Existe um verbo muito bonito e comumente utilizado pelos profissionais da Psicologia chamado “ressignificar”.

Farei uma breve reflexão sobre o seu significado lá na raiz, na origem desta palavra, para que você utilize esse conhecimento com o propósito de se tornar um ser humano melhor.

O mais comum de se pensar em relação a esse verbo é: “Dar um novo significado a algo…”. O que está correto!

Ressignificar realmente é dar um novo significado a alguma experiência, pois o “re” significa “de novo” ou “novamente”.

Porém, na raiz, essa palavra significa: “retirar AFETO de alguma coisa”. Vamos entender o que isso quer dizer.

O significado desse verbo é maravilhoso, pois ao ressignificar uma experiência, você está retirando o afeto que ela tem sobre você, ou seja, ela não lhe afeta mais, não retira suas melhores energias, ela não lhe angustia mais, nem lhe deixa nervoso, com raiva, com medo etc.

Vou citar apenas um exemplo no qual é bastante comum aparecer essa palavra. Quando um pai ou uma mãe perde um filho por conta de uma tragédia como um acidente de carro, ou um assassinato por um bandido ou mesmo por ingestão excessiva de drogas.

Leia mais: Ressignificando a morte de um filho

Esses pais ficam com uma lacuna enorme no coração e uma dor que faltam palavras para descrever. É muito difícil conviver com a ausência de um ser que você mesmo colocou no mundo e cuidou desde quando era apenas um bebê. Imagino os traumas que ficam no coração destes pais.

Para eles, é preciso ressignificar essa experiência traumática. Aqui vem um detalhe muito importante. Guarde isso! Ressignificar não é ESQUECER. Jamais! É retirar o afeto que a experiência teve sobre a sua vida.

Em relação aos tipos de morte desse filho que coloquei, ressignificar para cada situação seria.

  • No caso de um acidente de carro é ter a consciência de que o jovem morreu por uma fatalidade e mesmo ao dar conselhos sobre excesso de velocidade, cabia ao garoto tomar a consciência por si só que não poderia andar com grandes velocidades.
    Em um assassinato. Saber que nossa vida é muito frágil e não se sabe se sempre seremos protegidos da violência urbana, que infelizmente, ainda é muito grande no nosso país.
  • A morte por ingestão de drogas também depende das escolhas pessoais do jovem. Nesse caso é preciso ter a consciência e ensinar os filhos que as drogas podem matar e fazem um mal terrível. Para esse caso a melhor forma de ensinar é através do exemplo pessoal, mas lembre-se! Às vezes até com o exemplo pessoal um filho envereda para o mundo das drogas e ficar se culpando por isso não ajuda nem um pouco.
  • As pessoas que sofrem com experiências dessa natureza sentem muita CULPA, e por causa da culpa dizem o tempo todo para si as famosas palavras: “Eu deveria ter feito isso, deveria ter feito aquilo, deveria ter dito aquilo outro…”.
Leia mais: o Luto e o Silêncio da Morte

Sim! Deveria, mas não fez, agora ficou a experiência e a lição deixada pela própria vida para não agir da mesma forma.

Isso é ressignificar, é retirar o afeto, e muitas vezes esse afeto vem em forma de CULPA.

Antes de concluir. Sei que muitos se fazem a importante pergunta. “Mas o que eu posso fazer para ressignificar algo que foi tão dolorido para mim?”. Eu sei que não é fácil, mas espero que você anote a dica que vou lhe dar, porque ela é preciosíssima.

Em minha opinião, a melhor forma de ressignificar experiências doloridas e traumáticas se dá através de três palavras: PERDÃO, ACEITAÇÃO e NÃO RESISTÊNCIA.

Leia mais: A valiosa joia do perdão

Das três, a mais importante, sem sombra de dúvidas, é o perdão.

Quando você perdoa a si mesmo e aos outros, aquilo deixa de ter peso na sua vida. O perdão é uma forma de cura das nossas emoções e enfermidades. Na realidade, ele é, juntamente com a GRATIDÃO, compõe os dois maiores poderes que o ser humano possui. Portanto, se perdoe! Você só tem a ganhar com isso…

A aceitação é ter a consciência que muitas coisas simplesmente não podem ser mudadas. Lembra a oração da serenidade?

“Concede-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar; coragem para modificar as que posso e sabedoria para distinguir uma da outra.”

Ou seja, coragem para mudar tudo que pode ser mudado e serenidade para aceitar em paz o que não pode ser mudado. Essa oração é muito sábia. Percebe? O que não pode ser mudado é o passado, a serenidade é a força para viver o momento presente e a coragem é a garra para enfrentar as situações do futuro…

Leia mais: Sim, a vida segue: revisitando minhas memórias

Para complementar essa ideia da aceitação, compartilho também a sábia e profunda visão do místico Osho.

“A mente sem aceitação não aceita nada. Mas, se conseguir aceitar a sua solidão, a sua depressão, a sua confusão, a sua tristeza, você já estará transcendendo. Aceitação é transcendência.” – Osho –

Lembre-se sempre: Aceitação é transcendência

Por último, a não resistência, porque a resistência deriva do medo, dos receios, da culpa, a autocondenação, do orgulho entre muitas outras causas. Para acabar com a resistência o mais importante é se tornar cada vez mais HUMILDE. É saber que está nessa vida para aprender e para se tornar um ser humano melhor a cada dia. É saber que erra e que os erros, quando bem retirados os ensinamentos que suas experiências nos trazem, podem nos levar pouco a pouco à sabedoria!

Leia mais: Humildade não é se diminuir, é não se vangloriar

Com relação à resistência ainda tem a persistência. Lembra o ditado “Tudo aquilo que você resiste persiste…”? Pois é! Persiste na forma de mágoas, raivas, rancores, doenças, tristezas etc. E o que é essa persistência nesse caso? É o afeto das experiências que não foram ressignificadas, compreende?

Se algo está lhe afetando é porque ainda existe sim algum tipo de resistência que precisa ser quebrada…

Guarde essas três palavras: Perdão, aceitação e não resistência. Talvez esse seja o melhor caminho para ressignificar tudo aquilo que te fez sofrer, a fim de que você tenha uma vida muito mais rica e próspera

(Autor: Isaias Costa)
(Fonte: blog.opovo.com.br)

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise

A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



8 COMENTÁRIOS

  1. No início enquanto ainda embasado no termo”ressignificar” o texto estava bem reproduzido, a partir do momento que você caiu no poço do clichê e frases feitas e tão repetidamente dita, frases que das quais são vazias e superficiais demais pra quem está passando por momento delicado como esses citados, o texto empobreceu… Uma pena, a palavra ressignificar tinha muito mais potencial para ser explorada e exposta. O ser humano sempre se perde quando acha que sua função é fazer de sua verdade uma verdade absoluta… uma pena. Não vou nem acrescentar sobre a citação de Osho, já que particularmente a mim ele não diz absolutamente nada, uma vez que ele muito falou… para os outros, já a si mesmo parece que pouco se ouviu… enfim… A mim parece um trabalho que iniciou com material e disponibilidade e de repente os prazos foram se encurtando e o autor concluiu caindo no conforto ariscado da zona dos clichês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here