Enquanto você perde horas decidindo a roupa e idealizando a sua balada perfeita, tem gente que veste a primeira roupa que vê pela frente e sai simplesmente e quando você vê essa pessoa, acrescenta: que pessoa estilosa!

Enquanto você passa horas ajeitando milimetricamente o cabelo ou tentando esconder aquela espinha bem na ponta do nariz com quilos de maquiagem, tem gente que sai com a cara lavada e o cabelo bagunçado, e você diz: nossa que pessoa bonita!

Enquanto você tem vergonha porque seus dentes da frente são um pouco afastados, tem gente que tem os dentes todos desalinhados, e você olha para a pessoa e fala: nossa que sorriso lindo!

Enquanto você precisa beber litros para se sentir desinibido quando sai, tem gente que não bebe nada a noite inteira e está lá, rodeada de amigos, conversando mil, paquerando e você pensa: queria ser como aquela pessoa!

Leia mais: Autoestima: Como anda a sua?

A principal diferença entre você e “aquelas pessoas” está na maneira como elas percebem a si mesmo, pois elas não transferem para terceiros a avaliação de si.

A autoestima, seja em qual for o nível, é uma experiência íntima, pessoal e intransferível.

O conceito é centrado em como o indivíduo percebe, avalia e se comporta, em relação a si mesmo, mas é também delineado por normas culturais, valores e crenças coletivas vigentes em cada época.

É preciso reconhecer esses valores e padrões que são estabelecidos, e muitas vezes até impostos, dos padrões reais e que pertencem só a você. Pois quem não atinge um nível ideal de equilíbrio, passa a viver uma contradição, fingindo ser o que gostaria e não assumindo sua própria identidade.

Não queira ser outra pessoa simplesmente porque acha ela mais bonita!

Aprenda: A beleza é um estado de espirito! Ninguém é bonito ou feio o tempo todo! E também, ninguém é melhor que você mesmo para definir o quão valioso você é.

Não deixe que te definam. Made yourself! Pare de querer se encontrar nos outros, no modelo da capa da revista, na comédia romântica que você tanto gosta! Eles não são você! Aceitar isso pode te custar bem menos esforço mental, físico e social.

De posse desse conhecimento, abra sua mente! Reconheça seu valor!

Você não precisa de roupa nova e de dentes perfeitos. Você precisa estar disponível. Disponível para você mesmo. Disponível para conversar, conhecer, sorrir, dançar, enfim viver.

Leia mais: Como ser mais autoconfiante

Não pense somente, VIVA! Espalhe um pouco de autenticidade pelo mundo! As pessoas precisam de você. Imagine o privilégio que “aquelas pessoas” teriam ao conhecer você e todo o seu valor!

E se elas te rejeitarem, tudo bem!

Da próxima vez que estiver num balada com seu copo vazio, sozinho ou acompanhado, sendo aceito ou rejeitado, antes de se embriagar completamente, adicione gelo a duas dose de sua autoestima. Você poderá se surpreender com o resultado.

(Autor: Victor Fernandes de Freitas, é estudante de Medicina e Biomédico)
*Texto enviado pelo autor exclusivamente para os leitores de Fãs da Psicanálise

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA