Você já deve ter lido em alguma rede social a pergunta: Você prefere ser feliz ou ter razão?

Parece uma obsessão dessa gente metida a politicamente correta ou metida a superior. Eu, no alto da minha ignorância funcional, queria saber por que é que esse povo insiste nisso.

Alguém pode me dizer quando e por que alguém decidiu que Felicidade e Razão são coisas antagônicas? Não podemos ter razão e ser feliz, é isso mesmo que eles acreditam? Ah, não é nada disso e sim algo sobre… “não querer ter razão em uma discussão para não provocar a infelicidade…” Será que é por aí? Ainda assim, não faz o menor sentido na minha mente perturbada.

Pois é, se esse povo soubesse que é justamente a discussão que provoca conhecimento… mas não sabem. Ignoram os conceitos e significados corretos e se utilizam de bobagens a fim de parecerem seres bons e superiores, como disse acima. São de fato superiores, absolutamente superiores, no quesito ignorância.

Esse… Ser Feliz ou Ter Razão é ridículo. Parece coisa de gente que quer forçar a barra para que todo mundo não discuta mais. Como se toda discussão levasse a uma briga. Sim, sei que muitas vezes leva, afinal, quem é que tem bom senso para entender que não existe opinião errada, apenas diferente.

O que está acontecendo é que a sociedade está ficando boba. Boba de abobalhada mesmo. Ter opinião diferente da sua significa preconceito, radicalismo e tantas outras coisas que farão de você um ser inferior.

Os mais fracos, acabam sucumbindo a esse julgamento sem sentido e adotam a postura passiva que é o que mais temos visto por aí. Passividade em tudo. Por que? Porque não há mais gente disposta a bancar o que realmente pensa. Não há mais gente corajosa a ponto de enfrentar a trupe dos politicamente corretos, que, como arma, só tem a hipocrisia. E como essa arma é letal. Está tomando conta de mais de uma geração.

Leia Mais: Felicidade é inata ou nós aprendemos a ser feliz?

Todo mundo abrindo mão de sua opinião. Claro, se você não exercita, vai acabar ficando sem. Todo mundo abrindo mão de pensar, apenas seguem o que os outros fazem sem sequer questionar se aquilo é coerente com seus valores e pensamentos mais íntimos. Abrir mão de tudo parece ser a modinha do momento. Por isso estão se tornando alienados. Em todos os sentidos. Não há mais valores. Ou melhor, há sim, mas eles estão invertidos.

Minha ex-terapeuta certa vez me disse que eu me incomodava com a vida e com as pessoas porque não percebia que havia – e há – uma “Infantilização da Sociedade”. Dito isso, fiquei mais ou menos uns 20 minutos em silêncio até que a sessão se encerrou.

Antes de sair da sala, eu falei: “Essa infantilização está levando à idiotização e acho que é isso o que me incomoda, a minha idiotização e a das pessoas”. Isso foi há longos 8 anos atrás. De lá para cá, a coisa só piorou. As redes sociais não têm culpa não. Elas só apareceram na vida das pessoas dando a elas a oportunidade de se mostrarem. Um show de horrores em sua maioria.

Retomando, é meio por aí. As pessoas estão cada vez mais infantis. Duvido que alguém discorde disso. A idiotização também me parece que veio para ficar. Dou exemplos: Ser hipócrita como os Politicamente Corretos é ser idiota; querer vender a imagem de certinho e feliz nas redes sociais é outra idiotice sem tamanho; abrir mão de uma discussão – que de fato leva à produção de conhecimento – me parece outra coisa de idiotas.

Leia Mais: Compulsão: falsa felicidade

Não estou aqui dizendo que devemos brigar para ter razão a qualquer preço, não é isso. Estou dizendo com todas as letras que a pergunta inicial é descabida, tola, burra e idiota. A felicidade não pode e nem deve entrar em qualquer questão. Felicidade é como a religião deveria ser: Algo pessoal, intransferível e jamais compartilhada.

A gente compartilha momentos de felicidade com outras pessoas, é claro, mas sensação é única e individual. Está claro isso?

O que me deixa feliz é ter razão.

Calma, é só uma brincadeira com as palavras. A felicidade está na busca e não na conquista.

Em outras palavras, felicidade para mim é a jornada e que ela seja sempre muito intensa. Independente de ter ou não razão.

Se tem dúvida, faça o teste. Pegue aí uma bela conquista de sua vida e a analise do começo ao fim. Talvez perceba que foi durante o processo que você se sentiu realmente feliz…

A verdade é que a sociedade se tornou um bando do que chamo de Macacos de Repetição. Alguém inventa uma bobagem como essa de… Ser Feliz ou Ter Razão e todo mundo repete, compartilha a exaustão até que se torne uma verdade absoluta. Repetem coisas sem sentido e nem se dão o trabalho de questionar se faz ou não algum sentido.

A pergunta certa deveria ser: Onde é que essa sociedade vai parar? Mas quem é que está realmente preocupado com o que ensinamos aos nossos filhos, não é mesmo? Se é isso que buscam, que sejam felizes assim, alienados e sem razão alguma.

Compartilhar

RECOMENDAMOS

Marcelo Mello
Coach Pessoal e Empresarial, Consultor de Negócios, palestrante e escritor. É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here