Sexo casual faz bem à saúde desde que seja feito para a obtenção de prazer. Esse é o resultado de um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Nova York e de Cornell, publicado no “Social Psychology and Personality Science”.

A pesquisa foi feita com 371 estudantes em que 42% admitiu ter tido alguma relação sexual fora do relacionamento. O estudo apontou que os estudantes que dormiam com diferentes parceiros reportaram um grande nível de bem-estar depois do sexo. O estudo foi coordenado por Zhana Vrangalova, da Universidade de Cornell, que também já fez uma pesquisa, recentemente, mostrando que sexo casual causa depressão.

Para o pesquisador não há controvérsia, só uma complementação. Se for feito pelas razões certas, como a busca pelo prazer, trará benefícios, caso contrário, se for feito numa situação de vingança ou insegurança, pode causar depressão.

Para a neuropsicóloga e sexóloga Sônia Eustáquia Fonseca o Sexo Casual ganhou espaço a partir da década de 50/60, com o advento da pílula anticoncepcional. Com o passar dos anos a relação sexual desatrelou-se da concepção e ganhou definitivamente o status de obtenção do prazer.

O sexo casual sai das casas de prostituição e deixa de ser “profano” e se expande entre homens e mulheres como uma relação natural, com finalidades orientadas para o prazer. No entanto, segundo a sexóloga, embora esse tipo de relação seja cada dia mais comum, a ausência de compromisso entre duas pessoas ainda é um pouco perturbadora para alguns.

Seja porque ela é realizada declaradamente para buscar só o prazer, seja porque aparentemente ameaça a organização familiar. “A ausência de um compromisso que certamente levaria, mesmo que em longo prazo, a um casamento, deixa sem um “nome aceitável” esse novo jeito de homens e mulheres, jovens ou não, de se relacionar”, afirma.

Mas, ao contrário do que muitos pensam, para Sônia Eustáquia o Sexo Casual não é sinal de imaturidade afetiva. “O sexo casual é a consequência natural do status de “ficar”. A partir do momento em que o “ficar” ganhou espaço sociocultural, e onde não há delimitação das ações afetivas sexuais e as carícias ganharam ampla liberdade, a relação sexual pôde fazer parte ou não dessa modalidade de expressão dos afetos e sensualidade”, diz.

Para a sexóloga a falta de compromisso é em si mesmo boa e prazerosa. “Mais ou menos comparada àqueles dias de férias, onde não somos cobrados dos horários e não precisamos usar o relógio, dentre outras coisas gostosas. O sexo casual nos remete a liberdade, alegria e prazer. Visto por esse ângulo ele é bom e lícito, podendo ser recomendado sem contraindicações. Deixo apenas uma pequena recomendação: assim como as férias acabam, ele também tem um prazo de validade e deve chegar ao fim quando o casal se apaixona e deseja formar uma família”, afirma Sônia Eustáquia.

Leia Mais: Não supervalorize o sexo, mas sim, o que leva a ele

O Lado Bom

A excitação: Toda relação de sexo casual é como a primeira vez, com toda a excitação. Você está vendo a pessoa nua pela primeira vez, você está explorando seu corpo, cada toque excita.

A falta de barreiras: É tudo sobre sexo e diversão. Os dois querem isso e estão querendo se aventurar. E é muito mais fácil viver suas fantasias. Realmente não importa o que o outro pensa sobre você e seu apetite sexual no outro dia, você já vai ter ido embora e provavelmente nunca mais verá essa pessoa.

Ser safado: É muito divertido ser uma garota safada ou um garoto malvado nessas horas – faz tudo ser mais excitante.

O Lado Ruim

Apaixonar-se: Esse é um problema sério. Afinal, a ideia era uma noite de sexo apaixonado sem compromisso. Se vocês dois se apaixonarem, sem problemas. Mas se acontecer com apenas um de vocês, é uma grande chateação. E isso acontece – três a cada dez mulheres e um a cada dez homens que fizeram sexo casual se apaixonaram.

Um sentimento ruim no outro dia: Algumas pessoas acordam com a consciência pesada no outro dia por terem traído seu parceiro fixo. Outros ficam horrorizados quando acordam na manhã seguinte, dormindo ao lado de alguém que você nunca teria chegado perto se estivesse com a cabeça no lugar na noite anterior.

Muito impessoal: Um em cada 5 acreditam que o sexo casual foi muito impessoal. Então, no geral, a opinião é que transas de uma noite são muito divertidas.

Leia Mais: Brigar apimenta o sexo?

Dez Regras Principais

E você pode evitar os lados ruins se você seguir as dez principais regras de etiqueta para o sexo casual.

REGRAS:

1. Escolha sua parceira quando estiver sóbrio.

Você não quer se assustar quando perceber com quem está dormindo na manhã seguinte.

2. Não use o sexo casual como vingança. Você não iria gostar disso. Relações de uma noite são para uma ótima noite de sexo, não para se vingar de sua parceira.

3. Não escolha sua ex. Muito perigoso. Existem muitas emoções complicadas envolvidas.

4. Não tenha um caso com sua melhor amiga. Isso vai mudar a amizade para sempre, e provavelmente a arruinar.

5. Compre camisinhas. E tenha certeza de usá-las!

6. Garanta que ambos tenham um orgasmo. Afinal, sexo é tudo que querem um do outro, então não é justo deixar um de vocês insatisfeito.

7. Não pergunta “Você me ama?” É contra o acordo silencioso. Lembre-se: Relações amorosas de uma noite são apenas sexo casual, o amor é visto como um incômodo.

8. Não seja muito carinhoso. Não segure a mão da outra pessoa ou use apelidos carinhosos, deixe isso para pessoas que estão apaixonadas.

9. Não se prenda a um caso. Grudar é o pior pecado. Evite a todo custo.

10. Não peça o número de telefone. Se você desejar ver seu caso novamente, dê o seu número de telefone, mas não peça o dela.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Sônia Eustáquia
Colunista da Revista Atrevida cerca de 6 anos, tem formação e trabalho em Psicanálise e Terapia Ericsoniana. Pós-graduada em Metodologia do Ensino Superior, Psicologia e Psiquiatria da Infância e Adolescência, Neuropsicologia e Teologia. É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here