Pensar em uma receita ideal, separar os ingredientes que mais combinam, arrumar e organizar a mesa… Cozinhar é um ato de amor muito maior do que se possa imaginar. E, quando preparamos um almoço ou jantar para uma outra pessoa querida, parece que esse bom sentimento fica ainda mais intenso e aflorado no sabor dos pratos. O melhor de tudo é que essa sensação afável de atenção e carinho acaba sendo recíproca: tanto para quem serve, como para quem come, a culinária traz um bem-estar único e motivador.

Se para nós, meros mortais, que vamos vez ou outra para cozinha sem tanto conhecimento culinário, cozinhar já é um prazer, imagina para quem se dedica dia e noite a aguçar os paladares das pessoas? De acordo com o cozinheiro Phillipe Pierre, o maior benefício de cozinhar para alguém é conquista da gratidão:

“Um sorriso, um agradecimento sincero. Com isso nossa autoestima agradece, e isso se caracteriza um benefício maravilhoso. As motivações que recebemos, nos ajudam de forma espetacular para que esses momentos sejam cada vez mais comuns e se tornem sempre melhores e maravilhosos”, analisa o profissional.

Vai cozinhar? O amor é tempero essencial para começar!
Sem ser piegas, muito menos clichê, para Phillipe Pierre, ao cozinhar para alguém, o amor é o toque essencial para começar qualquer receita. Segundo o cozinheiro, o pensamento deve ser sempre em tornar aquele momento especial e não somente satisfazer o apetite:

“Um fato importante que precisamos colocar em evidência quando tomamos a decisão de cozinhar, é ter o prazer no que fazemos. Teremos um resultado oposto ao fazer por obrigação ou simplesmente por fazer. Quando pegamos o nosso tempo e misturamos com prazer e afeto, criamos um relacionamento com os alimentos, transferimos o amor de cozinhar em forma de tempero. É preciso amar aquilo que fazemos, cozinhar não é diferente, é um modo de amar as pessoas”, finaliza o cozinheiro.

Por que cozinhar é uma prática tão prazerosa? Veja 5 motivos:

1 – Ajuda a aliviar o estresse: Quando estamos na cozinha, as coisas não são feitas no “automático”, é necessária uma atenção e um foco. Sendo assim, durante a prática, nos desligamos um pouco dos problemas do dia a dia, diminuindo o estresse gerado por esses pensamentos constantes. Além disso, quando notamos a felicidade e gratidão das pessoas em volta, é satisfatório para nossa autoestima.

2 – Desenvolve a criatividade: Para cozinhar é preciso se arriscar, inventar e inovar. Por isso, você pode analisar outras combinações para aquele prato tradicional que você está acostumado a fazer, trocar os ingredientes, acrescentar, etc.

3 – Aprimora uma nova prática: Se você não está acostumado a cozinhar, é hora de tentar e se surpreender com o que você pode fazer na cozinha. Aprender uma nova atividade ajuda a trabalhar melhor o cérebro, ativa a memória e a capacidade de concentração.

4 – Proporciona satisfação: Começar fazer algo e terminar com excelência é garantia de satisfação garantida. Além disso, quem não gosta de ser elogiado? Ao preparar um prato gostoso e suculento, as pessoas te agradecem e ficam felizes, e você, automaticamente, se sente bem por tudo isso.

5 – Melhora a sua capacidade de organização: Se você está na lista de pessoas desorganizadas, a cozinha pode ajudar a melhorar isso. Afinal, tudo tem uma ordem cronológica para acontecer, além do fato que você vai precisar deixar tudo em ordem para começar a preparar a sua refeição.

(Fonte: conquistesuavida)

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here