Little girl with blue bird

“Perdoar é fazer uma prece sincera e entregar o ofensor à justiça divina.” Mário Frigéri

Recebi essa mensagem sobre o Perdão através de um grupo do Whatsapp, repasso para vocês. Alguns entendimentos sobre a cura através do auto perdão e do perdão ao outro:

1. Perdoar é um processo contínuo, não algo que você faz apenas uma ou duas vezes na vida.

2. Perdoar é mais fácil quando você deixa de colocar-se na posição de vítima.

3. Perdoar faz bem a você e não ao autor da ofensa, porque devolve a você a paz de espírito.

4. Perdoar significa que você reconhece as suas imperfeições e que não tem o direito de
exigir perfeição nos outros.

5. Perdoar significa que você não pode controlar o que os outros fazem, mas pode se
controlar ante o que os outros lhe fazem.

6. Perdoar significa que você aceita o fato de as pessoas não serem como você gostaria que fossem.

7. O perdão não significa que o que aconteceu estava certo, nem que você deva esquecer o que aconteceu. Você não deve esquecer, pelo menos a curto prazo, para evitar que aconteça de novo.

8. Perdoar é do coração, sobre cujos sentimentos você pode ter controle, se souber reeducar-se. Esquecer é da memória, sobre cujos registros você não tem autoridade. Se tivesse, você poderia apagar todas as lembranças que lhe causam mágoa.

9. Mas o perdão é tão poderoso que permite a você regenerar a memória: como duas coisas não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo na memória, o perdão lhe permite substituir nela a figura do ofensor pela figura de um benfeitor. Com o tempo, a primeira se dissolve e a segunda se corporifica.

10. O perdão restabelece a harmonia em seu coração e faz você passar de vítima a herói.

11. O perdão significa que você opta por não se magoar e que deseja fazer parte da solução do problema.

12. O perdão significa que você não tem que sofrer para sempre só porque alguém o ofendeu em determinado momento.

13. O perdão não significa que você tem que reconciliar-se de imediato com o ofensor, mas que você deseja desligar-se magneticamente dele. A reconciliação pode ocorrer mais tarde, quando a dor – essa domadora de feras – houver abrandado as rudezas do coração e tornado a pessoa inofensiva.

14. O perdão não tem o poder de mudar o seu passado, mas tem o poder de mudar o seu
presente e de resguardar o seu futuro.

15. O perdão significa que você não tem que levar o ofensor em sua mente a toda parte por onde andar.

16. Quem não perdoa está alugando um aposento em sua casa para o inimigo.
17. Quem ocupa a mente com a pessoa que o magoa está tirando o espaço de uma pessoa que o ama.

18. O perdão não busca a mudança do ofensor, mas a cura do ofendido, evitando seu
esgotamento emocional.

19 Quem não perdoa encharca a mente de raiva, perturba a circulação do sangue e assume o risco de produzir doenças degenerativas.

20. Quem não perdoa está dizendo que suas dores são mais importantes que suas bênçãos.

21. Quem não perdoa está contrariando a lei divina e dizendo que prefere sofrer.

22. Quem perdoa está olhando o ofensor como o médico olha um paciente malcriado, ou
seja, como um doente que precisa de tratamento e não de recriminação.

23. Quando culpamos alguém pela nossa raiva estamos dando a ele controle sobre as nossas emoções.

24. Quando perdoamos, tornamo-nos senhores de nosso destino, tirando do ofensor o poder que exercia sobre nós.

25. “Se pudéssemos conhecer a vida particular de nossos inimigos, encontraríamos nela
sofrimento suficiente para desarmar qualquer hostilidade de nossa parte.” (Anônimo)

26. “Ao causar um dano a seu inimigo, você se torna inferior a ele; ao vingar-se dele, você se iguala a ele; ao perdoá-lo, você se torna superior a ele.” (Benjamin Franklin)

27. “Quando odiamos nossos inimigos, estamos lhes dando poder sobre nós: poder sobre
nosso sono, nosso apetite, nossa pressão sanguínea, nossa saúde e nossa felicidade. Nossos inimigos dançariam de alegria se soubessem quanto nos estão aborrecendo.” (Dale Carnegie)

28. “Quando guardamos ressentimento contra alguém, ficamos presos a essa pessoa por um elo magnético gerado pela nossa mente. Podemos cortar esse elo por um profundo ato de perdão espiritual. Tão importante é o perdão na vida humana que Jesus o incluiu na oração do Pai-Nosso.” (Emmet Fox)

29. “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; fazei o bem aos que vos
fazem o mal e sede misericordiosos como vosso Pai que está nos céus.” (Jesus)

30. Por fim, perdoe-se a si mesmo. O autoperdão é tão importante quanto o perdão. Por ser ainda imperfeito, todo ser humano tem o direito de errar, mas não deve fazer desse erro um punhal cravado no próprio peito. Arrependa-se, perdoe-se, repare o prejuízo causado pelo seu erro, assuma o compromisso de não errar mais (ou, pelo menos, de errar menos) E TRATE DE SER FELIZ!

(Texto reelaborado a partir de conceitos respigados nas obras: 1. O poder do perdão. Dr. Fred Luskin. Editora Novo Paradigma. 2. Amor incondicional e perdão. Edith R. Stauffer. Editora Totalidade. 3. Perdão. Gerald G. Jampolsky. Editora Cultrix.)

Compartilhar
Natthalia Paccola
Psicanalista, Jornalista, bacharel em Direito e mestre em Geociências. Há anos desenvolve um trabalho intenso na Psicoterapia Online através de Skype e Facetime. É responsável por várias mídias sociais que levam o nome do site que idealizou e dirige, o Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA