Erros são os portais do descobrimento (James Joyce).

Na América, nós somos obcecados com o sucesso. Somos obcecados em ser mais bem sucedidos do que os nossos amigos e familiares. Nós nos definimos pelo nosso sucesso, ou a falta dele.

Mas  junto com a nossa desesperada necessidade de sucesso, vem um medo paralisante do fracasso.

E isso é um problema. Se você tem medo de falhar , você nunca vai ter sucesso. Se você tratar seus erros como pecados, se até mesmo a idéia de cometer um erro assusta você , como você fará para alcançar seus sonhos ?

(Dica: . . . Você não vai alcançar. Você não pode alcançar, porque os erros são parte dos seus sonhos )

Isso sem falarmos … o que é tão ruim sobre falhar de vez em quando? Nada, se você entender que o fracasso só se estabelece quando você desiste. Contanto que você não desista no meio da busca do que quer que faça seu coração bater mais rápido, você não é um fracasso. Eu, pessoalmente, tenho um enorme respeito pelas pessoas que determinam objetivos para suas vidas e os seguem , porque eu sei por experiência própria como pode ser aterrorizante não se atingir esses objetivos. As pessoas cometem erros, e falham , tropeçam e se levantam,  enxugam as lágrimas e continuam – isso não é  fracasso, é a vida.Cometer um erro e aprender com ele não faz de você um fracassado; você aprendeu alguma coisa! Agora, vai e aplica esse conhecimento e experiência para sua vida, e continue andando. Continue aprendendo.

Fracassos certos, por outro lado, são aquelas pessoas que fazem das desculpas uma religião e podem te ensinar exatamente o que elas fariam em ” um mundo perfeito “, mas agora, desculpe , elas estão ocupadas, porque aquela pornografia na Internet por exemplo não pode esperar.  Eu particularmente adoro as pessoas que dizem coisas como : “Bem, em um mundo perfeito, eu seria um escritor como Jorge Amado, ou um diretor como Fernando Meirelles … mas você sabe, isso é impossível. ” Hmm . E ainda assim você acaba de nomear alguém que fez exatamente o que você quer fazer!  Então, é  ” impossível” mesmo? ou isso faria você perder a rotina de sair para a balada, tomar uma com os amigos, responder duzentos e-mails, perder o tempo necessário para as atualizações de status do Facebook , jogar Candy Crush ou Minecraft,  coisinhas que não estão te deixando muito tempo para escrever ?

Isso, para mim, é fracasso: alguém que se desculpa por não realizar os seus sonhos porque é “mais fácil” continuar nessa vida miserável. Pessoas assim têm realmente um compromisso com a sua auto-aversão . Se boicotam. Imagine o que esse compromisso podia fazer por seus sonhos. Imagine.

Talvez o problema é que temos essa fantasia societal que o sucesso é um destino. Algumas pessoas parecem pensar seriamente que você é bem sucedido e de repente toca um sino e você entra em um mundo cheio de comidas e bebidas gostosas, carrões, os homens e as mulheres são todos maravilhosos, e unicórnios e duendes vagueiam livres pelos jardins, ou algo assim.

Enquanto, na realidade, o sucesso é realmente uma longa jornada com muitos, muitos momentos de medo, frustração, cansaço, raiva, mais exaustão, choro debaixo das cobertas, com alguns bons momentos quando você supera isso tudo. E depois, quase sempre vem mais choro e recomeça tudo outra vez.

Hoje em dia, com as mídias sociais , podemos ver , em uma base em tempo real , os nossos amigos noivando, tendo filhos, sendo promovidos . Tudo o que faz com que nossas “falhas”  (percebidas) sejam muito piores. Se você fosse capaz de desfrutar apenas de sua própria vida, o bom e o mau que existe nisso, provavelmente veria que era uma vida muito boa . Mas então, você vai no Facebook e você vê um amigo ficando noivo , outro acabando de comprar uma casa, um terceiro se casou ou está indo para a Tailândia, e de repente você pensa: ” … que (“****) há de errado comigo, eu sou um fracassado . ” Basta lembrar que você está vendo o corte do diretor na vida de outras pessoas , enquanto você vive sua versão não editada . Eu tenho um monte de clientes dessa nova geração que vêm a mim com metas, e para mim, com metas perfeitamente razoáveis ​​. Mas muitos desses clientes não conseguem atingir seus objetivos, porque eles tem medo de fracassar.

Eles dizem: “Bem , eu vou fazer [preencha o assunto com o que você quiser] , Carlota , se você realmente acha que ele vai funcionar . ” Apesar de lisongeada , eu digo: “Se eu tivesse esses tipos de poderes, você e eu não estaríamos tendo esse tipo de conversa. Eu estaria montando um cabo de vassoura em algum lugar, e  desencadeando trovões e o caos em todos os que me desobedecessem, incluindo os gatos . Obviamente , nada disso seria no meu bairro. ” Em vez disso, eu tenho um pequeno negócio para ajudar as pessoas a sairem de seu comodismo, descobrirem seu caminho e pararem de punir a si mesmas.  (Então, não, eu não tenho esses poderes que você imagina . Mas eu acho que o que eu estou sugerindo vai funcionar. No mínimo, ele tem uma possibilidade maior de funcionar mais do que todo o tempo gasto naquela pornografia que você assiste.)

Curiosamente, eu comecei este negócio depois de ter sido extremamente bem sucedida na minha adolescência e vinte e poucos anos, e em seguida, extremamente mal sucedida no meio e final dos meus trinta . Mas uma das razões porque eu era tão bem sucedida em meus vinte anos,como repórter no noticiário da TV, foi que eu não tinha problema em cometer erros muito comuns. Não tinha nenhum problema em pedir tudo o que eu queria, e quando eu não era atendida – como acontecia com freqüência – Eu minimizava e ia tentar outra coisa.

Meus chefes me amavam , porque eles podiam contar comigo e me jogar em situações difíceis, e eu ia descobrindo como lidar com as coisas . Sim, porque algumas das coisas que eu “tinha que lidar” eram os gritos que recebia em público, pelos chefes de departamento e âncoras. Algumas dessas coisas que eu “tinha que lidar”  significava ser verbalmente humilhada na frente de uma redação inteira. Após o que, eu tinha que voltar para a minha mesa, chorando, e recomeçar o trabalho . Houve também uma ocasião em que certo âncora jogou um recipiente de água cheio em mim. Eu  abaixei e me livrei do impacto.

Então, quando eu digo às pessoas para se acostumarem com os erros e parar de tratar erros como pecados … Eu sei o que estou falando. E também sei que as pessoas que têm medo de cometer erros ficam paralisados. Como a cliente de 47 anos numa profissão desgastante e perigosa ,  que ficou violentamente com raiva de si mesma quando cometeu alguns erros (normal) , e se recusava sequer a discuti-los . Na verdade, ela tinha tanto ódio da idéia de cometer erros necessários para mudar a sua vida que era mais fácil para ela continuar a ser uma prostituta , do que fazer o trabalho (duro) de trazer todas as idéias maravilhosas que tinha para serem concretizadas. Era mais fácil para ela acordar chorando no período da manhã , e à tarde , e, geralmente, à noite, e ter relações sexuais com homens que tinham nojo dela, e a desprezavam , do que assumir a responsabilidade para uma mudança. Medo do erro da mudança.

Se você quer uma vida própria interessante, em vez de apenas assistir outras pessoas se divertirem no Netflix , você vai ter que se adaptar muito rapidamente à possibilidade de cometer grandes erros. Cometer grandes erros e aprender com eles . Cometa-os o suficiente, e você vai começar a relaxar e perceber que não há tal coisa como fracasso . Existe  apenas uma vida . A sua vida.

Se eu tivesse que viver minha vida novamente , eu iria cometer os mesmos erros, apenas mais cedo (Tallulah Bankhead).

(Autora: Carlota Zimmerman)

(Fonte:thoughtcatalog.com)

A tradução, revisão e adaptação foram feitas exclusivamente para o Fãs da Psicanálise pelo nosso colaborador Genaldo Vargas.

Compartilhar
Genaldo Vargas
Psicanalista, Palestrante, Professor Universitário, Viajante do mundo, curioso e eterno aprendiz..... É colunista do site Fãs da Psicanálise.



8 COMENTÁRIOS

  1. O artigo tem suas qualidades, mas o termo “não deveria” dificilmente cabe em um site que se diz fã da psicanálise. Não se escolhe ter ou não ter medo, como se escolhe suco de laranja ou de caju.

    • Também, acho, João Brito. O fato de sentir medo de falhar/cometer erros já é um sintoma que precisa ser estudado, analisado, compreendido. Excelente observação. Abraço

  2. Nossa me vi nesse texto. Foi realmente esclarecedor. Gostei, pois sou uma pessoa muito tímida e morro de medo de cometer erros. Pois fico preocupada de mais em que as pessoas vão pensar, fico me rebaixando e perco tempo de mais pensando em besteira e em apps e redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA