecendo uma resposta mágica para um problema que parece insolúvel ( a insuportável depressão da personagem ), mesmo com o poderoso “solvente” amor.
    Se a busca da personagem apenas sugerisse a “mágica resposta”, como apenas um caminho a seguir, ou a possibilidade de um destino, aceitando aos poucos o amor oferecido pelo namorado, faria com que a “viagem” da leitura fosse mais interessante que a chegada ao destino.

  4. Que lindo o texto. Confesso que esse é um dos meus maiores medos, de nunca me sentir amada por causa da minha depressão. Tenho medo até de fazer amizades por causa disso, imagina entrar em um relacionamento.

  5. Adorei, pois era justamente o que esperaav saber de um relacionamento com alguem que tem depressão, o quanto o outro pode te cobrar algo e ter chamar até de agressiva etc
    Gostei de saber que aguém especial pode estar o nsooso lado.

  6. Claro que é possível ser amado tendo depressão. Difícil é, depois de tantas noites com crises, o outro permanecer junto. Quando o outro, apesar do amor, não aguenta mais. Quando o amor não basta. Quando a sua doença vira motivo pra acusações, traição, cobrança do que não está sob seu controle. E como é difícil pra quem tem a depressão amar essa pessoa, apesar de tudo, e ainda conviver com suas crises pessoais.

    • Eu passei por isso. Fui deixava pelo meu namorado, depois de um ano e meio de namoro. Ele era a melhor pessoa pra mim mesmo eu tendo uma depressão difícil de lidar. Mas por fim, ele não suportou e me deixou. Eu o amo, e me sinto profundamente culpada e infeliz por te-lo perdido por eu ser depressiva. Não consigo viver com essa culpa. O que eu faço?

      • Pamela, amiga não se culpe, isso só irá piorar as coisas pra você, imagino como deve ter sido difícil o término desse relacionamento, mas não se culpe por ser assim , ninguém pede pra ser depressivo, mas quando somos , temos que aprender a lidar com isso , questionar e se culpar só te trará mais dor e sofrimento, falo por experiência própria. Não sei se você faz algum tratamento, se não seria bom procurar ajuda de um especialista, tentar saber a raiz dessa depressão e ver qual tratamento será mais eficaz pra você. E em relação ao rapaz que te deixou acredito que ele era muito apaixonado, porém eu não acho que o que ele sentia era Amor de verdade, pois o verdadeiro Amor tudo espera, tudo crê, tudo suporta. Eu falo isso porque estou em um relacionamento sério a quase 3 anos e antes mesmo de começar a namorar meu noivo já sabia dos meus problemas e crises ele já era meu melhor amigo , e sempre me ajudou com as crises, e quando começamos a namorar ele foi provado, pois tive uma das piores crises da minha vida, o primeiro ano de relacionamento foi muito turbulento, mas em momento nenhum ele desistiu, ele entrou nessa batalha junto comigo e juntos temos lutado e vencido pra glória de Deus, não vou dizer que é fácil, mas não é impossível! Por mais difícil que seja é possível sim amar e ser amado quando se tem depressão. Eu desejo de coração que você possa ter alguém pra ajudar a lutar também, que não desista nunca. Espero ter ajudado de alguma forma, que Deus a abençoe!

  7. Eu esperava ler como uma pessoa com depressão ama. Não, eu não tenho depressão, mas meu namorado tem. E, estando do lado de cá, gostaria de entender como as coisas funcionam do outro lado.
    Se alguém pudesse me responder aqui msm nos comentário, eu adoraria.

    • Olá! Tenho depressão desde a adolescencia, e ja tive alguns relacionamentos… e o que posso te dizer, é que amoooo demais meu marido e me dói muito não conseguir ser uma mulher melhor pra ele. E o que me mantem amando-o cada vez mais é justamente o carinho e cuidado que ele tem por mim, me faz me sentir segura… nada melhor do que ter carinho e apoio.
      Não sei se consegui explicar bem… qualquer coisa pode me perguntar o que quiser, ta?! Eu ando querendo fazer um canal justamente pra falar sobre como é viver com essa , desculpe, maldita depressão… vejo que muitas pessoas tem muitas duvidas sobre essa doença e principalmente como lidar com pessoas que tem. o que acha?

  8. Era tudo que eu precisava ouvir/ler hoje. Tenho depressão e muitas vezes me pergunto se alguém vai um dia gostar de mim mesmo com toda essa minha inconstancia de emoções. Hoje mesmo pensava “para alguém me amar é necessário que eu ame a mim mesma, mas eu não me amo. não suficiente.” e esse texto foi a resposta que Deus me mandou para tais pensamentos. A quem quer que tenha feito esse texto, obrigada. Está perfeito, não há nada que precise mudar e que ele continue motivando mais pessoas por aí assim como remotivou hoje.

  9. Quando li os comentários sobre o texto com as pessoas falando “é lógico que você pode ser amado quando está com depressão, gostaria de saber como é uma pessoa com depressão ama alguém”, queridos não é lógico para uma mente com depressão que você pode ser amado, pelo contrário, você duvida até que a sua sombra possa te deixar sozinho, imagina alguém amar você? você é um que? um nada, um lixo, por que alguém iria querer enfrentar todas as dificuldades por você? Então não é fácil você aceitar e muito menos acreditar que alguém possa te amar. “AAAH, mas existem seus familiares e seus amigos que te amam”, NÃO, em nossa cabeça estamos sozinhos e as pessoas tem somente pena, porque amor é uma palavra muito forte para ser dirigida ao um ser inútil que ninguém vai sentir falta se morrer. “AAAAAAAAAAAH, mas se você não se ajudar, não se amar nunca irá sarar” LÓGICO eu curto sofrer por isso escolhi ter depressão, PARE, depressão é uma doença, já chegaram a me falar que era graça e que sarava com uns tapas, ignorantes apenas, doença se cura com remédio e com tratamento. E não é apenas levantar e sair sorrindo saltitante pelo mundo, não é fácil nem para quem esta com depressão e nem para as pessoas que estão ao seu redor lembro que quando eu estava encolhidinha em um canto em um momento de crise chorando, um ex namorado me disse “você é louca deveria procurar um psiquiatra”, CERTO, me ajudou muito, me senti mil vezes mais lixo, mas com isso eu aprendi a diferença de quem me ama e quem não passa de um ser ignorante, quando comecei a namorar meu marido, minha depressão piorou, pois meu primo que eu tanto amava faleceu, minha cabeça ficava “por que ele morreu? quem tinha que morrer sou eu, eu queria morrer, ele não, ele queria viver para conhecer o filho dele, as pessoas vão sentir falta dele, eu vou, mas de mim ninguém sentiria, então eu deveria ter morrido e não ele”, minhas crises ficaram mais constantes, me exclui mais do mundo e para ajudar meu remédio tinha acabado, minha psiquiatra estava de férias, certa noite eu tive a pior crise, meu peito doía tanto, não suportava, comecei a me machucar para a dor do peito ser menor que a dor física, meu namorado (atual marido) me segurou, começou a chorar e pediu para que eu parasse, entendo que ele não tinha noção do porque eu estar me machucando, ficou até aproximadamente umas quatro horas da manhã tentando me acalmar e no dia seguinte eu tomei a decisão de terminar o namoro, pois pessoa nenhuma merece uma louca (como já haviam me dito), merecia ser feliz e com alguém que não precisasse passar madrugas acordado tentando acalmar. Porém ele escolheu continuar comigo, na verdade as vezes eu ainda não entendo exatamente o porque, mas sei que sem dúvidas ele merece que eu esteja sempre ao lado dele, pois em vários dias, meses e até hoje, ele ainda não desistiu de mim e mesmo achando que uma hora ele vai se cansar das minhas crises, me deixando, ele passa a cada dia a me mostrar que é o contrário, que vai continuar aqui e que vamos superar isso juntos. Sei que não deve ser fácil para ele, pois não é legal fazer de tudo pela pessoa e essa sempre estar duvidando do seu sentimento, involuntariamente lógico, porque em minha cabeça ainda acho que não sou eu que deveria estar aqui, que ele merecia ser feliz com alguém melhor e que um dia vou voltar a estar sozinha abraçada com a minha gata chorando, mas aos poucos ele me convence que pode ser eu, a gata e ele assistindo qualquer coisa na tv, talvez um dia tudo isso passe e eu possa faze-lo feliz como ele me faz quando estou sã.

