Todos nós queremos encontrar alguém cujos demônios se entendam; alguém que tenha a chave de nossas fechaduras, com quem nos sentimos tão seguros que os deixamos abrir sem medo da cumplicidade experimentada. Alguém com quem nosso verdadeiro eu ressurge e podemos ser nós mesmos.

É algo melhor que um amor, porque cada um descobre uma parte do outro sem a necessidade de palavras para mediar e com a necessidade de uma vida cheia de permanência.

Há quem os chame de lar, porque eles lhe dão o calor de um abraço que conforta e o prazer de reunir os motivos e a força necessários para enfrentar o dia a dia e fluir com a vida.

Eles fazem você respirar amor e sorrir estupidamente quando se lembra que a coincidência está nas mesmas coordenadas através do olhar.

A linguagem corporal da cumplicidade

O que chamamos de cumplicidade é uma união especial que transcende o amor, que é inundada por ele. Porque amar não é apenas amar, mas acima de tudo, entender.

“Ainda acredito que o nosso melhor diálogo foi o da aparência. As palavras, consciente ou inconscientemente, frequentemente mentem, mas os olhos nunca deixam de ser verdadeiros.

Se alguma vez tentei mentir para alguém com meus olhos, minhas pálpebras caem, abaixam espontaneamente a cortina protetora e ficam lá até que eu e meus olhos recuperemos a obrigação da verdade.

Com as palavras, tudo é mais complexo, mas ainda assim, se as palavras tentam enganar, os olhos tendem a negar a boca” (Mario Benedetti).

Por cumplicidade, não há segredos na aparência, gestos ou abraços. São essas pessoas que sabem que, mesmo se lhes dissermos que está tudo bem, elas sabem que não está. Na verdade, eles provavelmente nem precisam nos olhar ou nos ouvir. Eles não são cartomantes, mas nos entendem além de miragens e aparências.

Basta que o ar seja respirado para saber que a conexão é pura fantasia, que vai além de um sorriso sincero ou de um olhar sábio. Entre dois cúmplices, cria-se uma atmosfera que se torna um tipo de profecia emocional que liga sentimentos e corações.

Uma casa onde as almas voam

“As pessoas acreditam que uma alma gêmea é a pessoa com quem você se encaixa perfeitamente, e é isso que todos querem. Mas uma alma gêmea autêntica é um espelho, é a pessoa que tira tudo o que você reprimiu, que faz você virar os olhos para dentro, para que possa mudar sua vida.

Uma verdadeira alma gêmea é certamente a pessoa mais importante que você já conheceu em sua vida, porque derruba todas as paredes e acorda com um estrondo” Comer, orar, amar (Elizabeth Gilbert).

Uma alma gêmea é aquela pessoa que faz você rir e sorrir sem dizer nada. É uma pessoa que está lá, que não o abandona, que se orgulha do que você recebe e de quem você é ao mesmo tempo, que não tem vergonha de lhe dizer o que pensa ou de chamar sua atenção se você estiver errado.

Isso não significa que não haverá mal-entendidos ou argumentos, mas mesmo uma luta cúmplice pode derrubar nossos muros de contenção. Isso só acontece quando essa pessoa é alguém que questiona você e não está em sua vida silenciosamente, alguém que marca um antes para o qual não existe depois e que inunda todo momento de ternura.

A cumplicidade nos permite aceitar sem exigências ou apegos, sem a necessidade de mudar nossa essência ou satisfazer necessidades infantis ou extremas. Em seguida, são construídas vibrações que se complementam perfeitamente, da mesma maneira que um segredo compartilhado pisca com a incondicionalidade da alma.

Adicionar em vez de subtrair

Como afirma o Dalai Lama: “Se você não acrescenta, pelo menos não subtrai”. Cumplicidade é sobre adicionar. Se estar com alguém significa subtrair, é melhor pensar duas vezes. A cumplicidade permite que você seja você e faça o melhor de você. Se alguém tentar cortar suas asas, assuma que não há cumplicidade.

Um exemplo claro de cumplicidade, embora em outro aspecto, o tenhamos em John Lennon e Paul McCartney. Separadamente, são ótimos músicos, mas juntos formaram um dos melhores grupos da história da música moderna. O mesmo vale para relacionamentos em que há cumplicidade. Juntos, eles destacam as qualidades do outro, os capacitam, os fazem crescer e os elevam a níveis nunca imaginados.

(Fonte Original: gutenberg.rocks)
*Texto traduzido e adaptado por Naná cml da equipe Fãs da Psicanálise.

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

(Imagem: Freestocks)

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here