Labirinto

Não. Eu não estou satisfeito e talvez eu nunca vá estar.

Eu não a visto porque não me cabe; ideia que ocupa lugar na alma mas que não preenche.

Parece que essa estranheza, essa inexatidão de mim, essa metade com que calculo minha vida inteira, essa falta e esse vazio me dão um sentido torto; uma direção avessa, uma fome que me sacia por esquecê-la.

Sou o mendigo que não quer abandonar sua pobreza. Sou o sofrer que não quer despir-se da tristeza. Eu sou a cobra que persegue a própria cauda e a si inteira devora.

Eu persigo horizontes e me canso parado; reclamo do que me falta por ignorar o que tenho; reclamo da luz por me assustar com as sombras.

Leia mais: Gostar de sofrer

Sou ampulheta que areia devora o passar do tempo; sou o amargo descontente por não ter achado ainda o meu traço, o meu passo, minha canção, o meu par.

Sou ingrato ao jardim pelas sementes que poupei. Sou ingrato à boca pelos sorrisos que não mereci.

Sou também o medo, a desconfiança, o meio amor, o mero acaso, a meia entrega, o vazio todo, o inexato, a incerteza. E me despeço todo dia dos meus amores.

Ensaio as perdas todo dia ao nascer do sol. Vivo a me recuperar dos pesadelos e me convalescer das ilusões.

Leia mais: A vida é uma viagem que não permite excesso de bagagem

Eu sou a fome a recusar o alimento, o náufrago a não querer mais salvação.

Distraio-me com qualquer labirinto e me perco com qualquer distração.

Sou daqueles que não sabem o que querem por saber bem o que me topa, o que me serve, o que eu mereço.

Coleciono manias, carências e angústias no porão de mim em que verdade envelheceu e onde o amor desbotou.

Leia mais: O sofrimento nosso de cada dia

A loucura e o sereno vivem dentro, a paz e o desespero são o meu reino.

Sou eu o velho rei, querendo fugir do próprio trono a tropeçar no próprio manto.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Guilherme Antunes
Poeta, escritor e colunista do site Fãs da Psicanálise.


1 COMENTÁRIO

  1. Que palavras maravilhosas, profundas, tocantes!!! Me identifiquei ao ponto de chorar, de parar e refletir, e voltar rapidamente para ler as próximas linhas com a certeza de que me descreveria um pouco mais. Estou sem palavras! Li mais de uma vez. Obrigada Guilherme, por compartilhar sentimentos tão nobres quanto esses. Incrível pensar em como nunca compartilhamos sozinhos de um mesmo pensamento. Me tornei sua fã e da do site. O que seria de pessoas como eu, que desabafam e procuram consolo através da internet, silenciosamente durante a madrugada, se não tivéssemos seres iluminados como vc. Grande beijo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here