Hoje eu quero falar com você sobre a hepatite C, doença invisível que só apresenta sintomas quando seu estágio já está muito avançado. Como saber se temos a doença ou não?

A única forma é a informação e a conscientização. Quero dar algumas dicas importantes de prevenção para você e toda a sua família.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a Hepatite C atinge cerca de 170 milhões de indivíduos no mundo. No Brasil, estima-se que são aproximadamente 3 milhões de pessoas, sendo que a maioria não sabe que está doente e portanto, não busca orientação médica.

A maior parte da população sabe que esta é uma doença grave, mas não sabe quase nada sobre as formas de prevenção e tratamento. A Hepatite é uma inflamação do fígado e existem vários tipos: A, B, C, D e E.

A hepatite C é causada por um vírus transmitido, principalmente pelo sangue e o compartilhamento de materiais contaminados. Mas, também por meio de via vertical (da mãe para filho durante o parto), além de bactérias, medicamentos, doenças hereditárias.

A transmissão por via sexual, embora possa acontecer, é rara, pois é preciso que haja contato com o sangue. Mas, vale lembrar que a hepatite B é contraída por meio de via sexual e para prevenir este tipo e de outras doenças sexualmente transmissíveis, o uso de preservativo é fundamental.

Voltando à Hepatite C, as transfusões de sangue hoje são mais seguras, visto que os bancos de sangue fazem os testes preventivos necessários antes de fazer a transfusão para o paciente. Por outro lado, o compartilhamento de seringas com drogas injetáveis ou os canudos de aspiração constituem um elevado fator de risco de contaminação.

Na maior parte dos casos, essa doença acontece de forma assintomática, ou seja, a pessoa não tem qualquer tipo de manifestação clínica do processo inflamatório, vindo a descobrir que está doente, somente em sua fase avançada (cirrose hepática) e muitas vezes quando o fígado já está em falência.

No Brasil, o vírus foi descoberto em 1989 e a investigação nos bancos de sangue só passou a ser lei em 1993. Por essa razão, quem recebeu transfusão de sangue antes dessa data, deve fazer um exame de sangue para saber se foi contaminado. Caso positivo, deve procurar o médico para iniciar um tratamento. Hoje, cerca de 50% dos casos são curáveis. Mas, segundo o Dr. Claudio F. Mendes, patologista da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, as chances de cura devem aumentar nos próximos anos. Atualmente, já existem novos testes que estão sendo feitos em pacientes que têm a doença. Uma boa notícia para todos nós.

O tratamento da Hepatite C é muito caro. De acordo com o Presidente da Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite, Humberto Silva, hoje custa em torno de cinquenta mil reais, o que é inviável para a maior parte da população brasileira. O SUS faz o tratamento inteiramente gratuito. Mas, infelizmente, não contempla toda a população que está doente.

Para diminuir a taxa de mortalidade, o ideal seria que fossem realizadas testagens em massa para diagnóstico e tratamento. Precisamos nos mobilizar para que isso aconteça em nosso país. Não podemos ignorar essa doença, cuja incidência é muito maior do que a AIDS. As pessoas precisam saber sobre os meios de prevenção e tratamento, para que possam se cuidar e orientar as suas famílias.

Assim como ocorre com muitas doenças, as chances de cura da Hepatite C, quando descoberta logo no início são muito maiores.

O objetivo deste artigo, não é causar pânico, pelo contrário, é ajudar você, sua família e toda a população a se proteger, pois essa é uma questão de saúde pública.

Algumas dicas de prevenção e cuidados de higiene para a sua saúde:

* Não utilize drogas injetáveis, ou pelo menos, nunca compartilhe seringas ou canudos de aspiração. Se já o fez, mesmo que por apenas uma vez, faça o exame de sangue para verificar se houve contaminação.

* Em laboratórios, certifique-se que todo material de coleta de sangue seja descartável.

* Quando for à manicure, leve, de preferência seu próprio material. A cutícula é uma defesa para o nosso corpo. Mas, embora seja uma contradição retirá-la, sabemos que este é um hábito estético em nosso país. Certifique-se que todo o material utilizado, seja descartável ou devidamente esterilizado, pois essa é uma forma muito comum de contágio da doença, inclusive da Hepatite B e AIDS. As manicures também devem se proteger e exigir que em seu local de trabalho esses cuidados estejam sendo sendo tomados.

* A mulher que deseja engravidar deve fazer o teste para saber se é portadora do vírus da hepatite C.

* Faça sexo só com preservativo.

* Tome as vacinas contra as hepatites A e B.

* Se já é portador do VHC (hepatite C), não tome nenhum tipo de bebida alcoólica e siga o tratamento corretamente.

* Caso você seja portador do vírus HIV, de Hepatite C ou tenha problemas renais e esteja em tratamento de hemodiálise, informe-se com seu médico sobre métodos de prevenção e cuidados para a sua saúde.

Seja solidário, oriente as pessoas ao seu redor sobre estes cuidados. Desejo muita saúde para você.

Compartilhar
Carmen Janssen
Psicanalista, Especialista em Sexualidade Humana. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA