Um dos grandes problemas de viver no século XXI é que o nosso quotidiano é uma correria desde o momento em que nos levantamos ao som de um irritante despertador, até a bendita hora em que a cabeça reencontra o travesseiro. E durante esse meio tempo, e porque a barriga dá sinais de fome, devoramos “qualquer coisa” de pé, ao volante do carro ou em frente ao computador no escritório. Esta forma de “aspirar” os alimentos dará origem, mais cedo ou mais tarde, a um estilo de vida pouco saudável e altamente estressante.

Com o simples e poderoso ato de comer mais devagar podemos começar a alterar esse estilo de vida imediatamente. Mto difícil? Não! Bastam garfadas menores, mastigar mais devagar e durante mais tempo, o que implica, claro, desfrutar de uma refeição mais alguns minutos. São necessários apenas alguns minutos extras em cada refeição para conseguir efeitos desejáveis e profundos na sua saúde.

Provavelmente já ouviu falar do movimento “Slow Food”, iniciado na Itália há cerca de duas décadas, em clara oposição ao movimento “Fast Food”.

No fundo, a ideia é muito simples: o “Slow Food” é tudo aquilo que o “Fast Food” não é. Se ler atentamente o Manifesto “Slow Food” vai perceber que muito mais do que uma chamada de atenção para a sua saúde, é um estilo de vida. Independentemente de querer aderir ou não a este estilo de vida, a verdade é que existem vários e bons motivos para começar a comer mais devagar:

1. Perder peso. São já vários os estudos a confirmar que só o simples ato de comer mais devagar consome menos calorias, ou seja, pode perder até 9 quilos por ano só porque abrandou na hora das refeições! E isto porquê? O nosso cérebro precisa de 20 minutos para registar a sensação de “barriga cheia”, ou seja, se comermos muito depressa, vamos ultrapassar a barreira dos 20 minutos sem dar por ela, provavelmente consumindo mais do que o necessário para nos sentirmos saciados. Se saborearmos os alimentos, teremos tempo para percebermos que estamos cheios e para arrumarmos os talheres. Claro que se aliar esta técnica a uma dieta saudável, tanto melhor, mas se não, é um bom começo para o seu novo estilo de vida.

2.Desfrute da comida. Se estiver “inalando” a sua comida, tal qual um aspirador, não tem hipótese alguma de saborear os seus diferentes paladares que, aliás, é o grande objetivo da arte de comer. Não há melhor exemplo do que os alimentos “gulosos” que comemos porque sabem bem (estes podem e devem ser saboreados, mas em pequenas quantidades e muito, muito devagar!). Afinal de contas, qual será o prazer de comer uma fatia de cheesecake ou um hambúrguer suculento, se vai ingeri-lo tão depressa que nem tem oportunidade de o apreciar? Se desfrutar dos seus “pecados alimentares” em câmara lenta (ou quase!), vai poder concentrar-se na explosão de sabores e vai certamente precisar de menos quantidade, porque a qualidade será elevadíssima! Cada refeição deve ser um evento gastronômico e não duas garfadas de rápidas entre a reunião com os diretores e a consulta no dentista.

3. Uma digestão melhor. Mais simples é impossível: se comer mais devagar, vai mastigar os alimentos melhor, o que, por sua vez, vai refletir-se na sua digestão. O ato de digerir começa na boca, ou seja, quanto mais trabalho tiver aí, menos terá no estômago, melhorando assim o seu sistema digestivo e evitando eventuais perturbações do mesmo.

4.Menos stress. Comer devagar e prestar atenção total aos alimentos e ao ato de os saborear é, em si só, um exercício mental muito exigente… porém compensador! Quando estiver comendo, coma. Desligue a televisão coloque o celular no modo silencioso, guarde a revista, feche a porta e simplesmente desfrute do momento. Ah, e nada de pensar no trabalho que tem para entregar ou na roupa que está por passar a ferro. Experimente!

5.Diga não ao “fast food” e ao “fast life”! Uma vida caótica e sempre corrida vai levá-lo à comida rápida e ao ato de comer com pressa. Infelizmente, esta forma de viver está a desumanizar-nos, a roubar a nossa saúde, tornando-nos estressados e infelizes. De mais a mais, vivemos numa roda-viva constante que nem os pequenos momentos como as refeições aproveitamos para parar um pouco, para conversar, para descontrair, para saborear, para ser humano. Contrarie tudo isso começando hoje: quando for almoçar ou jantar, coma devagar. Evite as cadeias de “fast food” e escolha antes um bom restaurante ou, melhor, cozinhe uma bela refeição e dê-se ao luxo de a gozar do princípio ao fim. Saboreie a vida!

(Fonte: estadozen.com)
*Adaptação livre Fãs da Psicanálise

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA