Elderly couple in a private retirement home

Dois conceitos precisam ser destacados para se pensar sobre onde está a sexualidade do idoso: idoso e sexualidade.

Idoso, segundo a Lei nº8. 842, é a pessoa que possui 60 anos ou mais.

Magda Maria Silva Tavares e Valeria Sena Carvalho conceitua que a “sexualidade é  um fator que ocorre naturalmente na vida do ser humano, independente da idade, é um elemento básico da personalidade que determina no indivíduo, um modo particular e individual de ser uma forma de expressão que se adquire e se aperfeiçoa durante a vida inteira.”

Freud nos traz a concepção que a sexualidade está presente em todo o desenvolvimento e formação do ser humano. Através das zonas erógenas,  muitas relacionadas aos sentidos (olhar, olfato, boca, ouvidos, tato, e também os esfíncteres) a sexualidade é construída e constitutiva do sujeito.  A influência de como é cuidado, tocado e estimulado, instiga o ser humano a perceber a voz, o cheiro, o toque, a higiene, enfim, tudo que o remete ao mundo e ao Outro. Assim a sexualidade está em todo ser humano.

A sexualidade promove a libido, energia sexual que Freud denominou como provedora do desejo de viver. Desta forma, como cita VIDAL (2002):

“A sexualidade não se restringe aos impulsos sexuais, nem aos órgãos sexuais, ou ao mero ato sexual, portanto, trata da interação harmoniosa da genitalidade, da afetividade e da relação interpessoal, motivo pelo qual não é um meio de prazer apenas, é uma linguagem do ser humano, do corpo.”

Na atualidade, percebe-se que há muitos mitos e estereótipos sociais que refletem ideias errôneas e colocam o idoso como dessexualizado.

Santos (2003), também concorda que  “o idoso não perde a sexualidade, mas a redescobre, e nessa perspectiva se deve olhar as possibilidades criativas construídas pelo corpo vivido de vivenciar essa sexualidade.”.
Em todo o desenvolvimento do ser humano,, as mudanças hormonais e físicas decorrentes do processo de envelhecimento (envelhecemos desde que nascemos), não ocasionam a diminuição da libido, motivo pelo qual o idoso tem a sua sexualidade.

Envelhecer  –   en-ver-lhe ser,  dentro da premissa de olhar o ser que se transforma ao longo do tempo, coloca a sexualidade de todo ser humano no mesmo lugar, independente da idade que se possui, pois como nos alerta Freud, o inconsciente é atemporal.

“Só o desejo inconsciente ou um desejo que chegue até o inconsciente possui a força para formar um sonho.” Freud 1901

Compartilhar
Rachel Cantelli
Psicóloga. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA