Sim … por mais óbvio que possa parecer … sua vida é sua e de mais ninguém. A frase em si pode ser redundante, mas é uma realidade que precisamos lembrar e provar. É uma realidade que deve ser enquadrada e colocada em local especial. Da mesma maneira que enquadramos as fotografias importantes, é essencial não negligenciar ou deixar esta afirmação em segundo plano.

Pense que as decisões que tomamos moldam nossas vidas. Tanto aquelas que tomamos por nossa própria vontade quanto aquelas que tomamos “influenciados por outros” . Cada decisão tem um peso, mais ou menos leve, mas um peso com o qual temos que lidar. Um peso que está definindo e moldando nossa vida.

Sua vida é sua e é você quem toma as decisões nela
Muitas vezes nos vemos desejando tomar uma decisão que não é aprovada pelos outros. Decisões que, em muitas ocasiões, são rotuladas como inconscientes ou precipitadas … ou simplesmente são decisões que os outros não conseguem entender. As pessoas que nos amam podem temer as consequências dessas decisões em nossas vidas e no futuro.

No entanto, se você teve tempo para refletir, se sentiu que existem mudanças que deve fazer (drásticas ou menos drásticas), não faça o que os outros podem lhe sugerir e sim aquilo que está de acordo com as suas decisões, você tem a liberdade necessária para gerir a sua própria vida.

A psicanalista e fundadora do site Fãs da Psicanálise, Natthalia Paccola, apoia essa ideia, mas esclarece que opiniões de amigos e familiares devem ser ouvidas. “A opinião das pessoas em que confiamos é importante, só não deve ser mais importante do que aquelas opiniões que nós mesmo carregamos como verdade”, explica.

A vida, afinal, pertence àquele que a vive. Claro que há decisões que merecem ser analisadas com maior afinco. Às vezes tomamos decisões quando estamos muito zangados ou muito eufóricos, quando deveria ser conveniente pensar e meditar, para agir quando estivermos mais calmos e seguros.

Às vezes culpamos os outros pelas nossas decisões
Mas essa tarefa é nossa. Pertence a nós. Raciocine sobre as nossas decisões, raciocine sobre as mudanças que queremos em nossa vida. Nosso desejo é totalmente legítimo, se sentirmos. Não podemos nos deixar manipular por esse “medo” que os outros têm perante as decisões que queremos tomar.

As pessoas que nos amam entenderão que o design de nosso caminho é de nossa própria tarefa, com nossos valores e emoções, com nossos pensamentos e com nossas experiências … com nossa própria visão da vida. Vamos pensar se queremos a vida que os outros querem para nós. Isso iria contra a nossa natureza. Estaríamos condenados a um sentimento de constante de infelicidade e inadequação.

Acabaríamos por culpar os outros como resultado de nossa falta de coragem. Você foi o culpado, foi você quem me disse para não fazer isso! E ninguém além de nós é responsável por nossa vida. Culpar o outro é evitar perceber que a vida é nossa e que somos responsáveis ​​por cada uma das decisões que tomamos nela.

Os outros não tomam decisões por nós. Nós as tomamos, nós mesmos.

A aprendizagem vital nasce de nossos erros e sucessos
As margens de erro pelas nossas escolhas são essenciais . Como a vida seria chata se apenas tomássemos decisões perfeitamente fundamentadas, “realistas” e bem estruturadas no modelo de vida ideal que muitas vezes nos sentimos compelidos a cumprir.

Você escolhe sua vida, suas nuances e cores. O que você pode perder? Algumas dessas decisões podem dar errado? Claro! Estaremos errados muitas vezes, mas isso nunca será um erro, precisamente porque o aprendizado vem das “más” e boas decisões que tomamos em nossas vidas.

Natthalia Paccola nos ensina que as experiências servem como aprendizado, são elas que norteiam as nossas escolhas e portanto não existem experiências ruins, “todas as nossas escolhas tem como benefício nos fortalecer como aprendizes para que novas decisões sejam tomadas com base nas experiências anteriores”.

De fato, pense bem, que experiências fizeram você amadurecer profundamente e saber o que deseja em sua vida e o que não quer nela? Então viva sua vida como você deseja construí-la. Tome seu tempo e não seja martirizado demais para decepcionar aqueles que amam você . Eles entenderão que somente você pode decidir o que quer e não quer na sua vida.

Coragem!

Fonte: lamenteesmaravillosa.com

Imagem: Seth Doyle

*Texto traduzido e adaptado livremente com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here