Todo o Brasil se emocionou com a conquista da nossa Rafaela Silva. Moradora da Cidade de Deus, de origem humilde, Rafaela passou por maus bocados após a Olimpíada de Londres e chegou a pensar em desistir do esporte.

Como ela própria destacou, Rafaela ouviu insultos racistas e afirmações de que ela era motivo de vergonha para sua família.

Não menos heroico foi o feito do nosso Felipe Wu, que sem o apoio devido treinava incansavelmente no quintal de sua casa e hoje comemora a certeza de ser o segundo melhor do mundo.

Tem noção do que é isso?

Esses dois brasileiros são a cara da superação e podem nos mostrar muitas coisas. Uma que fica muito evidente é como nossa sociedade ainda está impregnada com sentimentos e pensamentos racistas.

Leia mais: Judoca de Ouro superou racismo e depressão para brilhar nas Olimpíadas do Rio

Mas se pararmos para pensar profundamente sobre isso podemos ver que existe algo além do racismo. Existe a raiva daqueles que nada fazem de suas vidas, é uma raiva que eles têm de si próprios, por não ter coragem para realizar, por preferirem suas zonas de conforto e acabam por projetar essa raiva que é de si mesmos nos outros.

Repare na sua vida, não precisa ser um feito tão grandioso quanto uma medalha de ouro.

Lembre momentos que você tentou fazer algo diferente. Você ouviu mais palavras de incentivo ou de desmotivação?

A gente precisa ter muito cuidado com o que nossos ouvidos escutam, pois há muito mais críticos lá fora do que incentivadores.

Leia mais: Como identificar e superar críticas negativas com sabedoria

Quando você está perto ou inclinado a conquistar algo especial, muitos que estão ao seu redor podem emanar uma energia negativa, pois a sua conquista vai mostrar todo o fracasso da vida dessas pessoas.

Além disso, todo mundo sempre é especialista na vida dos outros. São poucos os que arriscam algo diferente que possa mudar o mundo e lançam a cruel frase: desiste, isso não é pra você!

Rafaela ouviu e quase desistiu. E você, já desistiu de algo? Por esse motivo?

Leia mais: Às vezes, para viver temos que ignorar muitas pessoas

Esses dois jovens, hoje motivo de muito orgulho para toda uma nação, certamente tiveram que lutar contra seus monstros pessoais, suas fraquezas e toda a dificuldade de ser atleta em um país que não patrocina de fato essas pessoas, assim como não patrocina você.

Então faça como eles: treine incansavelmente, tape seus ouvidos para os comentários negativos, siga seu coração e acredite nos seus sonhos. O brilho da prata ou do ouro hão de chegar!




SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA