Todo mundo conhece alguém que tem ou teve depressão. Não sem razão. A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima que 350 milhões de pessoas sofram do problema em todo o mundo. Além disso, a depressão é considerada a doença mais incapacitante, ou seja, que impede a pessoa de fazer qualquer outra atividade. Aqui no Brasil, só no ano passado, quase 22 mil pessoas passaram a receber auxílio-doença por causa do transtorno depressivo recorrente, segundo dados do Ministério da Previdência Social.

A doença pode ainda, na pior das hipóteses, levar ao suicídio. Segundo levantamento divulgado no ano passado, em 16 anos, as mortes causadas pela depressão cresceram 705% no Brasil, estando incluídos nessa estatística casos de suicídio e outras mortes motivadas por problemas de saúde decorrentes de episódios depressivos.

Essa desordem mental tão comum tem uma série de sinais e sintomas, que vão desde alterações físicas até quadros emocionais. O professor associado do Departamento de Psiquiatria da USP (Universidade de São Paulo), o psiquiatra Cássio Bottino, separou alguns dos aspectos mais importantes da doença. Se houver identificação com os principais sintomas, a indicação é sempre procurar um psiquiatra. O acompanhamento feito com psicoterapia e medicação é eficaz para a maioria dos casos.

Nove sinais de que você pode estar com depressão
    • Getty Images
      Passar muito tempo remoendo situações difíceis

      É normal ficar triste depois de um acontecimento negativo, como uma separação conjugal ou a perda do emprego. Mas, a tendência de supervalorizar esses acontecimentos pode ser um sinal que merece atenção.Foto: Getty Images

    • Getty Images
      Atividades que antes eram prazerosas perdem a graça

      Pessoas depressivas têm a capacidade de sentir prazer reduzida. Além disso, elas tendem a se enxergar como alguém sem valor, indesejável ou inadequado, que se irrita com facilidade e tem crises inexplicáveis de choro.Foto: Getty Images

    • iStock
      A redução do prazer atinge a libido

      Muitos pacientes com depressão se queixam de redução do interesse pelo sexo e do prazer sexual. Muitas vezes, isso resulta da própria apatia em que a pessoa se encontra, tomada pela fadiga e pela sensação de perda de energia.Foto: iStock

    • Shutterstock
      Diminuição do aproveitamento profissional

      Lentidão de raciocínio, e até de movimentos, fazem parte dos sintomas da depressão. Pode haver dificuldades de memorização e de concentração.Foto: Shutterstock

    • Thinkstock
      Insônia ou muito sono e cansaço

      Os sinais físicos da depressão também incluem alterações no sono. Alguns pacientes se queixam de falta de sono, já outros, reclamam que, mesmo dormindo por várias horas, se sentem cansados, apáticos e sem energia.Foto: Thinkstock

    • Thinkstock
      Falta de apetite ou apetite exagerado

      Alterações do apetite fazem parte dos sintomas fisiológicos da depressão. No geral, se percebe uma perda no apetite, mas alguns pacientes podem apresentar aumento da fome.Foto: Thinkstock

    • Shutterstock
      Casos de depressão na família

      A hereditariedade é um dos vários fatores e origens da depressão. Filhos de pais com depressão têm um risco maior de desenvolver a doença.Foto: Shutterstock

    • Thinkstock
      Ter diagnóstico positivo para doenças que causam incapacidade e dor crônica

      Há uma relação direta entre processos inflamatórios e a depressão. Tanto os doentes crônicos ficam mais deprimidos como os indivíduos deprimidos tendem a ser mais propensos a doenças infecciosas. Alguns medicamentos também podem desencadear quadros depressivos.Foto: Thinkstock

  • Getty Images
    Passar muito tempo de luto pela morte de um ente querido

    Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, da APA (Associação Americana de Psiquiatria), a tristeza decorrente do luto pode indicar transtorno depressivo quando se prolonga por mais de duas semanas. Muitos profissionais brasileiros, contudo, consideram normal um período de luto de até seis meses.Foto: Getty Images

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



7 COMENTÁRIOS

  1. então, estou com uma grave depressão! Perdi minha mãe há dois anos e ainda me sinto em luto, não consigo me conformar, sinto muito sua falta…
    e todos os sintomas citados acima fazem parte do meu cotidiano, além de estar passando por uma separação conjugal bem traumática.Não porque ainda amo meu marido, mas por descobrir que ele é o meu maior inimigo.

    • Olá Márcia, estava lendo a matéria sobre depressão e li seu comentário. Também perdi a minha mãe há 3 anos e não consigo me conformar, parece q o luto não passa. Sinto muito pela sua situação atual, por vezes a vida parece injusta. Se quiser conversar me manda um email e eu te mando minha página face. bjs e se cuida

  2. Comecei c sintomas de síndrome do pânico à 4 anos, passei a ter medo de sair, subir elevador, palpitações, tristeza, choros… enfim, foi difícil e continua sendo, pois n tenho mais o pânico, mas ficou sa tristeza, insatisfação, baixa Alto estima, continuo mal! Apesar da medicação!!!

    • Oi Márcia. Tbm tenho sindrome dopanico e sinto as mesmas coisas que vc sente eas vezes é complicado passar por isso sem ter com quem conversar. Se quiser conversar me manda um email danielemartins.rs@gmail com e te mando meu face e whats depois. bjs

  3. Não to com depressão não…
    Eu só queria ter coragem o suficiente pra tirar minha vida pq já to de saco cheio de viver nesse mundinho de merda sem ter razão nenhuma pra isso.
    Coisa boba…

  4. Sinto tudo isso ha muito tempo…e na adolescência isso se intensificou, tentei o suicídio uma vez com 19 anos tive depressão pos parto e ate agora de vez em quando fico com esses sintomas…!!!é horrivel

DEIXE UMA RESPOSTA