Que bebê e criança realmente perdem roupa muito fácil, é verdade! A Doula Madrinha é uma iniciativa que monta enxoval para famílias que precisam muito

Quem é mãe participa de pelo menos um grupo de “desapegos” no WhatsApp. No entanto, o Lado B quer propor que neste ano, no lugar de desapegar, você possa doar aquele body, calça ou sapatinho para um projeto super bacana, que tem montado enxovais para famílias que não têm nada para receber o filho.

Nem vamos entrar no mérito do estado de conservação das peças que muitas vezes aparecem com um valor quase igual ao que você pagou. E as justificativas são, muitas vezes, em cima das “marcas”. Só porque é Carter’s você não precisa vender pelo preço que pagou.

Katiuce Aguiar tem 38 anos e é doula desde 2016, além de ser psicóloga. Foi depois do nascimento do segundo filho que ela resolveu fazer o curso e entrar para a profissão.

E foi dentro desta área, de apoiar nascimentos de crianças e renascimentos de mães, que Katiuce criou o projeto Doula Madrinha. “Tem um significado importante também essa palavra ‘doula’: aquele que se doa e madrinha por me tornar uma pessoa que supre a necessidade de um bebê e não pede nada em troca”, explica.

A iniciativa de se doar e organizar itens para doação sempre esteve presente na vida de Katiuce, que desde a adolescência se sensibilziada com a situação de alguma família e pedia para amigos e parentes somarem com ela para resolver. O projeto foi solidificado há um tempo e ganhou este nome.

“Eu oferto um enxoval para um bebê recém-nascido que vai chegar numa família carente, aquelas famílias que não têm condições de comprar um enxoval básico, vivem em situação de vulnerabilidade social e muitas vezes não têm o que comer no dia a dia”, conta a doula.

Os itens são roupinhas diversas, sapatinhos, toucas, luvas, meias, kit com pente e escova de cabelo, cortador de unhas, banheira, algodão, cotonetes, sabonete, fraldas descartáveis, manta, cobertor, toalha de banho, cueiros, travesseiro, paninhos de boca, fraldas de pano, lençol e fronha para berço, bolsa.

“Também recebo berços, carrinhos, bebê conforto, almofada de amamentação, kit de berço e demais itens que alguma mãe não usa mais em seu bebê e quer doar. As pessoas podem doar trazendo até à minha casa, ou eu vou até elas e busco as doações. Às vezes a gente marca um ponto de encontro num lugar que seja bom para ambos e elas me entregam”, detalha.

Por indicação de amigos ou pela própria página no Facebook, Katiuce faz a seleção de famílias que vão receber as doações. “Hoje o Projeto já é bem conhecido e muitas pessoas têm a oportunidade de ajudar como elas podem, sem essa parceria isso não seria possível”, frisa.

Na página do Projeto tem um formulário para cadastro de quem se interessa a receber os kits, assim fica mais fácil encontrar as pessoas e conhecer um pouco mais das necessidades delas. Para doar, entre em contato com Katiuce pela página.

Fonte: sorocabanices.com.br

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here