A gratidão é um sentimento nobre de reconhecimento por alguém que lhe fez algo especial, que lhe ajudou de alguma maneira, que lhe fez o bem.

Expressar gratidão trabalha positivamente o emocional, tanto de quem está gratificando como de quem é gratificado.

O ato de demonstrar gratidão é, sem dúvida, virtuoso, faz bem e atrai coisas positivas. Mas é muito frequente encontrar nas pessoas o pensamento equivocado de que gratidão significa estar em dívida com o outro, o que causa transtornos e torna a vida dessas pessoas pesada.

Diferença entre gratidão e dívida

Gratidão é um sentimento leve, no qual existe reconhecimento do outro e sua importância. Uma pessoa realmente grata percebe o que alguém fez por ela e se permite aceitar com alegria o que recebeu, bem como desenvolver um sentimento de amor.

Leia mais: Gratidão – Um sentimento a ser cultivado

Já o sentimento de dívida é de outra natureza, pois percebemos que devemos ao outro, é quando causamos a alguém uma falta e nos sentimos responsáveis por isso. Este sentimento pesa e, muitas vezes, gera grande carga de sofrimento.

Há, por exemplo, muita confusão entre esses dois sentimentos no contexto familiar. Muitos filhos acreditam que devem aos seus pais, pelo fato de terem sido cuidados e amados por eles. No entanto, se receberam de seus responsáveis todo carinho que eles puderam oferecer, foi devido ao amor presente nesta relação. E isso é motivo para sentirem apenas gratidão – e não dívida.

Nessa situação, se os filhos ficam presos aos seus pais pelo sentimento da dívida, podem se sentir sufocados por esta suposta prisão. Os pais, por sua vez, também podem pensar que seus filhos possuem realmente essa dívida. Neste contexto, tende a surgir uma dependência emocional baseada na dívida, o que é prejudicial para todos e torna-se um fardo.

Quando confundimos gratidão com dívida impedimos nosso próprio desenvolvimento, pois isso nos prende ao outro.

Neste caso, torna-se fundamental a análise do que sente em relação à determina pessoa: é gratidão ou dívida?

Se for gratidão, viva este sentimento, permitindo-se trilhar sua vida em paz. Caso seja dívida, se faz importante encontrar uma maneira de pagá-la, e isso permite uma gama de diferentes interpretações. Assim, livre de dívidas, fica mais confortável viver, porque o fardo se torna mais leve.

Aspectos psicológicos e espirituais sobre dívidas de gratidão

A gratidão é uma emoção ligada a um sentimento de dívida emotiva em relação à outra pessoa, pois existe um desejo de agradecê-la ou realizar algum benefício ou favor como retribuição.

Leia mais: Gratidão: Fatos que mexem com nossas emoções são oportunidades para o autoconhecimento

No aspecto psicológico, a gratidão e a obrigação são construídas em diferentes bases. Ou seja, receber um favor pode causar o sentimento de dívida quando temos pouco vínculo ou afeição por quem nos beneficiou.

Por outro lado, o sentimento de gratidão genuíno, sem a necessidade de retribuição, é sentido normalmente por pessoas com as quais temos um vínculo afetivo mais profundo.

Em alguns casos, a gratidão pode causar mais sofrimento do que alegria. Isso geralmente acontece quando a pessoa sente-se grata, mas com um sentimento constante de dívida – o que não é saudável

Assim, quanto mais profundo o sentimento genuíno de gratidão, maior será a alegria que o acompanha.

Já dentro de um contexto espiritual, como quando seguimos algumas filosofias específicas, como o Reiki, por exemplo, gratidão também pode referir-se a um sentimento de devoção em direção a tudo e todos, incluindo nossa vida exatamente como ela é. Afinal, momentos bons e ruins nos trarão ensinamentos do mesmo modo, e cada ser vivo que passa por nossa vida nos ensina de alguma forma.

Dessa forma, o sentimento de bem-estar provocado pela gratidão nos eleva como espíritos e como pessoas. Assim, entende-se que não existem dívidas, e sim lições a serem aprendidas.

Pagando as suas contas de gratidão

Muitas vezes é útil e importante fazer um balanço das nossas contas de gratidão, analisando se existe alguma circunstância, pessoa ou situação em nossas vidas pela qual nunca agradecemos e sentimos somente o peso da dívida.

No entanto, ao fazer essa reflexão, percebemos que podemos ser gratos simplesmente, nos beneficiando pelo sentimento positivo gerado e emanando uma energia de gratidão e intenções positivas para os envolvidos.

Leia mais: Expressar gratidão pode mudar seu cérebro

Este exercício pode ser feito inicialmente com nossos pais, irmãos, parentes e amigos e ir abrangendo todas as nossas relações.

Existe um indivíduo, membro da família, amigo, conhecido, colega ou professor, que, de alguma forma, beneficiou a sua vida e você não expressou gratidão? Incorpore a atitude de ser grato e faça dela um hábito de vida. Você vai descobrir que o mundo parece melhor e mais leve quando aprendemos a vê-lo através dos olhos de gratidão.

Expressar a gratidão em pequenas atitudes é uma prática terapêutica, pois serve como um remédio de efeito imediato para tornar qualquer relação mais agradável.

Algumas atitudes simples podem demonstrar esse sentimento de forma leve e muito benéfica tanto para quem expressa como para quem recebe.

Abaixo seguem algumas dicas para que você possa se inspirar:

Atos aleatórios de bondade: Um bom exemplo seria fazer um bolo ou algum prato que a pessoa goste ou levar flores para ela, mesmo que não seja nenhuma data especial. Essas são representações simbólicas de afeto e reconhecimento que custam pouco dinheiro, mas o toque de carinho em um momento inesperado traz uma atmosfera de paz e alegria entre as pessoas.

Mostre interesse: mesmo que a vida seja corrida, é importante priorizar um tempo para perguntar como a pessoa está ou mesmo como foi seu dia, ainda que não seja pessoalmente. Ligue ou envie uma mensagem. Isso mostra que você reconhece seu esforço e ajuda a manter a relação saudável.

Leia mais: A gratidão como medicação para a alma

Agradecimento e abraços: por exemplo, quando a pessoa parceira ajuda em alguma tarefa doméstica ou conserta algo em casa depois de já ter trabalhado um dia inteiro, tente fazer com que ela se sinta imediatamente apreciada, agradecendo verbalmente e/ou com um abraço.

Afeto físico: toque no outro. Um carinho pode mostrar que você está grato de tê-lo perto naquele momento.

Por fim, tente fazer com que isso seja um compromisso para que você tome uma dessas ações a cada dia.

Estes são exemplos simples que podem trazer melhoras incríveis tanto para a relação como para a sua forma de ver e lidar consigo mesmo e com seus próprios sentimentos.

Que tal abraçar a prática da gratidão cada vez mais na sua vida, seja nas relações familiares, profissionais ou sociais?

Quem demonstra gratidão revela grandeza, maturidade e sabedoria!




1 COMENTÁRIO

  1. Tudo não seria mais simples se nos imaginássemos todos como elos de uma corrente? Tipo: os cuidados que recebi de meus pais foram uma transferência do que receberam de meus avós e transferirei para meus filhos. Da mesma forma não preciso, necessariamente, retribuir a ajuda que recebi de um amigo e fechar a corrente mas passar adiante a cortesia …

DEIXE UMA RESPOSTA