  10. Jenifer exatamente isso que passo só que faço o papel do seu marido.Teu comentário foi excelente! É bem difícil lidar com essa situação! Desejo que consigas superar essa doença. Bjs

  11. Uma pessoa com depressão muitas vezes não quer estar ao lado de ninguém,acredita que o outro não merece estar ali,e que em qualquer momento este outro pode larga-lo. Muitas vezes uma pessoa com depressaõ termina relacionamentos de forma egoista, pouco se importando com o sentimento do outro. Provável que o depressivo não tenha a visão de alteridade, ou seja, a visão do outro, vivendo muitas vezes de forma egoísta. Para o outro, um sentimento de incapacidade, de frustração surge, pois ao se doar tanto e ser muitas vezes expulso do convívio sem explicações lógicas , o faz assim se sentir. Uma pena, pois quando o depressivo assim age, ele está somente caminhando para um abismo íntimo, sem chances de sair do mesmo!

  12. Uma pessoa com depressão muitas vezes não quer estar ao lado de ninguém,acredita que o outro não merece estar ali,e que em qualquer momento este outro pode larga-lo. Muitas vezes uma pessoa com depressaõ termina relacionamentos de forma egoista, pouco se importando com o sentimento do outro. Provável que o depressivo não tenha a visão de alteridade, ou seja, a visão do outro, vivendo muitas vezes de forma egoísta. Para o outro, um sentimento de incapacidade, de frustração surge, pois ao se doar tanto e ser muitas vezes expulso do convívio sem explicações lógicas , o faz assim se sentir. Uma pena, pois quando o depressivo assim age, ele está somente caminhando para um abismo íntimo, sem chances de sair do mesmo! Quanto ao outro, mendicâncias mil ele adota, porém sem sucesso, acabando por ter seu sentimento minado e destruido. Sofre ao não ter como ajudar, ao não ter como modificar o pensamento daquele que tanto o inspira.

  13. Tenho 34 anos e sou depressiva desde sempre. Meu relacionamento mais duradouro foi de 7 meses e há 5 anos não me relaciono com ninguém. Não me acho merecedora de amor. 🙁

  14. Este texto poderia ter sido escrito por mim. Agora vou contar o final da história …
    Eu sempre tive depressao e só fui ter o primeiro namorado em agosto de 2013, como a pessoa do texto. Ele me ajudou a superar diversas barreiras da minha vida. Foi uma das pessoas mais importantes da minha vida. Acontece que meu desanimo me venceu. Depois de quase 3 anos, eu não conseguia nem ir encontrá-lo, furava encontros, ficava jogada ou com enjoo, gastrite, sempre tinha um empecilho que parecia enorme de superar. Ele adora sair, nesses dias ia encontrar os amigos, eu não achava ruim e até aliviava o sentimento de culpa. Não tenho o direito de prender alguém em casa, e era coisa de amigos, só rapazes. Acontece que ele acabou se apaixonando por outra,uma menina linda muito mais nova, animada, baladeira. Não tive como competir. Ele me traiu e me abandonou por ela, estão namorando. E eu, com a depressao e desanimo, e a saudade e a rejeição, e o sentimento de que falhei, que a depressao foi maior, não consegui manter meu único relacionamento. Estou vivendo um pesadelo. Comecei a fazer terapia…

DEIXE UMA RESPOSTA