Esponja emocional

Durante séculos, pesquisadores tem estudado a tendência inconsciente e automática para que nós não só imitemos as expressões emocionais, mas também sejamos atingidos pelas emoções dos outros. Estudos descobriram, por exemplo, que o mimetismo de uma carranca, um sorriso ou outros tipos de reações disparam um gatilho emocional em nosso cérebro que nos levam a interpretar estas expressões como sendo nossos próprios sentimentos. Para isto, basta colocar alguém vulnerável, ou influenciável (o que todos nós somos em diferentes graus), diante de uma situação emocional para que ela “capture” as emoções de outras pessoas.

Na literatura, este processo em que uma pessoa (ou um grupo) influencia as emoções e comportamento afetivo de outra pessoa (ou grupo) através da indução consciente ou inconsciente das emoções é conhecido como contágio emocional. E embora estudos demonstrem que o impacto que o contágio emocional pode ter sobre as nossas relações familiares, casamentos, amizades, equipes, relações comerciais, e grupos de todos os tipos, curiosamente, muitas vezes não percebemos o quanto nossas próprias emoções são influenciadas pelos estados emocionais dos outros. E o pior, ninguém está imune a este processo. A grande questão então parece ser: como suas emoções estão sendo influenciadas?

Eu sou um(a) “esponja emocional”?

De acordo com pesquisadores algumas pessoas são mais vulneráveis ao contágio emocional que outros. Eles descobriram que aqueles que são mais vulneráveis a “captura” das emoções dos outros são pessoas que tendem a estar atentos e sensíveis às emoções dos outros, e pessoas com uma baixa autoestima. Ou seja, empatia mais uma baixa autoestima fazem com que as pessoas se tornem mais suscetíveis às emoções alheias sem conseguirem perceber o quanto isto a está afetando. Principalmente se elas forem negativas.

Estudos também mostram que as mulheres tendem a ser mais vulneráveis a absorver o estresse e negatividade daqueles ao seu redor. Isto ocorre porque elas são mais sociáveis e estão mais atendas para atender às necessidades emocionais dos que os rodeiam, bem como quererem agradar aos outros bem mais do que os homens. E a pesquisa constatou ainda, que em certos contextos as mulheres são mais suscetíveis o contágio emocional para ambas as emoções positivas e negativas

O lado positivo

Ao falarmos que das emoções como “contagiosa” isto pode parecer uma experiência negativa. No entanto, isto não é necessariamente verdade. Sendo “infectado” por felicidade ou entusiasmo de outra pessoa pode ser uma coisa muito boa. Os pesquisadores descobriram que quando os indivíduos “pegam” emoções positivas dos outros, eles são mais propensos a serem mais influenciáveis e passam a ser visto por outros como pessoas mais cooperativas e competentes. Simplificando, quando você sai com pessoas felizes, você tende a se sentir mais feliz, ter mais energia e se sentir menos estressado.

Resultados semelhantes foram encontrados em esportes de equipe. Quando uma equipe está otimista, positiva e em um bom humor geral, este espírito é transferido para jogadores individuais. Os resultados também mostram que quando as equipes são mais felizes, os atletas da equipe tendem a jogar melhor.

A moral da história é que todos devem se rodear de pessoas felizes. Só de estar perto de pessoas positivas pode ser energizante, motivador ou totalmente inspirador e é provável que isto o ajude a trabalhar de forma mais eficaz.

Nem tudo “são rosas”

É claro, o oposto também é verdadeiro. O contágio emocional pode ocorrer de forma negativa, acrescentando um estresse significativo e tensão em sua vida. Isto é pior quando emoções negativas estão presentes sem seus relacionamentos íntimos. Isto ocorre porque o contágio emocional é maior em nossas relações mais íntimas e sentimentos tais como medo, tristeza ou preocupação pode ter um impacto profundo e duradouro nestes relacionamentos.

Estudos indicam que um cônjuge deprimido, frequentemente leva à depressão no parceiro. O mesmo vale para os companheiros de quarto. Além disso, crianças criadas por pais deprimidos são significativamente mais propensos a serem diagnosticados com depressão. Na verdade, a depressão por qualquer membro da família ‘pode derrubar um sistema de toda a família. Outras emoções como ansiedade e medo, podem ter o mesmo efeito.

Assim, parece fácil, certo? Cerque-se de pessoas positivas e evite pessoas negativas. Apenas parece , porque na prática não é tão simples assim. Então veja o que você deve fazer:

  1. Comece prestando muita atenção aos seus sentimentos em diferentes contextos, principalmente quando você estiver com diferentes indivíduos e grupos;
  2. Se você vai trabalhar com bom humor, em seguida, encontra-se tenso e estressado pouco tempo depois de entrar no trabalho, este deve servir como um forte sinal de que você está permitindo que o seu local de trabalho o infecte com emoções negativas, por isso proteja-se;
  3. Quando você se sentir tenso ao se aproximar de alguém e perceber que fica de bom humor ao se distanciar, fique atento. A chave aqui é se conhecer e reconhecer o que está sentindo para que emoções alheias não te contagie.

O impacto do comportamento na saúde

Todos sabem que é possível aprender muito sobre uma pessoa prestando atenção apenas às suas reações emocionais e por isso, pequenos detalhes notados nas expressões faciais, em gestos, em tom de voz e até na velocidade da fala passam a compor sinais que nos ajudam a descobrir como uma pessoa está sentindo.

Se você aprender a reconhecer a essas pistas nos diversos ambientes emocionais que fazem parte do nosso dia-a-dia, você vai estar a um passo a frente e conseguirá perceber se está sendo influenciado ou não pelas emoções dos outros. Ao atingir este estágio, você pode se respeitar e escolher barrar tais estímulos para se proteger deste contágio externo.

Entretanto esta tarefa não é nada fácil e requer tempo e dedicação para se atingir um nível de excelência para aprender a se defender destes fatores externos, por isso às vezes o melhor é se submeter à psicoterapia, pois nela aprendemos a nos respeitar e a impedir que o outro nos contaminem. E por que isso é tão importante? Porque as emoções são altamente contagiosas, e se você não prestar atenção, você ficará sempre a mercê do humor do outro.

(Fonte: comportamentoesaude.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA