Ninguém precisa ficar à mercê da herança genética. Pelo menos não no que diz respeito ao cérebro, que é o responsável por armazenar a felicidade, ou, o pessimismo e a infelicidade, dependendo da nossa escolha.

Mas você deve pensar: nasci em família pessimista, negativa. Fui criado nesse ambiente e como vou ser alegre, positivo, feliz? Tem manual para isso?

Tenho uma excelente notícia, é possível e, é mais simples do que você pensa.

A neurociência, depois de testar as moléculas de emoção e as ondas cerebrais, comprovaram cientificamente o que já havia sido dito por santos, sábios, filósofos. As conclusões são que, desde Aristóteles e Platão, até São Tomás de Aquino e Santo Agostinho, passando para outras realidades como Confúcio, Buda, Benjamin Franklin, entre outros, os fundamentos do bem-estar e do que gera a felicidade, já foram descobertos e difundidos lá atrás.

Porém, hoje, a diferença é que a comprovação vem com detalhes através de exames muito mais apurados, que não podem ser questionados. Não são mais dados subjetivos, passam a ser parte da ciência e então, não há desculpa para não tentar, para não mudar, para…

Descobrimos assim, que podemos modelar uma nova paisagem no cérebro e recusar a paisagem que desenhamos até então, que nos levou a doenças como a ansiedade, depressão, angústia, ou até mesmo, à problemas físicos como pressão alta, ulcera, gastrite, fibromialgia, entre tantas outras.

Vamos lá! Falei que é simples, então, vou comprovar.

Nossa cultura, foca muito no erro, em arrumar o que está errado, em fortalecer algo olhando apenas pelo lado da fraqueza. Se mudarmos o ângulo já começamos a mudar a paisagem. Quando ativamos algumas mudanças essenciais na nossa vida, podemos então, ir modelando e consolidando essa nova paisagem.

E o resultado? Um cérebro positivo, uma vida mais leve, saudável e feliz.

Mudanças de hábitos necessários para combater e mudar nossa genética pessimista:

1. Precisamos aprender mais para colaborar com a “juventude” do cérebro, com a neuroplasticidade dele. Se formos mais abertos a novas experiências, novas

conexões serão formadas com facilidade. Da mesma forma como a gente vai a academia para definir os músculos e para ser mais saudável, quando a gente aprende coisas novas a gente faz isso também, só que no cérebro.

2. Exercite mais a benevolência, a humildade, a empatia, que são bases para relações saudáveis e duradouras. Laços afetivos são importantes para nossa base de bem-estar e felicidade, para essa nova modelagem que nos propomos a fazer.

3. Tenha propósito de vida claro. De preferência, faça o que gosta e, se não puder fazer no momento, planeje quando vai fazer, coloque datas, estipule prazos, pois, para o cérebro, isso é muito importante.

4. Exercite a fé, independente da religião. Fé é essencial.

Pesquisas mostram que as pessoas felizes têm menos substâncias químicas perigosas do estresse no corpo, segundo Peter Weissberg, diretor médico da British Heart Foundation. Então não vai querer ficar de fora dessa mudança, não é? Afinal só tem benefícios.

Comece hoje e não deixe para amanhã! E quer outra dica valiosa? Liste cada um dos quatro itens acima e coloque o planejamento para cada um. O que vai fazer a cada dia para cada um deles. Faça isso por, no mínimo um mês e, ficará mais fácil você permanecer fazendo depois. Isso será incorporado a sua rotina.

Depois me fale como foi.

Grande abraço!

Isabel

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Isabel Rios Piñeiro

Apaixonada por ajudar cada pessoa na sua metamorfose em um ser mais saudável, próspero e feliz! É colunista do site Fãs da Psicanálise.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here