Nos últimos 10 anos aumentou o número de adolescentes e jovens que se matam no Brasil. Veja os principais sinais de alerta.

A taxa de suicídio de adolescentes com idades entre 10 e 14 anos aumentou 40% nos últimos 10 anos e 33% entre aqueles com idades entre 15 e 19 anos, segundo o Mapa da Violência 2014. Todo dia, 28 brasileiros se suicidam e, para cada morte, há entre 10 e 20 tentativas. Médicos alertam que é um problema de saúde que não recebe tanta atenção por causa do tabu social. Para ajudar a combater essa epidemia silenciosa, GALILEU conversou com uma série de psiquiatras e psicólogos sobre o problema e elaborou uma lista de seis alertas sobre o comportamento suicida.

1 – Frases de alarme
Existe um mito de que pessoas que falam em suicídio só o fazem para chamar a atenção e não pretendem, de fato, terminar com suas vidas. “Isso não é verdade, falar sobre isso pode ser um pedido de ajuda”, afirma Mônica Kother Macedo, psicanalista especializada em suicídio e professora da PUCRS. Adriana Rizzo, engenheira agrônoma voluntária da ONG Centro de Valorização da Vida (CVV) há 16 anos, já atendeu milhares de ligações de pessoas que pensavam em suicídio. Algumas das frases mais comuns ouvidas por ela foram “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”. Então, se você ouvir um parente ou amigo falando algo do tipo, preste atenção.

2 – Mudanças inesperadas
Todo mundo passa por mudanças na vida, faz parte do pacote. Mas algumas mudanças podem ser traumáticas quando não estamos preparados para elas. Uma pessoa fragilizada por uma depressão ou outro problema psíquico dificilmente terá condições de encarar uma mudança inesperada, como perder um emprego que considerava muito importante. “Alguém tinha um hobby e abandona tudo, era super vaidoso e fica desinteressado. A mudança de comportamento é o momento em que a gente se aproxima da pessoa para saber o que está acontecendo, porque quem sabe dividindo ela vai entender que é só uma fase”, diz Macedo.

3 – Depressão e drogas
As estatísticas alertam: para cada suicídio, há entre 10 e 20 tentativas, ou seja, quem tentou suicídio está muito mais vulnerável. “Uma tentativa de suicídio é o maior preditor de nova tentativa e de suicídio”, diz o psiquiatra Humberto Correa da Silva Filho, vice-presidente da Comissão de Estudos e Prevenção de Suicídio.

Segundo alerta: quase 100% das pessoas que se suicidaram enfrentavam algum problema mental – a maioria depressão. Quem está sofrendo depressão ou outro transtorno devem receber maior atenção . E, se a pessoa consome álcool ou outras drogas, atenção redobrada. “O maior coeficiente de suicídio se dá por transtorno de humor associado ao uso de substâncias psicoativas, mais da metade dos casos de suicídio. Depressão e consumo de álcool e drogas é responsável pelo maior numero de mortes no mundo inteiro”, afirma o psiquiatra Jair Segal.

4 – Pode não ser só aborrescência
As taxas de suicídio dos jovens brasileiros aumentou mais de 30% nos últimos 10 anos, como explica nosso dossiê da edição de outubro. Mas, muitas vezes o comportamento errático atribuído como típico do adolescente pode ser um sinal de intenção de suicídio. “Existe uma falsa ideia de que a depressão atinge mais pessoas adultas. O adolescente apresenta outros sintomas, ele vai se trancar no quarto, não vai falar com ninguém, e isso vai ser entendido como fenômeno da adolescência normal, já que ele não consegue expressar seu sofrimento de uma forma clara”, explica Segal.

5 – Preto no branco
Somente 15% dos gravemente deprimidos vão se suicidar, mas a depressão severa continua sendo a maior causa do suicídio. Por isso, é preciso ficar atento quando a pessoa demonstra zero interesse na vida ou nos outros. “Para o deprimido, o mundo deixa de ser colorido, é preto e branco. Ele tem baixa autoestima, desinteresse por todos e fica muito voltado para ele mesmo”, explica o psiquiatra Aloysio Augusto d’Abreu. Quando em depressão severa, a pessoa se isola dos outros e não vê motivos para continuar viva. É um alerta de urgência.

6 – Bom demais para ser verdade
Um caso que marcou o psiquiatra d’Abreu foi o de um paciente muito deprimido que simulou uma melhora para passar o final de semana em casa e, lá, usar uma espingarda para se matar. A simulação de melhora é comum em diversos casos de suicídio, então, se uma pessoa que normalmente é deprimida parecer subitamente alegre, é importante acompanhá-la para garantir que ela não tentará o suicídio.


O que você pode fazer?
Segundo o psiquiatra da Rede Brasileira de Prevenção do Suicídio Carlos Felipe Almeida D’Oliveira, o ideal é conversar com a pessoa e não deixá-la sozinha. Ao conversar, procure não falar muito e ouvir mais, já que muitas vezes a pessoa só precisa ser ouvida. “Se possível, acompanhe-a a um profissional de saúde e peça orientação”, diz. Outra medida é retirar acesso de ferramentas potencialmente destrutivas dentro de casa – como arma, remédios e substâncias tóxicas – para evitar o uso delas em um impulso.

(Autor: Gabriela Loureiro)

(Fonte: http://revistagalileu.globo.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



11 COMENTÁRIOS

  1. Já estive em profunda crise de depressão quando morava em minha cidade Campos Gerais, MG e não tive ajuda de ninguém, pois as pessoas acham que é frescura, vigimento para não trabalhar e até os psiquiatras não nos tratam com o devido cuidado que precisamos na maioria das vezes só entopem de medicamentos, alem de quando a gente este pedindo socorro para não cometer o suicídio é a coisa mais difícil conce quir uma consulta urgente mesmo pagando, mas em Guapé, MG tive o prazer de conhecer a Dra. Carla psicologa e sim por ela estou muito bem, falar que tem cura, não acredito mas estou vivendo sem medicação pois hoje eu sei ou melhor já me conheço e sei me controlar e consigo ter uma vida normal, mas não foi fácil conseguir mas minha Fé e força de vontade me ajudou muito, por isto entendo que o sofrimento de um pessoa depressiva ou com qualquer transtorno mental sofre muito.

  2. Bem minha historia e seguinte,tive depresao,e ainda estou,realmente e muito dificel,meu marido me deixou,enao me entenia dizia que era frescura, que depresAO NAO EXISTE,achau m monte de defeito e me abandonou,foram 12 anos de casamento, a faz 4 de sepaçao, e hoje eu aindo tenho depresao,tomo remedio,e ele meu ex marido me diz que eu sou loucA, TEMOS UM FILHO DE 10 ANOS,TIVEMOS UMA FILHA ANTES DESSE E ELA VEIO COM DOOW ,ACABOU FALECENDO,BEM RESUMINDO ME SINTO SOZINHA SEM APOIO,MESMO TENDO MEUS PAIS DO MEU LADO,ACHO QUE ACABA SENDO UM EsTORVO NA VIDA DELES,AFINAL,ELES JA ME CRIARAM Afinal tenho 42 anos,sofro muito,fiquei sem nada, tento continuar vivendo,por meu filhos….afinal eles precisam de mim,hoje tenho um neto de 2 ano,que me ajuda a enfrentar essa situaçao,mas nao tenho enterece de nada,acredita,,que nem de lavar a louça,pois,tA DIFICEL.me sinto muito sozinha.. estou aqui no meu quarto so eu e DEUS….. pq meu filho esta na casa dos avos paternos…………se depedence de mim,eu nem saia de dentro de casa, mas faço farça e saio….ta dificel,muito……….

    • Cleoseti bom dia!
      Ja tive depressão também e pelas suas palavras, vejo que você depositou no seu marido o seu valor pessoal, mas não encare toda essas situações de forma traumática, você é filha de Deus sim e jamais estará sozinha, se não tem forma para lutar ( eu sei bem como é, as dores o cansaço o desprazer pela vida) tente pensar apenas e remeta a sua cabeça uma sensação de finitude através da aceitação dos fatos, aceite o fato de vocês estar doente, aceite o fato de que ele se foi, aceite o fato de estar com seus pais, aceite o fato que seu filho é maravilhoso e tem uma neto cheio de vida,
      Tudo é um processo, se precisar apagar o fogo com remédios, apague, para que você tenha uma base para mudar sua vida, lembre-se a mente vicia em tudo que damos para ela, quando caímos é difícil nos reerguer, mas acredite e ACEITE, tenha fé em acreditar no fim de toda essa situação, você vai perceber que os meses irão passar lentamente no começo, mas não deixe de alimentar seus pensamentos mesmo que seja um por dia um pensamento positivo, com o tempo você vai passar a vibrar diferente e novas situações lhe mostram com clareza seus novos objetivos. na parte física, sempre durma bem, é a noite que o organismo recupera.
      Um beijo de Luz fique na paz de Deus.

  3. Olá… desde os 12 anos (to com 20 agora) quero e tento morrer. Já tive meses piores… Mas me acostumei que todas as tentativas eram em vão. Então resolvi ir vivendo…
    É difícil…. aprendi a valorizar cada segundo que tenho de vida, que pode ser o último, como pode não ser.
    Refleti bastante sobre o TEMPO. É incrível como isso é a única coisa q temos e ao mesmo tempo não temos pois ele não existe de fato. O que existe é o momento, é o sentir, é aprender a valorizar e a amar cada coisa que como ela é.
    O mais estranho é que as pessoas me dizem que sou como uma âncora pra elas,como alguém que dá forças e incentiva elas a tentar ser melhor. Muita gente se estressa e perde tempo com tanta coisa inútil e que conversas resolveriam fácil… só quem ja sobreviveu à morte (seja ela provocada por si ou pelos outros a vc) que entende de verdade o que é viver.
    É difícil viver esperando morrer. Ela demora pra chegar de fato. A coisa que mais me faria feliz seria saber que estou morrendo e vai dar certo dessa vez. Ela nos acompanha a todo momento e as vezes pergunto “já está na hora de irmos embora?”, a resposta é não e as vezes um silêncio. Já tentei pressiona-la a me levar, ela não cede a pressão. “Então vamos conviver, não precisa me avisar quando for a hora, só seja gentil e faça seu trabalho.. já vai ser meu presente.”
    Não sei se é isso que gostariam de ler, mas é isso que penso a respeito.

  4. Eu vivo em depressão sou o filho mais de 3, tive uma fase da minha vida que dei muito trabalho aos meus pais, uma fase que estava descobrindo o mundo então meus pais se fecharam pra mim, nada dava certo então decidi que precisava haver uma mudança em mim, eu reconheço que mudei me tornei uma nova pessoa uma pessoa melhor e mesmo assim minha família continua me tratando da mesma forma de quando eu era uma pessoa errada, e mais meus irmãos que se tornaram pessoas ruins que fazem o que eu fazia antes e mesmo assim tudo meus pais fazem por eles. Não aguento mais isso tudo tudo na minha em todas as áreas tudo dá errado.

  5. Tenho 54 e quando jovem (23) entrei em depressão profunda…..sair da cama era um custo, comer nem pensar…achei que iria morrer, embora nunca tenha tentado o suicídio. Meus pais fizeram tudo que estava a seu alcance para me ajudar mas eu não via futuro para mim, me sentia velha, fraca e sozinha; então só me restou uma saída: Deus, o meu criador. Desenvolvi uma amizade íntima com Ele e todos os ias lhe escrevia o que sentia, como o salmista da Bíbia, o rei Davi. E assim meus ias foram passando, foi melhorando, fui começando a desejar uma nova vida e tudo foi fluindo….
    Hoje sou casada, tenho 3 filhos maravilhosos e uma vida linda. Não sou rica, trabalhamos para viver mas agradeço ao meu Deus tudo que tenho e sou e pelo meu Deus eu prometi nunca mais deixar a depressão me vencer. Jovens, Jesus ama muito vocês, tudo que precisarem peçam a Ele de todo o seu coração e Ele vos concederá. Ninguém que busca a Deus fica sem encontra-lo e ninguém que o encontra será o mesmo. Obrigada meu Deus pela oportunidade de dar o meu testemunho. Paz e luz à todos!

  6. Já estive em depressão profunda, já atentei contra a minha vida varias vezes, e digo a todos (as) que estão passando por isso: não desistam!
    Hoje sei que toda vez que pensei em me matar, na verdade eu não queria morrer, queria era acabar com aquela situação, e não com a minha vida. Mas a morte não acaba com nada . Algo que me ajudava muito também era pensar que o suicídio era a última opção, e eu não tinha tentado todas antes dela. Cheguei a fazer uma lista com coisas que poderia fazer pra melhorar antes de pensar nisso.
    Um ano de terapia, neguei medicação, a depressão não tem cura, mas hoje quem a controla sou eu, e não ela a mim.
    Por isso, peçam ajuda, de família, amigos, profissional (psicólogo e psiquiatra), e espiritual se for o caso, antes de desistir da vida.

  7. Sou estudante de psicologia e vou me aprofundar na questão do suicídio na adolescência e gostaria muito de poder ajudar o Luan Costa que falou dele em um comentário acima.
    Agradeceria muito se vocês me colocarem em contato com ele

  8. Tem q deixar a pessoa fazer oq tem vontade,viver uma vida incapacitante sendo um fardo só pq a sociedade acha que suicídio é errado tmb não é bom p doente,pensa como ele se sente sabendo que todos o olham c dó,isso não consegue tira lo da doença,pelo contrário o deixa pior,se sentindo um lixo,eu falo pq vivo essa tristeza de não ter uma vida alegre e não posso me desfazer da minha vidapq sei que msm dps de morta ainda vou ser julgada como fraca e incapaz pelas pessoas que me abandonaram,então tenho que empurrar minha vida esperando o fim,sabendo que as minhas costas uns tem pena,outros te excluem(ninguém gosta de conviver c fracassados) e alem de doda a dor aninda temos q fingir que somos normais,pq pessoas vão te crucificar,não podemos falar oq sentimos,se vc fala q vc não é feliz milhares te repreendem dizendo que vc é errado (oq aumenta ainda mais sua dor,pq alem de ser fracassado ainda nos jogam a culpa) a vida é boa q vc é mal agradecido,mas nenhum pergunta o porquê da sua infelicidade

  9. Tenho pensado nisso, estou numa fase complicada, triste mesmo, estou mantendo meu casamento pelo bem de todos, menos o meu, e estou prestes a perder o emprego, não sei o q fazer.

DEIXE UMA RESPOSTA