Discutir de forma frequente suga nossas energias, nos deixa sem forças, sem vontade e infelizes. Os aborrecimentos nos afogam até o ponto em que acabam por cobrar da vida nosso bem-estar afetivo.

Quando as brigas se tornam habituais e não conseguimos sair da espiral na qual nos metemos, sofremos. E muito. Por isso existem momentos nos quais precisamos, literalmente, fugir.

Pode ser que gostemos muito das pessoas que nos rodeiam, mas quando as discussões se convertem em um estilo de vida, nos convertemos em “ogros emocionais” e somente sabemos resmungar e sair do sério.

Não se trata de não discutir nunca, e sim de saber escolher as razões pelas quais vale a pena fazê-lo e as razões que não valem. Neste sentido, discutir tem que servir para compreender, validar e respeitar o outro; nunca para nos atormentar de modo constante.

O que acontece é que quando estamos tão dominados pela irritabilidade, não conseguimos responder com lógica. Por isso é importante aprender a tolerar a frustração de quando outra pessoa não pensa o mesmo que nós.

Logo, é preciso saber o que deve ser discutido e o que não deve. Ou seja, evitar discutir nunca é um sinal de inferioridade, de rendição ou de covardia. Saber discutir e inclusive se aborrecer na medida certa é saber administrar as emoções, ou seja, possuirinteligência emocional.

Quando ignoramos alguém de propósito e com propósito, diz-se que estamos aplicando a lei do gelo. É como se fôssemos golpear alguém com o cruel chicote de nossa indiferença sem oferecer nenhum tipo de explicação nem consideração.

Seja porque queremos acabar com uma espiral de aborrecimentos ou de conflitos que estão minguando nosso humor, ou seja porque não sabemos o que fazer para nos livrarmos de alguém, a lei do gelo é uma verdadeira tortura (e por isso um comportamento intolerável). 

A lei do gelo é uma forma de abuso emocional realmente destrutiva para as pessoas e para os relacionamentos. Pois, se existe algo que não estamos preparados para enfrentar é a indiferença. Logo, como não devemos nos permitir causar dano a ninguém deliberadamente, temos que evitar aplicá-la.

Discutir sem parar não deixa sobrar energia para viver

Quando as discussões frequentes resultam em aborrecimentos, acabamos nos irritando com nós mesmos. Nos frustramos pela impotência de nunca estarmos de acordo e de não podermos nos entender, nos aborrecemos por não conseguirmos desfrutar um do outro.

Pouco a pouco deixamos de nos sentir bem e cada vez mais nos sentimos confusos diante da nossa falta de vontade para se reconciliar ou mesmo falar. Isto é natural, pois no final acabamos muito indispostos com a possibilidade de manifestar nossas opiniões e sentimentos.

De alguma maneira, cada aborrecimento que somamos é uma nova forma de castigar a nossa identidade e nossa aprovação interna. Por isso, temos que buscar a maneira de romper com o costume de discutir por nada, se desgastar com tudo e começar a se preocupar com o que de verdade importa: viver e apreciar o bom daqueles que estão ao nosso redor.

(Fonte: livreareflexao)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



2 COMENTÁRIOS

  1. Às vezes a pessoa só quer ouvir o quê lhe convém. Acha que pelo fato de não concordar com suas idéias, estamos contra ela, estamos brigando. Não entendem que em diálogo, sempre aprendemos algo.
    Na vida, sempre vai existir uma briguinha, seja em família, seja com o cônjuge, seja entre amigos.
    Acho até saudável uma briguinha de vez em quando, desde que haja repeito.
    Mas quem não consegue lidar com essas arestas da vida, fica complicado.

DEIXE UMA RESPOSTA