Existe uma falsa crença de que a ansiedade e a depressão são sinais de fraqueza e de incapacidade diante da vida. Mas não, uma pessoa com ansiedade, depressão ou sintomas mistos NÃO está louca e nem tem uma personalidade fraca ou inferior aos outros.

É triste e esgotador lutar contra isso, mas é uma realidade social que não podemos ignorar. Assim, apesar dos avanços da ciência, o inconsciente moderno que envolve nossa sociedade ainda pensa que os problemas emocionais e psicológicos são sinônimos de fragilidade e vulnerabilidade.

Por isso, dado que a depressão e a ansiedade não são contempladas como feridas que precisam de atenção, é comum ouvir discursos circulares com argumentos do tipo “relaxe”, “não é para tanto”, “comece a se mexer, a vida não é isso”, “você não tem razões para chorar”, “comece a amadurecer”, etc.

São comuns, não é verdade? De fato, é provável que em algum momento tenhamos sido vítimas ou até proferido este tipo de discurso. Por isso é fundamental realizar um exercício de conscientização e dar à dor emocional a importância que ela tem e merece.

Assim, da mesma forma que não iríamos ignorar a dor causada por fortes pontadas no estômago ou uma enxaqueca terrível, não deveríamos ignorar a dor emocional.

Não podemos esperar que estas feridas emocionais se curem sozinhas, devemos trabalhar para extrair delas o significado presente em seus sintomas.

Ou seja, devemos consultar um psicólogo que nos ajude e nos proporcionar estratégias para fazer frente a esta grande dor emocional causada pela ansiedade e pela depressão.

Seguindo com nosso exemplo, assim como deixamos de consumir a lactose quando descobrimos que somos intolerantes a ela, devemos “deixar de consumir” aqueles pensamentos e circunstâncias que infeccionam nossa ferida emocional.

Não valem curativos ou vendas: devemos limpá-las e curá-las verdadeiramente.

Por isso, neste artigo pretendemos normalizar aquelas sensações das pessoas que possuem problemas emocionais deste tipo. Vejamos mais sobre eles para podermos compreender e nos conscientizar.

A ansiedade, uma viagem nefasta em uma montanha russa

As sensações que nos invadem com a ansiedade são muito similares às que surgem em um passeio de montanha russa em que começamos a nos sentir mal.

Coloquemo-nos nesta situação. Fomos passar o dia em um parque de diversões no qual encontramos uma montanha russa incrível e decidimos andar nela. Para fazer isso, temos que esperar em uma longa fila até que chegue a nossa vez.

O dia é quente e o sol está batendo forte em nossa cabeça, o que nos causa uma grande dor e mal-estar físico. Sentimo-nos cansados e não temos vontade de subir no vagão, mas fazemos isso, porque afinal estamos ali para aproveitar.

Uma vez sentados, nosso coração começa a bater forte, tudo dá voltas ao nosso redor, os vagões giram 360 graus várias vezes, nos submergimos em túneis escuros e tudo parece nos atacar.

Nossa respiração se acelera e nosso coração não pode parar. Sentimos que de um momento ao outro vai acontecer alguma coisa conosco. Nossas sensações estão bagunçadas, algo nos aprisiona no peito, ficamos imóveis e sem capacidade de reação.

Não podemos evitar pensar em coisas negativas. Gritamos, choramos e nos queixamos, mas ninguém nos ouve, nem sequer nós mesmos. Pedimos desesperadamente que tudo aquilo pare, e sentimos que estamos morrendo na tentativa.

No entanto, não conseguimos fazer com que nosso vagão freie, pois ele só parará quando acabarem os minutos programados para a viagem.

Neste sentido, um ataque de ansiedade é igual a uma viagem que nos faz mal em uma montanha russa. Em um dado momento tudo vai acabar, mas não sabemos quando nem como, por isso manter o controle diante desta incerteza é algo tão difícil de fazer.

A depressão, a escuridão da alma

Quem sofre de depressão sente que o mundo está envolto em névoa. Pouco a pouco vai perdendo a ilusão por tudo que o rodeia, não há nada que anime ou motive, é difícil estudar ou ir ao trabalho, e a pessoa se sente imensamente triste ou irritável.

A depressão é a gota que faz transbordar o copo, um copo que está cheio de situações e circunstâncias complicadas que nos fizeram mal e mexeram conosco negativamente.

Por isso é importante que, quando nos dermos conta de que algo vai mal, consultemos um profissional que nos ajude e dê coerência emocional ao que está acontecendo conosco.

“Ter problemas emocionais não é uma escolha. Uma pessoa com depressão não diz ‘Quero me sentir mal e me coloco em um poço de tristeza para ver se me afogo com ela’. Isso não funciona assim. Na verdade, isso pode acontecer com qualquer um de nós.”

Ninguém está livre das garras da depressão e da ansiedade

A depressão e a ansiedade não são sinais de fraqueza, mas sim de força. Estes problemas emocionais não aparecem da noite para o dia, mas surgem pouco a pouco por causa das dificuldades e do esgotamento emocional.

Elas também não são consequência de uma escolha pessoal. Não podemos dizer se queremos ou não queremos que nos acompanhem. Ambos os problemas emocionais são derivados da luta contra as dificuldades da vida que nos acompanham e, portanto, por termos tentados permanecer fortes por tempo demais.

Não podemos nos esquecer disso, pois ninguém está livre de se relacionar com a ansiedade e a depressão em algum momento da sua vida, seja de maneira direta ou indireta.

Prestemos atenção, compreendamos estes problemas e, sobretudo, não julguemos nem a nós nem aos outros.

(Fonte: melhorcomsaude.com )

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



13 COMENTÁRIOS

  1. Cheguei a procurar ajuda. Estive alguns dias em uma clínica. Fiz sessões de choque. Iniciei tratamento medicamentoso… e quase fechando 1 ano depois… ainda sinto o desejo ardente de morrer e acabar de vez com isso. Pq parece que nada e ninguém vai conseguir arrancar isso de mim.
    Me desconheço como ser humano, perdi absolutamente tudo… vontades, sonhos, tudo.
    Me tornei um vegetal. Hoje apenas sobrevivo pq tenho 3 filhos. Apenas.

    • Não fique assim, minha querida! Tudo vai melhorar.. Já passei por um momento muito difícil onde eu não enxergava nada de bom pela frente, e com o tempo tudo clareou e hoje estou feliz. Fica bem que tudo vai dar certo! continue na luta que logo vc ficará bem.. Tenha força que vai dar certo! Beijo grande e muita paz!

  2. Nossa Anelise Mosele que triste. Deve ser horrível estar assim. Mas você deve ser uma pessoa incrivel porque apesar de se sentir assim continua firme em razão de seus filhos. Parabéns. Continue firme. Você merece ser feliz. E vai conseguir. Busque ajuda. Nós mulheres dependemos muito de nosso equilibrio hormonal para estar bem. Pode ser que com ajuda de um bom profissional médico para fazer e analisar exames de sua saúde você descubra a razão deste desconforto emocional. Não se entregue. Melhoras.

    • Oi Heliana… Eu não acredito na hipótese de que vai passar, mas que estou aprendendo a sobreviver com isso aqui dentro.
      Quem olha meu perfil no Face acredita que já aprendi …
      Eu tenho muita fé em DEUS, tenho um companheiro compreensivo a isso, o que facilita muito também …
      Levo um dia, depois o outro…
      Tem dias que estou ótima, tem dias que eu definitivamente não queria levantar
      As semanas que antecedem os aniversarios dos meus filhos me movem e muito… porque por eles, e só por eles cá estou.

  3. O mais complexo de viver na escuridão, e lidar com as pessoas a sua volta, elas não são capazes de entender e dizem asneiras que só machucam. Os chefes (chamo de chefe qualquer ser humano que esteja acima de você em um emprego, e chefes são ruins, péssimos e o tipo de pessoa que está no lugar errado) são os piores seres pra se encontrar quando está em crise, eles são as sombras da escuridão, leigos, não procuram se informar sobre o assunto. Eu odeio eles. Tenho depressão, choro muito, escondido, dói a luta é árdua, aí depois de um baita esforço vem o chefe e diz, cara você só vê o lado vazio do copo, nessa hora tenho vontade de esgana-lo, arrancar os dois olhos dele com uma caneta. Apesar de tratar a anos, às vezes sinto que vou me perder e viver com isso até que a vida se encerre, graças a mim consegui encontrar uma namorada que tem uma baita paciência em me tolerar nas crises ela me ajuda muito. No mais tenho que dizer a todos que tem essa coisa o seguinte, somos muito mais do que pensamos ser, somos lutadores, gladiadores da vida, somos muito mais fortes que os que não possuem, chorar lava a alma, aprenda a chorar e chore com gosto um dia sairemos dessa muito mais fortes, tolerantes com a vida é mais sensível para com os outros, mundo carece desse tipo de humano, hoje eu bato o olho em uma pessoa eu sei o que ela pode estar passando. Guerreiros vamos à luta, não desistam por favor.

  4. Eu já estive nesta situação,eu estava no fundo do poço só pensava em se matar,ficava dentro de um quarto e não gostava de vê ninguém a minha frente,os parentes chegavam em casa eu colocava eles para ir embora, até eu tinha nojo de mim,procurei um neuro fiz tratamento de 9 Mêses mas continuei muito nervoso ainda,e começa a ter pânico e delírios,mas comecei acreditar q Deus ia tirar eu dessa, e hj glorifico a a Deus em primeiro lugar e a medicina q é de Deus,hj estou terminando meu curso de Aviação Civil,era um sonho que sempre tive achava q nunca ia conseguir,mas a fé remove montanhas,nunca desista do seus sonhos,se vc esta no fundo de um poço lembre q eu estive-lá,mas pode ter certeza que Jesus esta com a mão estendida para vc,não interessa o q vc errou no passado,o que importa é daqui para frente. Tonny Calixto

  5. Li os comentários e resolvi compartilhar minha história com vocês,eu aos 16 anos de idade sofri um acidente de moto,no qual um motorista totalmente embriagado saiu da mão dele e invadiu a outra mão onde eu estava,e bateu em mim,fui jogada longe,fui levada ao hospital passei 15dias e nesse meio termo perdi a perna esquerda. Fui para Brasília colocar uma prótese lá, ao me adaptar a tudo vim embora para casa,”quase dois anos lá longe de toda minha família”. Com cinco anos depois ,tive uma filha pré matura,nasceu de seia meses,pesou 1kg e 30gr passei 48 dias com ela no hospital, e sai vitoriosa com ela nos meus braçoa “hoje ela tem oito anos de idade”. Quando minha filha fez dois anos o pai dela faleceu,e desde então a família dele não dá a mínima para minha filha,ao vê ela por acaso “dão aquele carinho” fora isto ,mal perguntam ou ligam para saver como ela está. Hoje cuido dela,trabalho, faço faculdade de direito,e em nenhum momento desistir de mim ou dela,acho que quando a gente aprende a vê a vida por outro ângulo,tudo muda,quem determina a nossa felicidade somos nós,não aceito ser infeliz,eu sou feliz de todos os ângulos possíveis,e aprendi que,quem ama a gente fica do nosso lado,independente de qualquer coisa.

    • Obrigada pelo lindo depoimento Lilian, somos os únicos responsáveis pela nossa felicidade. Claro que há momentos de intensa dor, mas passamos por eles e evoluímos, constantemente. Abraços, Natthalia Paccola.

  6. Boa noite!!!
    Estive lendo alguns comentários e tb quero poder me expressar e contar um pouco do meu problema com vcs. Faço tratamento para depressão há mais de 7 anos. Já passei com vários especialistas e nenhum até hoje conseguiu me diagnosticar. Apenas prescrevem medicações e mais nada. São vários sintomas que tenho, mas o que mais me incomoda são as mudanças de pensamentos e ideias repentinas, pensamentos fixos negativos e a ansiedade. Me sinto deprimida quando não consigo dominar esses sentimentos. Só sei que não é frescura como muitos falam e que só quem sabe o quanto é ruim é quem passa por isso.

DEIXE UMA RESPOSTA