Muito legal essa oportunidade que estou tendo em escrever sobre o tema sexualidade para o blog “Fãs da Psicanálise”. Agradeço novamente pelo convite, e espero fazer as pessoas pensarem mais sobre o assunto, de uma maneira “fora do padrão”, ou seja, se utilizando das informações que vou colocar aqui, poderão ter opinião própria sobre o tema.

Desejo: ato de desejar, cobiça, apetite. É assim que o dicionário define a palavra desejo. E você? Quais outras definições e sinônimos poderia incluir, somar à essa palavra? Vontade? Sonho? Necessidade?

Já parou para pensar que desejamos o tempo inteiro? Você lendo esse texto, pode desejar algo nesse momento. Descansar, comer, beber, rir, chorar… E de onde vem estes desejos? Se eu disser, que existe dentro de nós algo que nos “manda” fazer coisas, que nós mesmos não temos noção de que precisamos, mas que por impulso nós agimos afim de saciar essas necessidades psicológicas (e orgânicas também), e com isso equilibrar todo o nosso aparelho psíquico, nos fazendo se sentir mais calmos, tranquilos? Você aceitaria sem exitar, acreditar nesse “ser” que nos controla? E que ele age inconscientemente, ou seja, sem você perceber?

E quando falamos dos desejos sexuais? Você acha que eles surgem de onde? Temos dentro de nós o instinto animal da reprodução, mas quando desejamos ter prazer, o sexo geralmente está relacionado (ou não… tem gente que prefere comer chocolate).

A sexualidade é muito maior que o sexo. É o desejo em tocar, abraçar, beijar o outro. É passar para o parceiro (ou parceira) o seu amor, visando a felicidade, o prazer do outro em primeiro lugar, e não saciar os meus desejos primeiramente, mas sim o do outro. É começar o dia com um abraço, um beijo mais forte, e encontrar a pessoa no final do dia e terminar o que começou de manhã.

Aqui no blog irei dissertar mais sobre a sexualidade, procurando mostrar para vocês que ainda somos muito “primitivos”, e que o sexo, a relação sexual é um detalhe, e não o ponto final. Além de muitas outras informações, que possibilitem vocês a ousarem mais, se boicotarem menos…

Lembrem-se, o desejo é o começo da sexualidade.

Até a próxima!

Compartilhar
Paulo Jacob
Psicoterapeuta com Formação em Psicanálise Clínica, Especialização em Técnicas de Acesso Direto ao Inconsciente, Capacitação em Hipnose e Hipnoterapia Comportamental. Professor de Psicanálise e Analista Didata no Centro de Estudos em Psicanálise Clinica - WCCA Psicanálise. Atuando na Nossa Clínica Psicanálise situado em Campinas/SP. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA