Eu passei uns 10 anos da minha vida sem chorar.

“Pessoas fortes não choram”. Era o que eu pensava.

Eu vivi uns 15 anos sem pedir ajuda.

“Pessoas fortes não precisam de ajuda”. Eu realmente acreditava nisso.

Eu busquei a minha vida toda a minha independência. Pra não precisar da ajuda de ninguém. Queria independência financeira. Queria ter o carro próprio. A casa própria. Tudo conquistado com meus méritos próprios.

Se a sociedade é baseada na meritocracia, eu vivia pelos meus méritos.

Eu queria mostrar para os outros que eu era capaz.

Quando as pessoas diziam que não daria certo, ou quando duvidavam, ou quando não confiavam que eu era capaz, eu me empoderava. Eu tirava força da desconfiança dos outros. Queria mostrar que era capaz.

A cada passo em direção ao sucesso, sentia que realmente era forte.

A cada pequena conquista, tinha mais certeza de que era forte. E de que fazia sim sentido ser forte.

Mas a vida veio e me aplicou uma rasteira.

Uma não.

Algumas. Na sequência.

E eu chorei. Depois de mais de 10 anos eu aceitei voltar a chorar.

E eu me levantei e vi que estava sozinho.

Na verdade, não estava sozinho. Estava apenas tentando ir sozinho.

Ao meu lado estava muita gente. Minha família, meus amigos, amigos de amigos e pessoas que eu nem sabia que existiam.

Eu levantei a mão e pedi ajuda.

E todas essas pessoas começaram a me ajudar.

E aí a minha vida que estava muito difícil começou a ficar fácil. Eu vi que sozinho eu tinha que colocar o triplo do esforço.

Eu entendi que esse negócio de querer ser forte é um dos maiores absurdos do mundo.

É impossível sustentar esse negócio de querer ser forte.

Por um motivo muito simples.

Eu não sou forte.

Quando eu tento ser quem eu não sou, eu não consigo sustentar. Não por muito tempo.

Tentar ser outra pessoa e usar uma máscara dá trabalho.

E eu não quero mais esse trabalho.

Ninguém é forte. Não existe isso. Nossa natureza é frágil. Somos tão pequenos diante da vida.

Então por que ficar bancando o forte?

Talvez em algum momento da sua vida isso tenha te ajudado. Talvez era a única coisa que lhe restava. Ser forte.

E deu certo naquele momento.

Mas você não precisa mais disso. Talvez esteja ficando muito pesada essa máscara.

O mundo está mudando.

Existem milhares de pessoas esperando você levantar a mão e pedir ajuda.

Não é na força que as pessoas se conectam. É na vulnerabilidade.

Ninguém gosta de ouvir uma pessoa contando quão forte e boa ela é. Mas todo mundo quer ajudar alguém que chora e pede ajuda.

Não somos seres independentes. Somos interdependentes. Estamos conectados e precisamos uns dos outros.

Você já pode parar de tentar ser forte…

(Autor: Gustavo Tanaka )

(Fonte: medium.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA