Todos nós já tivemos que lidar com pessoas que criam expectativas, fazem promessas ou se comprometem a fazer alguma coisa, mas que acabam decidindo dar as costas. Isso acontece na esfera amorosa, quando um dos dois desaparece e o outro não sabe o que pensar, nos negócios e no trabalho, quando ele se permite e dedica tempo para chegar a um acordo que não é respeitado.

Virar as costas é o estilo pessoal de algumas pessoas. É assim que alguns criminosos também costumam se comportar: querem obter um benefício, mas não estão dispostos a pagar o preço do risco que correm.

“Tentar lutar contra um inimigo invisível é como tentar escapar da própria existência”

Esse comportamento é muito prejudicial para quem sofre. Causa uma profunda desorientação. Pode-se gastar muito tempo tentando montar o quebra-cabeça e entender por que alguém fez isso. No final, é possível que apenas uma grande desconfiança dos outros e uma massa de recriminações contra si mesmo permaneçam. Por esse motivo, aqui está uma ajuda para não deixar isso acontecer.

Aqueles que se permitem virar as costas o fazem porque sabem ou acham que fizeram algo errado. Eles não têm peso, lógica, honestidade ou consideração para com a outra pessoa.

Agimos conscientemente contra a ética ou os valores. Ao mesmo tempo, surge a ambivalência: a incapacidade de admitir aos outros que o comportamento de alguém é inadequado , que um erro foi cometido, uma atitude para se envergonhar.

No entanto, ao mesmo tempo, essa atitude indica falta de modéstia. Dar as costas é uma maneira de resolver um problema ignorando a outra pessoa, privando-a de uma consideração bem merecida.

Entende-se que não há interesse em remediar os danos e que existe um certo desprezo (“não é tão sério”); a pessoa afetada deve enfrentar as consequências e aceitar que não há nada que possa fazer sobre isso.

Nesse sentido, virar as costas também é uma forma de cinismo, ou seja, você age deliberadamente incorretamente e deixa a pessoa em questão resolver tudo da melhor maneira possível.

A incapacidade de assumir a responsabilidade

Dar as costas também é, obviamente, um sinal de falta de responsabilidade. As relações são baseadas em acordos coletivos, implícitos ou explícitos. Leis, religiões e ideologias são meios de transmitir a importância desses acordos, necessários à convivência em grupo. Nós nos beneficiamos dos outros e, em troca, devemos lhes trazer benefícios. Este é o acordo básico.

Responsabilidade refere-se à capacidade de responder e é aprendida nos primeiros anos de vida. Implica uma consciência dos compromissos e obrigações que temos para com os outros. Alguns entendem que a responsabilidade é uma escolha pessoal. Não é necessário que alguém esteja observando que os pactos sejam respeitados. Não depende da recompensa ou punição dos outros, mas da consciência de alguém.

Ao dar as costas, você evita a obrigação de responder pelo seu trabalho. Essa atitude quebra compromissos e, é claro, também a confiança. Obviamente, esse é um comportamento que denota falta de autonomia. Aqueles que preferem se esconder são vítimas do esquema de punição e recompensa. Ele age como quando era criança, se escondendo depois de cometer um erro.

O que fazer com aqueles que nos dão as costas

Uma pessoa que vira as costas pode causar muitos danos a outras pessoas. Na verdade, pode ser muito doloroso quando eles nos machucam sem nem se desculpar. É algo que leva a pessoa a sentir um enorme desamparo. Nas devidas proporções, pode ser considerado um golpe emocional.

Virar as costas causa muita dor

Esse tipo de atitude também representa uma forma de manipulação . Ao deixar a resolução da situação nas mãos de apenas uma das duas partes, um novo mal-estar é criado. A ausência daqueles que nos viraram as costas cria e mantém obstáculos. O conflito permanece no limbo e, de uma maneira ou de outra, continua ao longo do tempo, com todas as emoções negativas dele decorrentes.

Quando você fica com a responsabilidade de fechar uma situação que pertencia a dois ou mais indivíduos, basta aceitar o desafio. Deixe de lado aqueles que nos dão as costas. Resolvemos o que pode ser resolvido e viramos a página. É a coisa mais sábia.

(Fonte: lamenteemeravigliosa)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here