Ouça a música “Ana Vitória part. Tiago Iorc – Trevo (Tu)”. Você pensou em alguém?

Se sim, vou te contar: Você é muito sortudo. A letra nada mais fala do que ter alguém que é tudo de bom na sua vida.

É trevo de quatro folhas? Um amuleto da sorte. Pela dificuldade de ser encontrado, quando achado, acredita-se que dá esperança e fé. E vê se ser comparado a esse símbolo não é um sinal de que você tem alguém que deve levar para a vida toda.

Manhã de domingo atoa, conversa rara e boa. Não tem nada melhor do que aquele domingo que você acorda, descansado, faz as coisas que você gosta de fazer. E nem se fale em conversar com alguém que você sente uma conexão, que você sente prazer e alegria.

Tu, que tem esse abraço casa, se decidir bater asa me leva contigo. É a mesma coisa de dizer para alguém: Você, que tem esse abraço enorme, que eu chamo de lar, se algum dia resolver ir embora, me leve junto, pois eu prometo que serei fiel a você. Se lar é onde o coração está, quem você pode chamar de casa?

Ah, eu só quero o leve da vida pra te levar. É só querer as coisas boas pra viver junto de alguém. Querer aqueles dias alegres para viver momentos bons. Sem carga, ser feliz independente das circunstâncias. E isso não se aplica só a um relacionamento amoroso. Se aplica a um amigo muito próximo também, que significa tudo isso para você.

Quando você encontrar alguém, ou se você já pensou em alguém ao ouvir a música e ler todas essas coisas, agarre a pessoa com todas forças. Faça esforços para manter alguém tão especial ao seu lado.

Leia mais: Quais os benefícios psicológicos em escutar músicas?

Diria que encontrar alguém tão bom, com tanta afinidade e cumplicidade, acontece uma vez na vida. E por isso nenhum esforço é tão grande que não valha a pena para ter alguém especial ao lado.

E se você tem dificuldade de demonstrar com palavras. Demonstre com atos, com sorrisos, e até mesmo com essa música. Mas não deixe de demonstrar.

Compartilhar

RECOMENDAMOS

Gabriele Sauthier
Bióloga, graduada na Universidade Estadual de Maringá, Mestranda no Programa de Biologia Celular e Molecular (PBC - UEM). É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here