Meu pai costuma brincar que não gosta de ir ao médico porque sempre volta de lá doente. Essa é uma verdade. Ele já estava doente antes, mas só descobria no momento em que o médico dava o diagnóstico. Lembro especificamente do dia em que ele descobriu estar com diabetes. Chegou a casa contando que não podia mais comer doces e várias outras coisas porque agora tinha uma condição crônica que requereria tratamento para a vida toda. Meu pai estava triste, muito triste. Durante a primeira semana reclamou de basicamente tudo. Hoje é um homem disciplinado!

O que minha introdução tem a ver com o assunto? Será que eu copiei no texto errado?
Quero dizer que meu pai é um canalha? A resposta é não para as duas últimas perguntas. A Introdução é essa mesma e meu pai é maravilhoso. Contei essa história para que a frase do meu pai tivesse sentido. Ele sempre foi daqueles que admirava e respeitava a ignorância, o não saber. Enquanto ele não sabia, não precisava de remédios, de controle da dieta. Quando soube, era um homem com diabetes.

Observo isso na interação entre as pessoas, mais comumente escuto isso de mulheres: “por que ele não pede em namoro?”, “por que não me apresentou para os amigos?”, “será que ele só quer dormir comigo?” e várias outras frases semelhantes. Já peço perdão antecipado pela escolha do gênero, adote o que for mais adequado a sua realidade. Se você tem amigas ou mesmo já prestou atenção na conversa dos outros na fila do banco ou ônibus já deve ter ouvido algo parecido ou talvez tenha dito, inclusive (eu já disse). Além dessas perguntas, costumamos adicionar uma explicação a respeito, seja para consolo próprio ou da interlocutora: “ele não está preparado”, “deve estar magoado”, “está apaixonado por outra pessoa”, “ele não entrou em contato com seus sentimentos” e várias outras (adicione a sua, se quiser).

Depois de alguns anos de vida (nem tantos assim) e ótimas amizades masculinas cheguei a uma conclusão que cabe a algum desses homens: ELE NÃO QUER. Isso mesmo que você leu: ele não está afim. Tenho um amigo com quem discuti essa questão e ele me disse que o problema é que as meninas não perguntavam o que ele queria, apenas assumiam a resposta mais favorável. Vou exemplificar e ficará mais fácil. Durante algumas semanas ele saiu com uma mulher. Ela era inteligente, bem humorada e bonita. Depois desse período, ele a dispensou, pois foi pressionado para algo mais sério. Ele não pretendia tornar nada mais sério ou oficial. Nem naquele momento, nem nunca. Não havia nada de errado com ela. Ele só não queria. Quando ele me contou, perguntei se durante aquele período ela havia deixado claro que queria algo sério. A resposta foi não.

Eu consigo ouvir as lamúrias e os comentários condenando esse jovem ou inclusive o acusando de mentiroso. Por conhecê-lo bem, sei que me contava a verdade. Em nenhum momento durante o tempo que passaram juntos ela fez a pergunta: o que você quer dessa relação? Gostaria de namorar? Quer um relacionamento sério? Ou qualquer questão semelhante. Imagino que ela apenas assumiu que ele não gostaria de perder alguém como ela e pensou que o pedido viria. Talvez, inclusive, depois do término dos encontros, ela tenha se queixado para uma amiga e contado que havia conhecido um canalha.

Ele não é um canalha. Ela não era burra ou desinteressante. Apenas queriam coisas diferentes. Ele poderia ter contado? Sim. Ela poderia ter perguntado? Sim. Por que não o fizeram? Pensando pelo lado feminino, uma das respostas é a mesma que impedia meu pai de ir ao médico: não querer saber. Ela queria construir uma relação séria, pensando em matrimônio num futuro um pouco mais distante. Quando conheceu meu amigo achou que ele tinha o necessário para isso: emprego, estabilidade financeira, boa família e bonitinho até. Então investiu seu tempo e seu charme nele. Mas não deu certo, não daria certo. Não era o que ele queria.

Antes de nomear todas as pessoas com quem saiu como canalhas, pense bem: você perguntou o que ele (a) queria? Não estou falando de uma indireta, uma piadinha com emojis. Estou falando de uma pergunta direta que exige resposta. Existem homens (e mulheres também) que vão mentir? Óbvio que sim. Porém alguns serão honestos e te dirão que não desejam o que você procura. Aí cabe a você decidir o que fazer com a resposta.

Não consigo classificar isso apenas como erro de comunicação. É a supremacia da expectativa. É a opção pela ignorância. Quando alguém opta por não saber, assume um grande risco. Risco que poderia ser diminuído ou reduzido a zero se aceitasse as possibilidades, sejam elas favoráveis ou não. O medo da rejeição, de ficar sozinho ou até mesmo de receber um não aprisiona. Sem liberdade, não pode haver segurança, muito menos um relacionamento. Reflita comigo: o que impede as pessoas de pedirem o que querem? O que as prende às relações sem futuro? Se necessário, responda as perguntas como se direcionadas a você. O que impede você de pedir o quer? O que prende você às relações sem futuro?

A ignorância nem sempre é uma bênção e o coração vai sentir mesmo que os olhos não vejam.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here