Vamos ver se Freud teria que lhe colocar em um divã ou se você precisa de alguma ajuda mais prática para resolver os seus dilemas existenciais.

Freud, Jung, Terapia floral, comportamental e até mesmo sessões de terapia junto de um filhotinho de cachorro.

Geralmente, os terapeutas aplicam mais de uma técnica em seus pacientes. Cada um conduz de uma forma diferente, mas todos chegam ao mesmo ponto no final. O que diferencia é a necessidade individual.

Basicamente as diferenças estão na postura do terapeuta, na metodologia usada por cada um e no objetivo a que cada tipo de terapia se propõe.

Se você quer mesmo dissolver os seus conflitos existenciais ou algum problema atual, faça esse teste e tentaremos lhe ajudar a saber qual tipo de terapia é o melhor para você.

Clique em: Vamos jogar!

*Não há respaldo científico.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Natthalia Paccola

Desde que começou os estudos em Psicanálise e Psicoterapia, a jornalista, bacharel em Direito e mestre em Ciências Naturais pela Unicamp,  Natthalia Paccola levanta uma premissa sobre a sua vida profissional: nunca aceitaria rótulos ou doutrinas acadêmicas. Mas é claro que sofre influências de vários pensadores.

Sua grande fonte de inspiração como autoridade em levar Luz para o Bem através de mídias sociais, no entanto,  tem sido os seus próprios seguidores, cerca de 10 milhões que passam semanalmente pela sua Fanpage, Grupos, YouTube, Site, Instragram ou Twitter.



40 COMENTÁRIOS

  1. Apesar da observação de que não há embasamento científico gostaria de deixar meu feedback de que realmente condiz com o que penso e especialmente como gostaria de trabalhar determinadas situações na terapia.
    Estou inclusive pensando em tratar sobre isso com a minha terapeuta. Fantástico!

  2. Ou seja, segundo o texto, todo mundo precisa de terapia….kkkkkk
    Perguntas triviais e qualquer que seja a resposta, vao mandar voce fazer uma delas…afff
    Psicologos, psicoterapeuutas, psiquiatras….vcs precisam de dinheiro??? eu tambem…

  3. A indicada para mim foi a cognitiva, porém terminou dizendo “Você está menos preocupado com o que causou esses sentimentos”, quando eu sou exatamente o oposto: tento analisar cada pensamento e sentimento em sua origem, o que pode ter me levado a ser assim, o que leva as outras pessoas a serem como são… e tendo a pensar muito e não fazer nada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here