Ando reparando que as pessoas estão com receio de começar um relacionamento. Talvez por essa tecnologia desenfreada, da banalização do amor e dos sentimentos faça com que as pessoas ajam como se amar fosse só sinônimo de sofrimento. Hoje em dia dizer “eu te amo” é tão banal e as provas de amor viraram tão fugazes fazendo com que o sentimento não perpetue.

O passado influi muito. Pensar que o passado seja igual o presente é um dos receios que fazem com que um relacionamento não comece. Um trauma gerado, achar que as pessoas são iguais e os relacionamentos serão da mesma forma, é um erro.

Amar não pode ser considerado um castigo, uma dor, ou encarado desta forma. O principal problema é como o encaramos. Se jogar de cabeça num relacionamento, achar que a perfeição do começo será perpétua ou o famoso “mar de rosas” daqueles meses maravilhosos onde parece que achamos o nosso par ideal.

Falta amor, sim. Amor por você, por nós, pelo próximo. Encarar um relacionamento a dois e recomeçar, faz parte da vida e as frustrações também. É sempre tempo de recomeçar. As pessoas precisam aprender a recomeçar.

O término do relacionamento é dolorido, mas não devemos nos enclausurar dentro de nós e achar que tudo está perdido. O tempo passa, a gente aprende e começar um novo relacionamento gerará aprendizados magníficos. Porque temos muito a aprender juntos. Como um casal.

Não tenha medo de recomeçar. Não tenha medo de amar.

Compartilhar
Daniel Velloso
É escritor, o "Avesso da alma" já faz o maior sucesso e em breve lançará o seu segundo livro. Estudante de Psicologia, é colunista exclusivo do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA