A animação, baseada em fatos reais, foi produzida a pedido da Unicef e ganhou cinco Leões em Cannes, entre eles o "Grand Prix for Good" - Foto: Divulgação/ Malak e o Barco

A animação brasileira “Malak e o Barco” foi a grande vencedora da edição 2016 do Festival Internacional de Criatividade de Cannes.

O curta, com duração de dois minutos, mostra a batalha enfrentada pela menina síria Malak, de apenas sete anos, que foi sobrevivente de um barco com refugiados que cruzou o Mediterrâneo.

A animação, baseada em fatos reais, foi produzida a pedido da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e ganhou cinco Leões em Cannes, entre eles o “Grand Prix for Good”, que é o prêmio máximo do Festival.

Ao longo da história apenas sete condecorações como esta foram entregues a campanhas humanitárias.

A animação também levou para casa um Leão de um ouro, um de prata e dois de bronze.

O curta faz parte de uma campanha global da Unicef para divulgar e alertar sobre a crise na Síria e os abusos contra refugiados menores de idade.

Leia mais: Unicef lança “contos que não são de fadas” sobre crianças refugiadas

Com a participação de voluntários brasileiros, a animação possui versões em inglês, espanhol e sírio. “A ideia foi reproduzir histórias reais de crianças narradas por elas, no formato de um desenho animado, mostrando que nem todas as situações são apropriadas a elas”, afirma o paulistano Adhemas Batista, diretor de design do curta.

Ao todo, outros 10 brasileiros participaram da premiada animação, que foi produzida no Brasil e em Los Angeles, nos Estados Unidos.

(Fonte: uol.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA