A mentira tem uma reputação muito ruim, enquanto seu oposto, a sinceridade, recolhe todos os elogios. No entanto, se considerarmos que todo comportamento humano tem uma razão de ser / funcionalidade , todas as mentiras são dignas de uma conotação negativa?

As mentiras, como a sinceridade, têm uma função adaptativa que pode se tornar patológica. Excluindo casos extremos, como mitomania ou mentiras compulsivas, os seres humanos geralmente mentem para evitar punições positivas ou negativas (conseqüências desagradáveis) que revelariam a verdade.

Pode parecer que a pessoa foge dos efeitos (respostas) e não assume a responsabilidade de suas ações; no entanto, existe um tipo de mentira que não tem nada a ver consigo mesma, mas para garantir o bem-estar emocional da outra pessoa; este é o caso de mentiras altruístas: aquelas distorções da realidade destinadas a evitar sofrimento desnecessário a terceiros, por exemplo: quando alguém que não é muito gracioso fisicamente pergunta se ele é feio. Nesse caso, a mentira serve para evitar ferir a outra pessoa, tanto por ação quanto por omissão.

No lado oposto, encontramos o “sincericídio “, composto por um grande número de pessoas que acreditam que ser honesto aumenta constantemente seu valor, posicionando a verdade como seu principal mérito.

Quando se fala de “sincericídio” em vez de se referir à confiabilidade das palavras contribuídas por essas pessoas, nos referimos à maneira de verbalizá-las ou expressá-las . “Sincericídio” implica dizer o que se pensa sem cuidar das formas; portanto, por trás dessas supostas sinceridades, há uma comunicação agressiva, que faz o outro se sentir mal, ou um excesso de opiniões não solicitadas ou necessárias a qualquer momento.

Ser 100% honesto é impossível, mas ser muito “honesto” é positivo, desde que você use um comunicação assertiva e a ocasião e local certos são escolhidos.

Forma de expressão direta e equilibrada: sem usar termos depreciativos ou fazer perguntas muito invasivas para o nível de confiança ou estabilidade emocional do interlocutor.

Comunique nossas idéias e sentimentos sem a intenção de magoar ou prejudicar: quando expressos com raiva, as intenções são perdidas e a sinceridade é subjugada a maneiras.

Evite a emoção excessiva como resultado de ansiedade, culpa ou raiva: ser assertivo significa comunicar-se com a máxima serenidade possível, para levar em consideração os fatores dos conflito envolvidos.

Parece que em relação ao comportamento humano tudo é relativo, nem a mentira é sempre negativa nem a verdade é invariavelmente a melhor opção.

Existe apenas uma verdade absoluta: que a verdade é relativa” (André Maurois)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

(Fonte: mundopsicologos.com)

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here