Mulher que alega enxaqueca para não transar não tem classe.

A dor de cabeça é preguiça, ela demonstra que não tem nenhuma motivação em esconder a ausência de apetite, que você não vale nem o esforço de mentir. Não merece uma desculpa convincente.

Zomba de sua tara. Nas entrelinhas, avisa: cai fora, e vira definitivamente ao lado. A relação está com os dias contados. Não é falta de vontade de sexo, é falta total de ânimo para ficar junto, até para dormir junto.

Elegância é quando ela desvia o assunto com histórias tristes. Mulher quando vai para cama e conta tragédias é que ela está decidida a não transar. Ela pôs isso na cabeça desde o café da manhã e não muda de ideia. Porque a mulher acorda sabendo que vai dar ou não. Não duvide da premeditação — ela se conhece mais do que o homem.

Óbvio que identifica os sinais no radar, a mão do parceiro deslizando desde o banheiro, o convite dos beijos, o beijo fica lânguido, molhado, espumoso, qualquer um percebe quando o outro está excitado, não é um mistério. Natural que ela evite discutir o assunto diretamente, tipo “não estou a fim hoje” ou “estou muito cansada”. Será muito desgastante, seu companheiro se sentirá um fracassado, aparecerão espinhas residuais da adolescência. Ou se encherá de autoridade para denunciar o tempo de abstinência. Virá com um relatório, são sete dias e 20 horas no seco!, como alguém que pede um reajuste salarial. Sempre quando confessamos que não desejamos nada naquela noite, temos que explicar durante horas o motivo. Há a tese unânime de que seria mais simples transar do que discutir.

A objetividade é insana no relacionamento. Por que existe um medo tremendo de ser enganado, de não detectar o desamor a tempo, como se fizesse diferença descobrir antes ou depois. A insegurança gera evasivas. Ninguém fala o que realmente quer ou não quer, com receio de melindrar. No brasileiro, a síndrome é doentia, a reputação tropical e quente derreteu nossos miolos. Aqui, não trepar é não amar. Diante da negativa, instala-se a desconfiança: não se interessa mais por mim?

A esposa está indisposta sexualmente quando recorda da avó doente. É um truque repassado de mãe para filha. Tem 100% de aproveitamento. Toda fêmea guarda na manga da camisola sexy uma ancestral doente ou no asilo. Nunca mencionou sua existência durante cinco anos de convivência. De supetão, ela surge, imperiosa, desgrenhada, carente e abandonada. Sua mulher põe dois travesseiros nas costas e senta para confidenciar da culpa por não visitá-la. “Será que ela se lembra de mim? Tão triste e sozinha lá…”

Você está com o volume máximo na calça, cheiroso, malicioso como uma cobra na relva, e ela encerra o entusiasmo dos seus toques com reminiscências da parente adoecida. Se não frear seu ímpeto, irá repreendê-lo:

— Pô, é importante, não está prestando atenção, estou me abrindo…

Fodeu, ou melhor, não fodeu mesmo. Ela não está se abrindo, está se fechando. Use as velas aromáticas para o velório da avó. A sonolência pesará nas pálpebras, começará uma série de bocejos irresistíveis e dormirá primeiro, ainda por cima com a fama de insensível.

(Autor: Fabrício Carpinejar)

(Fonte: carpinejar.blogspot.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



6 COMENTÁRIOS

  1. E o que ele fez pra ela não querer? Passou o dia sentado, assistindo tv, ou na internet. Não fez patavina em casa, sequer foi comprar pão. Viu um monte de saradonas nuas, mostrando até o colo uterino e depois disso foi pra cama querendo só se aliviar, menos fazer amor…por favor! rsrsrs

  2. Muito bom e divertido…mas como mulher arrisco dizer que meu desejo é tão ardente quanto o dos machos, mas as vezes estamos realmente muito cansadas da rotina diária e é só isso!

  3. Entendo a charge da situação… E pode ter sido em tempos atrás desta maneira… Mas acredito que nos tempos atuais nós mulheres estamos mais diretas e objetivas… Sou latente na cama e se não estou afim falo na boa… Também já broxei… Simplesmente por lembrar de uma palavra mal colocada… Mulheres são mesmo assim… Ligamos emoções a tudo…
    Esclareço de forma tranquila e leve qualquer situação e tudo fica muito melhor… Ser transparente não é ofender… É se colocar e se valorizar.. Não precisar arrumar subterfúgios para tal. O sexo é muito bom… A cumplicidade é melhor ainda.

DEIXE UMA RESPOSTA