attractive thoughtful brunette curl woman with a pillow on the bed Woman`s problem

Existem pessoas que com um simples olhar, conseguimos identificar sua dor. A falta de brilho no olhar, a ausência do sorriso no rosto e o silêncio ensurdecedor, são algumas características que nos levam a crer que a depressão está marcando presença ali. Mas o que dizemos daquelas pessoas alegres e radiantes?

Há dias bons e dias ruins para todos. A vida, às vezes, pode ser insuportável, até para aquelas pessoas que parecem felizes diariamente.

Muitas pessoas escondem a depressão, mesmo que pareçam contentes e cheias de vida, pode haver uma enorme sombra por trás daqueles sorrisos. Como podemos identificar e ajudá-las? Aqui estão 7 sinais típicos que as pessoas com depressão escondida fazem.

1. Como já comentamos, elas podem ser extrovertidas e alegres

Alguns pesquisadores da Universidade de Rochester, chegaram à conclusão de que a depressão era mais difícil de identificar quando as pessoas tinham uma disposição alegre, principalmente quando eram idosos. A equipe da pesquisa, até então, acreditava que os introvertidos tinham mais dificuldade para superar uma depressão, no entanto, foi concluído o oposto. Não devemos tomar como certeza que uma pessoa alegre e sociável é imune à depressão, mas procurar manter a atenção para qualquer sinal indicativo e, acima de tudo, precisamos ser ouvintes empáticos.

2. Eles podem esconder a sua depressão

Como a depressão é vista no Brasil? Você sabe dizer? Muitas vezes, aquelas pessoas que sofrem com a depressão, não possuem a coragem de contar, afinal, existe o medo de passar a ser vista de uma forma diferente.

Foi feita uma interessante pesquisa sobre a atitude que os europeus e australianos têm com relação à depressão, e foi descoberto que há tanto estigma associado à depressão na Europa e Austrália, que muitos doentes estão convictos a não revelá-la. Isso pode estar acontecendo devido à vergonha ou simplesmente por temer perder o emprego – refletido no número de dias de licença por causa de problemas de saúde mental.

3. Eles podem precisar resolver alguns traumas do passado

Pense naquela perfeita anfitriã: ela possui filhos incríveis, uma carreira de orgulho e um casamento estável. Faz sentido pensar que uma pessoa com a vida tão bem resolvida, jamais terá depressão, não é? Mas a verdade não é essa.

O trajeto da vida é longo, precisamos escolher todos os caminhos constantemente, sem jamais ter a certeza de ter pego o caminho certo. Além disso, convivemos com o passado, com nossos erros, e nem sempre conseguimos matar todas as assombrações de outros episódios de nossas vidas.

Então, essa pessoa com a vida tão perfeita hoje, pode ter tido um episódio tão doloroso que nunca tenha sido devidamente curado. Os psicólogos têm um acrônimo para este tipo de pessoa: PHDP (Perfectly-Hidden-Depressed-Person). A aparência externa de felicidade e confiança está em nítido contraste com o que está acontecendo por dentro. Porém, o problema é muitas vezes ignorado, especialmente pelo sofredor, que pode acabar cometendo suicídio. A tragédia é que ninguém seja capaz de identificar os sinais, ou que o doente nunca tenha coragem de falar com alguém.

4. Eles podem ter hábitos alimentares anormais

A maior parte dos especialistas acredita que transtornos alimentares podem estar fortemente associados à depressão. Embora sejam duas doenças distintas, uma pode conduzir à outra, ou surgirem simultaneamente. Cada vez mais pessoas estão sofrendo de distúrbios alimentares. As causas são variadas, tais como pressões da mídia, autoimagem corporal, atividades físicas e depressão. No caso de você notar que um ente querido está com alterações do apetite, procure conversar com ela/e e incentive-o a procurar ajuda. A depressão escondida pode muito bem ser o gatilho.

5. Eles podem não querer se comprometer com a felicidade

“Dá-se em mim uma suspensão da vontade, da emoção, do pensamento, e esta suspensão dura magnos dias. (…) Nesses períodos de sombra, sou incapaz de pensar, de sentir, de querer. (…) Não posso; é como se dormisse e os meus gestos, as minhas palavras, os meus atos certos, não fossem mais que uma respiração periférica, instinto rítmico de um organismo qualquer.” – Fernando Pessoa

Muitas vezes, as pessoas que escondem a depressão, acabam deixando mostrar uma falta de entusiasmo por coisas que costumavam gostar de fazer. No caso de ocorrer uma conversa, e a pessoa continuar afirmando que não está deprimida, que apenas não se importa mais, este pode ser um sinal de que algo está errado. Fazer com que a pessoa fale sobre seus problemas, geralmente é o primeiro passo em busca de tratamento.

6. Eles podem apresentar irritação e raiva

Em geral, acabamos associando a depressão com desespero, apatia, pensamentos melancólicos e choro. Porém, existem outros sintomas de depressão que muitas vezes passam despercebidos, um exemplo são as explosões temporárias de raiva e irritabilidade, que no fundo, são manifestações de uma depressão.

7. Eles podem não dormir o suficiente

Se o seu parceiro (a) está se queixando demais de não dormir o suficiente (ou mesmo dormir demais), isso pode ser um sinal de alerta. É preciso atenção, pois estes problemas de sono podem ser o sinal externo de uma causa mais profunda, como uma ansiedade, uma letargia ou uma depressão. A depressão e os problemas com sono estão, frequentemente ligados. Vale a pena sondar para descobrir o que pode ser a causa, se a pessoa estiver disposta a se abrir.

Muitos casos de depressão terminam em tragédia, pois não são detectados e tratados. Entre 10% a 15% das pessoas com depressão grave não tratada cometem suicídio. O problema é sério, e pede que tenhamos mais cuidado, afinal, como vimos acima, as pessoas podem e realmente escondem a depressão.

(Autora: Isadora Tabordes, estudante de Filosofia na Universidade Federal de Pelotas. Apaixonada por diversas áreas do conhecimento, com uma grande limitação para exatas)

(Fonte: www.equilibrioemvida.com)

 

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



5 COMENTÁRIOS

  1. Você ma retatou neste seu artigo … eu sou esta pessoa não sou infeliz vivo alegre pra todos , dizem que sou muito comunicativa e amiga de todos, vivo sorrindo em qualquer festa, salão de cabelereiro, loja, supermercado, filas, faço amizades muito facilmente …mas por dentro sou uma mulher comletamente o oposto . E isso tudo me levou à um divórcio após 32 anos de relacionamento onde meu marido era apaixonado por mim e eu por ele esendo que eu anda sou e temos um filho maravilhoso hoje com 29 anos. Hoje meu marido esta namorando uma senora que é viuva e diz que nãoa ama mas que tem que tocar a vida pra frente.
    Isso me doi como se fosse um ferro cravado no corrpo em brasa pois nunca mais tive ninguem e ja se passaram 5 anos e ainda tenho um corpo inteiro e sinto desejos . As vezes sinto vontade se sumir até de ser mendiga nun estado muito longe ja pensei…
    Em momentos de crise só eu sei pelo que passo mas na frente de todos estou sorrindo!!

    Gisele Martins.

    • Tente seguir em frente também ! Escolha algo que goste para ter como hobbie, extraia as energias e pensamentos negativos através de algo que você goste de fazer , e assim consequentemente você irá se preencher de coisas boas ! Pense no melhor que a vida tem a lidar , e divida com alguém os seus sentimentos. Que Deus te abençoe !

    • Não fique assim querida. Existe dentro de VC algo na vida que te faz feliz… É algo que VC fica bem quando faz… Algo que te faz sentir em paz. Se dedique a isso. Tente descobrir o que é. Preste atenção nos seus dias e acredite em algo bom. Essa é a única forma de vencer a depressão. Eu tenho e depois de 20 anos com ela, estou aprendendo assim a contornar. E claro… Os remédios. Um bom médico, a droga certa e na dose certa. Nos temos uma deficiência de serotonina e precisamos de remédio para ela funcionar.

DEIXE UMA RESPOSTA