É possível sobreviver a relacionamentos tóxicos. Para isso, é importante que a vítima consiga recuperar a estabilidade emocional que possuía antes do início do relacionamento.

Por trás de uma família aparentemente feliz, um psicopata perfeitamente integrado à sociedade pode se esconder, uma pessoa tóxica que acaba manipulando, parasitando e destruindo seu parceiro a tal ponto que pode acusar estresse, depressão, ansiedade e até tendências suicidas.

Esse tipo de relacionamento é chamado de “amor zero” porque o psicopata tira o máximo proveito da vítima e, quando termina com ela, passa para o próximo. É um relacionamento chamado erroneamente de amor em que sentimentos, empatia ou remorso não têm lugar .

Esse psicopata, definido pelo Dr. Iñaki Piñuel como psicopata doméstico, não está relacionado a assassinatos ou episódios violentos. De fato, ele geralmente leva uma vida muito normal, sem se destacar demais entre outras; uma vida em que ele esconde sua faceta predatória atrás de um emprego regular ou de uma família comum. Mas por trás dessa máscara há um sujeito com um profundo sentimento de grandeza, egocentrismo e endosso; um sujeito que estuda e tira proveito de pessoas extremamente gentis, generosas ou ingênuas.

Como sobreviver e se recuperar após o amor de um psicopata

O especialista nesse tipo de relacionamento, Dr. Iñaki Piñuel, diz que sobreviver e se recuperar de um “amor zero” é muito complexo , pois o grau de parasitização e manipulação que o psicopata exerceu sobre a vítima é tão grande que se sente um abandono tanto fisicamente como psicologicamente. Portanto, é melhor pedir ajuda a um profissional.

Nesse sentido, um exemplo claro do trabalho realizado para ajudar as vítimas a sair e se recuperar do relacionamento com pessoas tóxicas é a realização de oficinas em grupo, nas quais elas trabalharão para que a vítima possa recuperar dois dos aspectos mais afetados após uma relação de “amor zero”: sentimentos e autoestima .

Dessa forma, uma primeira parte do trabalho com psico terapeutas se concentrará na vítima que recupera sua estabilidade emocional. Os profissionais ajudarão você a entender o tipo de relacionamento que teve e como esse relacionamento acabou consumindo-o. Além disso, serão fornecidas diretrizes pelas quais será capaz de identificar sujeitos psicopatas para que não termine em outro relacionamento semelhante.

Além de tentar fazer com que a vítima recupere sua estabilidade emocional, os psicólogos trabalharão para aumentar sua autoestima. A percepção sobre si mesma de que as pessoas que deixaram esse tipo de relacionamento tem é muito negativa. Como dissemos, o “amor zero” não afetou apenas suas emoções, mas também sua percepção física. A vítima acaba negligenciando sua aparência e saúde. Portanto, os especialistas colocam o outro foco na autoestima, sendo essencial para a recuperação emocional da vítima.

Assim, as oficinas em grupo destinadas a pessoas que saem de um relacionamento tóxico constituem um ponto de encontro para as vítimas saberem que não estão sozinhas, saber de experiências semelhantes e poderem compartilhar seus problemas, experiências e preocupações.

Ter morado com um psicopata exige, por causa da situação traumática, uma avaliação de um profissional para detectar possíveis problemas de trauma e estresse pós-traumático e, se necessário, seguir um tratamento individual para resolver o problema.

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

(Fonte: mundopsicologos.com)

(Imagem: Luis Quintero)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here