Vale prestar atenção: falta de ar, taquicardia e aperto no peito nem sempre são sinais de problemas cardiovasculares ou mal estar inesperado.

Ainda mais se esse mal estar está associado a sensações de angústia, ansiedade e tristeza, sem nenhum motivo aparente. Esses sintomas podem indicar quadros de depressão, ansiedade, síndrome do pânico e outras doenças mentais e comportamentais que merecem atenção e cuidados.

Atualmente conflitos mentais, são consideradas como a quarta maior causa de afastamento do trabalho, segundo dados do Ministério da Previdência Social.

Segundo a psicanalista Natthalia Paccola, as doenças psíquicas sempre existiram, acontece que com a transformação das relações em comunidade, da própria estrutura da vida em sociedade e do ambiente de trabalho, essas patologias também passaram por mudanças significativas.

Hoje, os transtornos mentais e comportamentais mais comuns estão associados a quadros psicossomáticos, ou seja, quando há manifestação física sem uma causa médica reconhecida. Nesses casos, além do diagnóstico psicológico, o paciente pode desenvolver uma alergia desconhecida, ter falta de ar, dor de cabeça, entre outros sintomas.

“Entre os transtornos psíquicos mais comuns nos dias de hoje estão a depressão, ansiedade, estresse pós-traumático, síndrome do pânico e síndrome de burnout”, explica Natthalia.

Muito embora essas doenças sejam diferentes, apresentam grande similaridade por parte de seus sintomas. ” Há casos em que há mais de um tipo de transtorno acontecendo simultaneamente”, diz a psicanalista.

Se os sintomas forem recorrentes e afetarem o bem-estar e andamento da rotina, o que geralmente acontece, é recomendável procurar ajuda o quanto antes. Identificar os sintomas e procurar ajuda é o primeiro passo do tratamento.

Saiba mais sobre essas psicopatologias

1. Síndrome do Pânico: é um tipo de transtorno de ansiedade caracterizado por crises inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça sem um motivo aparente.

– Sintomas: durante as crises, com duração de até 30 minutos, é comum sentir falta de ar, taquicardia, angústia, aperto no peito, sudorese, tontura, dor de cabeça e mal estar generalizado (similar à labirintite).

– Mais comum: em mulheres.

2. Síndrome de Burnout: é uma variação do transtorno de ansiedade e do pânico, porém está diretamente associada a situações de estresse nas relações trabalho.

– Sintomas: são iguais aos da Síndrome do Pânico (falta de ar, taquicardia, angústia, aperto no peito, sudorese, tontura, dor de cabeça e mal estar generalizado), a diferença está no motivo que a desencadeia, no caso da Síndrome de Burnout é o trabalho.

– Mais comum: trata-se de uma doença comum em carreiras onde há contato direto com pessoas (professores e profissionais da saúde) e que proporcionem situações de risco e grande pressão ao colaborador (profissionais de bancos e atendentes de telemarketing).

3. Estresse pós-traumático: doença desencadeada por situações traumáticas como um assalto, situações de violência em geral, tragédias naturais (enchentes e desgraças coletivas), acidentes aéreos e entre outros.

– Sintomas: os sintomas do estresse pós-traumático são similares aos da síndrome do pânico, porém as crises estão associadas à situação traumática vivida pelo paciente ou familiar, seja por lembrar-se do ocorrido ou contato com situações similares. Este transtorno também pode afetar a qualidade do sono.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


3 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom o artigo acima, ajuda a esclarecer muitas nuances dos desgastes emocionais pelos quais passamos no dia a dia. Eu sofri um acidente automobilístico a um ano e meio, e juntando o trauma ao estresse do meu trabalho com comunicação internacional, estou com um tipo de alergia ainda não identificado, desconfio de psoríase, mas ainda não tenho o diagnóstico médico.
    Uma amiga me falou sobre essa página, e gostei bastante. O animo a prosseguir esclarecendo e sanando dúvidas. Obrigada.

  2. Muito esclarecedor esse artigo.
    A uns meses atrás fui fazer exame periódico da empresa, e o médico identificou uma taquicardia; fui ao cardiologista para fazer exames e ele realmente identificou essa taquicardia. Além desse sintoma, eu tinha vários outros que se encaixavam na Síndrome de Burnout, e eu não fazia ideia de que existia.

  3. Muito esclarecedor o artigo. Vai ser importante para muita gente. Concordo com o que vocês disseram: “As doenças psíquicas sempre existiram. Mas à medida que as relações interpessoais e a própria estrutura da sociedade e do ambiente de trabalho se transformaram, essas patologias também passaram por mudanças”. Um forte abraço! 😉

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here