Quem eu sou? O que eu quero?

Estas são perguntas que vez ou outra nos fazemos, mas por não obtermos resposta imediata, já que a pergunta é ampla, deixamos pra lá e mergulhamos na rotina, na correria da vida e por mais um tempo, ficamos cegos e surdos sobre quem realmente somos.

Mas neste momento, pare pra pensar… , várias vezes, calmamente e se pergunte:

QUAL O PROPÓSITO DA MINHA VIDA? PARA QUÊ ESTOU AQUI? O QUE REALMENTE QUERO?

Quando você faz a pergunta, algo em você começa a se movimentar para encontrar a resposta.

Na ânsia de correr atrás de coisas materiais, necessárias sim para nos mantermos neste planeta, acabamos por não nos conectarmos com o real propósito da nossa vida.

Leia mais: 5 perguntas para ajudar você a enxergar seu propósito de vida

Você acha realmente, que nasceu neste mundo apenas para correr, trabalhar, estudar, comer, fazer sexo, beber e se divertir?

Não estou desqualificando a importância dessas atividades ou necessidades, mas será que o sentido da sua vida está realmente nisso?

Trabalhando com gente, há pelo menos 10 anos, observo que a cada dia mais, as pessoas estão desconectadas de si mesmas, do propósito de sua existência; entra ano e sai ano e elas não conseguem obter resposta sobre quem são e o que querem ou então, nem sequer, arranjam tempo para fazer a pergunta! E o que acontece?

Leia mais: Desconectar para conectar

Chegam no consultório, em sofrimento, com o coração sangrando, sentindo a vida vazia e não sabem onde estão errando. Percebo que, muitas vezes, as várias psicopatologias (depressões, transtornos de pânico e ansiedade, entre outros) se apresentam como uma forma especial que a vida tem de devolver o individuo para o caminho certo: sua própria essência.

A doença, deste ponto de vista, é encarada como uma possibilidade do individuo parar, colocar o pé no freio, olhar para o seu corpo e pra dentro de si e perguntar-se o que precisa realizar na vida, qual seu verdadeiro propósito! E o que tenho presenciado, quando a pessoa se permite, é um desabrochar, um auto-encontro!

Chegam para o processo terapêutico tão sofridas e tão distantes de suas reais necessidades e saem, tempos depois, com os pés firmes no chão e o olhar para o alto, cientes de que estão conectadas, com a terra e o céu, consigo mesmas e com o Universo que as acolhe.

Encontrar seu propósito, sua missão na vida, não é tarefa das mais fáceis, mas é uma busca que vale a pena!

Leia mais: Quem sou? – Rubem Alves

Quando você sabe quem é e para quê está, tudo flui em harmonia! Quando falo de missão, não estou falando de algo grandioso, de atingir muita gente, de ser famoso, de ser conhecido…

Não! Estou falando de ser VOCÊ, de assumir sua natureza amorosa, de descobrir valores e significados que antes não via.

Fique com você. Comece pelo corpo. Sinta seu corpo e sua respiração. Deixe o ar entrar e sair e só observe. Perceba como quando você foca na sua respiração, ela começa a fluir com harmonia. Deixe que os pensamentos entrem e saem, sem se apegar a eles. Se sentir sua respiração apertada, procure levar o ar, lentamente, até o baixo ventre. Inspire e expire calmamente, várias vezes. Sinta sua natureza sagrada e amorosa.

Leia mais: Você gosta da sua companhia?

Conecte-se com o que você tem de melhor! Não fique paralisado olhando para seus defeitos, olhe para eles, trate deles, mas saiba que você é muito mais do que isso!

Olhe para o melhor que há em você, para suas virtudes e fazendo esse exercício, constante e calmamente, você vai encontrar suas respostas. Experimente!

(Autora: Daniela Palmeira)
(Fonte: vocepodeserfeliz.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA