Já recebi muita mensagem de leitores reclamando quando terminam um relacionamento. “Fui trouxa, pois me doei demais” ou “Fui idiota! Me dediquei tanto e ele me traiu” ou, ainda, “Fui boba! Fiz tudo por ele, mas ele foi embora e já está com outra”.

Gente, para tudo! Vamos falar sobre isso, por favor. Quem nunca pensou uma coisa dessas alguma vez na vida? Todo mundo, eu, tu, ele (a), nós, vós e eles (as). Porém, olha só, esse sentimento está virado de cabeça pra baixo, saca? Não faz sentindo se sentir trouxa por ter amado, se entregado, se dedicado, se, se, se…

Nada disso! “Fui um trouxa, pois me doei demais”, não é verdade! A doação é a plenitude do amor, feliz é aquele que assim o faz de verdade, de todo coração, com toda energia afetiva possível. Você não é trouxa porque se doou demais, mas é um ser humano corajoso, capaz de ver o amor como ele é e se tornar parte desse sentimento com toda alma, carne e coração.

“Fui idiota! Me dediquei tanto e ele me traiu”, nããããããão! Quem traiu você é que é um idiota, entende? Se você se dedicou tanto, que bom! Isso só mostra a pessoa incrível que você é, sabe por quê? Porque quem ama cuida, se importa, e foi exatamente o que você fez. Você sabe amar, meu bem! Quem traiu você não tem a menor noção de quem perdeu e isso é o que importa. Não pense em fazer igual para dar o troco, please! Supere, olhe pra frente e seja feliz! A melhor vingança nesse momento é esperar a pessoa certa e amar de novo.

“Fui boba. Fiz tudo por ele, mas ele foi embora de repente e já está com outra”. Ei, vamos combinar que essa situação é mais comum do que a gente imagina, né? Pedro Bial escreveu algo que diz mais ou menos assim: “Não tolere gente de coração leviano”, já leu? É isso! O leviano é quem foi embora, não por ter ido embora ou por já estar com outra, mas por ter se permitido viver algo que não sentia.

Não fique vasculhando suas redes sociais, talvez ele não tenha consideração na hora de postar fotos que possam lhe ferir profundamente. Não faça isso com você, entende? Eu sei, é difícil quando isso acontece, pois a indiferença machuca, ainda mais vindo de quem você amou tanto.

A primeira coisa a fazer, ou tentar fazer, é compreender que tudo o que você fez, você fez por amor. E que se ele foi embora é porque não merecia ficar mesmo. E se já está com outra, caramba, mais um motivo para você agradecer ao invés de chorar por quem partiu.

Mantenha o respeito, sabe? Mesmo se não houver a mesma atitude da outra parte. Nem todos entendem que esse tempo de luto de quem foi deixado demora bem mais do que para quem deixou. A melhor coisa a fazer é resgatar seus amigos, se abrir para novos olhares e amar aquilo que reflete no espelho.

Cedo ou tarde, no tempo certo, vai aparecer uma pessoa incrível e cheia de afeto por você. E aí, minha amiga, “você me abre seus braços e a gente faz um país”, como diz Marina. Guarde tudo que foi bom, pois nem tudo é 100% ruim e todas as pessoas têm os dois lados, inclusive você.

Valorize-se e atente aos sinais da próxima vez, eles vêm você querendo ou não. Continue fazendo tudo por quem você ama, pois é isso que faz você única e especial. Não tem escola para amar direito, também nem sei o que seria amar direito, mas de uma coisa esteja certa:

Amar é um presente e só os merecedores têm a chance de se doar inteiro, ainda que a outra parte seja uma metade. Mas, assim, se eu puder dar um conselho, além do filtro solar do Bial, é: “Ame pessoas inteiras e evite o dano”.

Lembre-se sempre que o amor é uma benção e que você é uma pessoa passível de todo amor desse mundo.

Ah, não sou especialista, tá? O que falo aqui é baseado no que meus amigos contam, no que penso, naquilo que vivi e no que as pessoas que são próximas de mim viveram também. Não há uma verdade única, tudo tem uma porção de lados, você só precisa escolher o seu.

No início, a dor parece insuportável, mas ela passa, ela vai embora e você aprende que nem todas as pessoas são pra você, quem nem todo mundo vai amar com a intensidade que você ama.

O que importa mesmo é que você ame, mas ame muito, ame inteiro, direito, certeiro.

Deixa o passado onde ele merece estar: lá fora, bem longe e reforce o amor aí dentro, pois a pessoa que está pra chegar vai merecer todas as flores que você tem pra dar.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Ju Farias
Ju Farias é jornalista, poeta e escritora. Autora do livro Com licença, posso entrar?, que já está esgotado nas livrarias, a gaúcha já prepara o lançamento da sua segunda obra, com título provisório de "Cá entre Nós". É colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here